Preocupada com a Rússia, Dinamarca aumenta gastos militares

Parlamento do país do norte Europeu aprovou também criação de brigada militar com 4 mil soldados no Mar Báltico 
 
dinamarca_parlamento_2.jpg
(Reprodução)
 
Jornal GGN – “A ameaça da Rússia é real e está aumentando, então precisamos mostrar determinação com a defesa –e estamos determinados”. A frase é do primeiro-ministro da Dinamarca, Lars Lokke Rasmussen dita em um comunicado para justificar o aumento do orçamento militar até 2023. O parlamento do país aprovou em adicionar mais 12,8 bilhões de coroas (US$ 2,14 bilhões) no setor alegando ainda ameaças cibernéticas, fluxos irregulares de imigrantes e um “cenário de ameaça internacional muito sério”. A informação é da Folha de S. Paulo.
 
A Dinamarca é um país membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), uma aliança militar ocidental fundada no final da década de 1940, após a Segunda Guerra Mundial. A política de segurança anunciada também prevê a criação de uma brigada militar com 4 mil membros no Mar Báltico. 
 
O país do norte Europeu não faz fronteira direta com a Rússia, mas divide o Mar Báltico onde, em 2016, a Rússia instalou novos mísseis Iskander-M, com capacidade nuclear e implantou seu sistema de defesa de mísseis aéreos S-400. E, em abril daquele mesmo ano, o governo dinamarquês acusou os russos de hackear sua rede informática de defesa e e-mails de funcionários entre 2015 e 2016.
 
Com o novo plano de aumento de recursos para o setor até 2023 a Dinamarca irá aumentar em 20% os gastos militares. Em 2018 pelo menos 22 bilhões de coroas serão alocados. Em 2016, o país investiu cerca de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no setor militar, abaixo da meta estipulada pela Otan (2%) para gastos com defesa. 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Russia

    Porque razão a Russia atacaria paises ocidentais? 

    Ela já tem problemas demais para resolver, Porque criar mais um!

    Quando foi a ultima vez que a Russia ameaçou o ocidente de FATO? Não me falem dos paises “da cortina de ferro”, voces sabem a origem desse assunto.

    Acho que o ocidente já esqueceu de Napoleão, Hitler. 

    Semana passada um militar de alta patente britanico afirmou em conferencia que a Russia esta pronta para matar MILHARES de britanicos. Onde ele tirou essa ideia? Porque faria isso? Para ficar com palacio de Buckingham? Pedir resgate da rainha?

    Minha tese é que os governos ocidentasi precisam justificar o bilhoes que gastam em equipamento e pessoal em defesa.

    A RUSSIA é um bom pretexto,

    Tem otários que acreditam, mas a mentira vai perdendo força.

  2. Tem que justificar os gastos

    Tem que justificar os gastos militares,

    e só se gasta com armas quando se tem um inimigo, real ou inventado, logo………

  3. Noticia velha……e incompleta

          Esta proposta foi consolidada em outubro passado no documento http://www.fmn.dk/forsvarforlig/Documents/proposal-for-new-danish-agreement-2018-2023.pdf , portanto nenhuma novidade.

           Aliás é bom conhecer que a Dinamarca não faz apenas parte da NATO, mas tambem do sistema NORDFCO, a aliança de defesa comunitária que reune Dinamarca, Islandia e Noruega ( Paises NATO ) e mais : Suécia e Finlandia ( NATO parceiros mas não-membros, ainda ). Só que todos da area de defesa sabem que a NORDFCO é um apendice da NATO, e uma forma que tanto a Suécia como a Finlandia participem ativamente da ” Aliança Atlantica”.

            Tambem não é novidade que a Dinamarca – desde Clinton, Bushs and Obama’s Administrations – sempre foi o pais mais pressionado – e auxiliado – tanto pelos USA como pela NATO, para um maior comprometimento de verbas com a defesa “hemisférica”, pois : 

             1. Estreito da Jutlandia que controla a saida do Báltico para o ATL-Norte.

             2. A Dinamarca estratégicamente não é apenas aquele país ” extensão do norte da Alemanha”, mas o responsavel por dois ” pontos quentes” da NATO, as Ilhas Faroe ( norte das Ilhas britanicas ) e Groenlandia. ( a brecha GIUK, ou o “corredor dos submarinos russos ” ).

             3. Após a dissolução da URSS, mas com a manutenção pela Federação Russa do enclave báltico ( norte da Polonia ) de Kaliningrado ( ex- Koeningsberg ), a Dinamarca tornou-se o país NATO mais próximo deste local, com responsabilidades de defesa e controle relativos aos paises NATO bálticos ( Letonia, Estonia e Lituania ) que por acordos NATO – Russia não dispõe de elementos próprios de defesa.

             

    • noticia….

      Não precisa não, Dinamarca. Não precisa de Submarino Nuclear, nem de caças modernos, nem de Forças Armadas com capacidade de responder agressões à sua soberania. O Mundo é cor de rosa. Os Russos colocarm misseis nucleares e equipamentos da mais alta tecnologia e poder de destruição no Mar do Norte, nas fronteiras com os Países Bálticos, apenas por falta de espaço no seu território. Os Dinamarqueses não acreditam nesta estória? Tem um Povo na América do Sul, que acredita. Também em Papai Noel…. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome