Movimento ‘Mães de Maio’ lança livro com relatos sobre os filhos mortos pelo Estado

Além de relatos, “Memorial dos Nossos Filhos Vivos - As vítimas invisíveis da Democracia” traz imagens de 26 jovens assassinados por policiais quando crianças e adolescentes

Mateus Andrade de Freitas, uma das vítimas, em maio de 2006, da polícia do estado de São Paulo

Revista Fórum

O Movimento Independente Mães de Maio lançará em São Paulo, na quinta-feira (16), o livro “Memorial dos Nossos Filhos Vivos – As vítimas invisíveis da Democracia”. O evento ocorrerá no Auditório da Faculdade de Direito do Largo do São Francisco da Universidade de São Paulo (USP), a partir das 19h.

A obra, organizada pela coordenadora do movimento, Débora Silva Maria, resgata a memória de 26 jovens mortos por agentes do Estado, em depoimentos ricos de histórias vividas e detalhes de amor, alegria e também de dor e saudade. “Eles não eram suspeitos ou criminosos. Eram nossos filhos. Tinham nome, sobrenome, residência fixa. Eles só eram suspeitos para o terrorismo do Estado”, afirma Débora.

Este primeiro volume conta com depoimentos de mães da Amazônia, Pará, Ceará, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e de uma mãe de Chicago (EUA).

Após o lançamento, as mães convocarão os participantes para um cortejo até as escadarias da catedral da Sé, com velas, em homenagem à todas as vítimas da violência do Estado brasileiro.

As Mães de Maio surgiram após o assassinato de quase 600 pessoas em maio de 2006, em meio ao fogo cruzado entre PCC (Primeiro Comando da Capital ) e a polícia.

Serviço

Lançamento do Livro: “Memorial dos Nossos Filhos Vivos. As vítimas invisíveis da democracia.”

Local: Auditório da Faculdade de Direito do Largo do São Francisco da Universidade de São Paulo, Centro, São Paulo, SP – Dia 16 de maio, a partir das 19h

Leia também:  Investigação sobre Flávio pode envolver do presidente à milícia

Clique aqui para ver a nota na íntegra no site da Revista Fórum

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome