Bradley Manning é condenado, e pode pegar mais de cem anos

Jornal GGN – O ex-analista, Bradley Manning, que forneceu documentos ao WikiLeaks de Julian Assange, foi absolvido da acusação mais grave contra ele, que é a de “ajudar o inimigo”. Manning, no entanto, foi considerado culpado de outros crimes graves, incluindo cinco acusações de espionagem.

A Coronel Denise Lind, que presidiu a corte marcial, considerou o ex-analista inocente de ajudar o inimigo ao entregar centenas de milhares de documentos confidenciais ao WikiLeaks – acusação que poderia significar prisão perpétua. Manning argumentava que todos os casos que entregou à organização fundada por Julian Assange estavam encerrados e não poderiam prejudicar os esforços de guerra dos Estados Unidos.

No entanto, se tiver que cumprir a pena máxima para todas as acusações pelas quais foi condenado, Manning pode ficar preso por mais de cem anos.

A sentença de Bradley Manning inclui cinco acusações de espionagem, segundo o Wikileaks, “um precedente muito sério de supressão de informação para imprensa”. Pelo Twitter, a organização afirmou que não considera o ex-analista culpado, mas que foi condenado por fornecer informação à imprensa.

A divulgação da sentença do ex-analista, está marcada para começar na manhã desta quarta-feira (31).

Com agências internacionais

Leia também:  O ingresso do Brasil na OCDE: muito ‘toma lá’ e nenhum ‘dá cá’, por André Luiz Passos Santos

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome