Crescimento chinês desacelera no primeiro trimestre

 

 Apesar da lentidão, aumento da dívida tem ajudado outros vetores econômicos

Jornal GGN – A economia chinesa fechou o primeiro trimestre com um PIB (Produto Interno Bruto) de 6,1%, o que foi considerado o crescimento mais lento para o período desde 2009, embora o aumento da dívida esteja ajudando o processo de retomada das atividades da indústria, os gastos das familias e o investimento.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2015, o resultado mostrou um avanço de 6,7%, ficando pouco abaixo dos 6,8% contabilizados no quarto trimestre.

Em apresentação à imprensa, representantes da Agência Nacional de Estatísticas declararam que, embora os principais indicadores econômicos tenham mostrado mudanças positivas, “a pressão negativa não deve ser subestimada”. A entidade não distribuiu os dados do PIB na análise trimestral, sob a justificativa de que precisa de mais tempo para efetuar os cálculos.

Economistas consultados pela agência de notícias Reuters dizem que as notícias no curto prazo são positivas, mas existe o temor de que o país retome as medidas adotadas durante a crise financeira, quando o governo tirou sua economia de um período de desaceleração por meio de imensos estímulos, em vez de reformas estruturais.

No entanto, outros indicadores mostraram que os novos empréstimos, vendas no varejo, produção industrial e investimentos em ativos fixos ficaram acima do previsto.

 

 

 

(com Reuters)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Governo federal anuncia socorro de R$ 60 bi aos estados, mas pede apoio para congelar salário de servidores

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome