Procuradores usaram documentos possivelmente falsos para interrogar Lula

Defesa afirma que ex-presidente deixou de responder perguntas de Moro e do Ministério Público por 3 razões. Entre elas está a possibilidade de adulteração em documentos usados pela acusação
 
 
Jornal GGN – Tão logo os vídeos do segundo depoimento de Lula a Sergio Moro caíram na internet, na tarde de quarta (13), parte da grande mídia fez questão de destacar em manchetes que o ex-presidente não quis responder a “várias perguntas” do juiz e dos procuradores de Curitiba. Só esqueceram de dizer que a defesa deu 3 razões para isso, e uma delas é que Lula foi abordado com documentos possivelmente falsos.
 
“Foram feitas perguntas com base em papéis que a defesa questionou. Já haviamos apontado a existência de indícios de falta de origem ou adulteração dos documentos e até o momento não existe nenhuma resposta sobre se os documentos são idôneos”, disse o advogado Cristiano Zanin.
 
Durante coletiva de imprensa concedida logo após a audiência com Moro, Zanin informou que orientou Lula a ficar em silêncio em 3 situações: quando as perguntas eram repetidas, quando não diziam respeito à ação penal em andamento e quando estavam relacionadas a documentos apócrifos ou que podem ter sido adulterados. 
 
Um desses documentos é citado numa pergunta do Ministério Público, que tenta arrancar de Lula detalhes sobre um suposto encontro com Emílio Odebrecht para discutir a “relação com Petrobras x importância do diretor PR”. Na visão dos procuradores, “PR” é o ex-diretor da estatal e delator da Lava Jato, Paulo Roberto Costa.
 
A pergunta foi motivo de bate boca entre Zanin, Moro e o Ministério Público. Isso porque o advogado queria impedir a realização de perguntas feitas com base em documentos que foram “objeto de incidente de falsidade”, ou seja, de um alerta e pedido para que o magistrado determine uma perícia sobre a idoneidade dos materiais usados pela acusação.
 
Moro informou que a apuração está em andamento, mas foi permissivo com o Ministério Público e continuou permitindo que o interrogatório de Lula fosse recheado de questões problemáticas.
 
Segundo Zanin, há mais “papéis apócrifos, juntados aos autos no último dia 30 pelo Ministério Público Federal e por Marcelo odebrecht, apontados como se fossem uma agenda de executivos da Odebrecht. Papel apócrifo não pode ser lido como agenda. E há indícios de adulteração nesses papéis. Pedimos apuração sobre autenticidade e origem desses papéis.”
 
 
O GGN e o DCM fizeram uma parceria inédita para investigar a indústria da delação premiada na Lava Jato. Quer colaborar? Clique aqui.
 
 
Zanin também declarou, à imprensa, da repetição de perguntas – uma estratégia utilizada contra Lula no primeiro depoimento a Moro, no caso triplex.
 
“Mais uma vez, tanto Moro quanto os procuradores fizeram sucessivamente perguntas repetidas a Lula e isso evidentemente não pode ocorrer. A pessoa está lá para dizer a verdade, mas não pode responder sobre o mesmo tema sucessivamente. Em determinado momento, a defesa orientou que a pergunta estava respondida.”
 
Segundo o advogado, Moro também repetiu um expediente adotado no caso triplex ao fazer perguntas estranhas ao processo. Naquele caso, o juiz interrogou Lula sobre o mensalão e sobre o sítio de Atibaia – assuntos sem nenhum conexão com a história do apartamento no Guarujá.
 
“Nós também orientamos que não houvesse a resposta por uma simples razão: a lei assegura isso. O interrogatório serve para o acusado se defender na presente ação”, explicou Zanin.
 
Assine
 
https://www.youtube.com/watch?v=aR68ClPVdo0
 
 
Leia também:  Bolsonaro, quem diria, pode se tornar o Mefistófeles da vida do Moro, por Eduardo Ramos

25 comentários

  1. A imagem do Moro não pode

    A imagem do Moro não pode ruir.

    É um vale-tudo pra que a imagem se mantenha.

     

     

  2. Deixa que eu chuto.

    Não assisti a todo o depoimento do acusado, não vou assistir. Ví aquele em que o acusado pergunta ao inquisidor se ele é imparcial, ao que ele respondeu que sim. 

    Chamou minha atenção ao fim de uma seção do interrogatório o iquisidor dirigir aos advogados de defesa de reus presentes, todos delatores, se eles tinham alguma pergunta a fazer ao acusado.

    A resposta de todos, e não eram poucos, era: “não meritíssimo, nenhuma pergunta”. Isso para mim teve um outro significado, o de que o juiz inquiria tão bem o acusado, como se fosse esse o seu papel, que era totalmente dispensável a presença de advogados de defesa de outros réus, bem como da promotoria.

    Na próxima audiencia, Moro pode dispensar as duas outras partes e dizer; deixa que eu chuto. 

     

  3. Possivelmente? Os documentos
    Possivelmente? Os documentos são falsos, tentaram exatamente o mesmo golpe na audiência anterior.

  4. Essa perseguição política não ficará impune…

    Enquanto isso, em Curitiba, ontem, tivemos mais um discurso que vai entrar para a história.

    Tentei publicar uma imagem, mas nas duas tentativas, fui bloqueado.

    Quem quiser ver que visite a seguinte página ( nos comentários): http://www.romulusbr.com/2017/09/lula-em-curitiba-mesmo-jogando-em-casa.html

    Com o devido crédito ao Des.

    Martin Luther King está para os direitos civis, assim como Lula está para os direitos sociais.

  5. Lula em Curitiba: mesmo jogando em casa, Moro fica na retranca

    Lula em Curitiba: mesmo jogando em casa, intimidado, Moro fica na retranca

    Por Romulus

    – Moro buscou, com a postura defensiva, evitar (novos) gols (humilhantes) de Lula – no campo do adversário.

     

    – Lula nos ouviu?

    – Parecia que sim:
    “Pintou-se para a guerra”…
    Deixou guardado no armário o “Lulinha paz e amor”…
    O “ex-Chefe de Estado”… olímpico… au-dessus de la mêlée… de “boa vontade”… que “confiava e cooperava com a Justiça”…
    Na… “busca pela verdade dos fatos” (!)

    – “É guerra!”

    – Ao final, ficamos com um zero a zero.

    – “Zero a zero” tenso, contudo: um time claramente na retranca e outro mostrando os dentes.

    *

    O novo embate entre Lula e Moro foi diferente do primeiro. Isso porque ambos mudaram os respectivos “esquemas táticos”.

    Lula aposentou o “futebol-arte”, dos “contra-ataques” espirituosos, com sorriso de canto de boca, baseados no (seu incontestável) “talento individual”.

    Chegou de cenho cerrado, colocações firmes, por vezes indignadas (beirando a exaltação), e assim se manteve até o final.

     

    LEIA MAIS »

     

  6.  
    Só um possível respaldo

     

    Só um possível respaldo internacional (dos EUA ?) daria tanta certeza de impunidade aos agentes estatais brasileiros envolvidos nessa chamada lava jato (MPF e juiz Moro).

  7. Documentos apócrifos?

    Mas esses moleques da força-tarefa não cansam de fazer cagadas?

    Muita força pra pouca tarefa, pelo visto.

    Não bastasse condenar sem provas, agora os caras deram pra inventar provas? Falta vergonha na cara, no mínimo.

    • documentos….

      Como somos amadores, principiantes, varzeanos,… “Cachorro atrás do rabo”.É o melhor exemplo do Brasil. O Lula está sendo víitima. Isto é claro e transparente. Pode ter todas as culpas e erros. Mas até agora não mostraram nada, fora suposições. Estão usando o Judiciário para tirá-lo do Jogo Politico. Vai de frente ao Moro, que não é Promotor Público mas faz acusações (pode?),contra alguém que irá julgar (não é pré-julgamento?).Mas não deixa de ser divertido, ver a esquerdopatia sofrendo do mesmo veneno que usava. Acusações vazias contra Paulo Maluf. Perseguição implacável sem provas. Uso do Estado para perseguição política e vingança. Promotoria do Estado de SP, passou 3 anos na Europa, com tudo pago por nossos bolsos, para encontrar exclusivamente algo contra o Governador. Não viu os milhares de brasileiros de governos petistas e tucanos, com residência na Europa, administrando dinheiro de Mensalões, Trensalões, Privatarias, Petrolões ou Merendões. Isto não enxergaram. Mas acharam a cópia de um fax, que o Governo e Judiciário Suiço, não atestavam a autenticidade, para pedir a prisão de Paulo Maluf. Coincidência? Alguma semelhança?  “Cachorro atrás do rabo”. Somos de um provincianismo tosco.     

      • Esquerdopata, meuzovo!
        Maluf está até hoje na lista vermelha da Interpol, a relação dos criminosos mais procurados de todo o mundo, por algum motivo. No entanto, nunca soube que teve seu direito a livre defesa ou a presunção de inocência ameaçados por algum juiz.

        Outra coisa: sou de esquerda e isso não é doença. É um direito que exerço com orgulho. E viva Lula, Dilma, Haddad, Dirceu, Genoíno, Cuba, Venezuela e Foro de São Paulo. E Corinthians.

          • Olha só

            Juro que nunca entendi você Ze sergio.

            Você não conhece outro vocábulo, a não ser esquerdopata.

            Disse ao outro comentarista do seu texto que pelo menos súade ele tinha.

            O seu maior problema é associar patologias a adjetivos, e fica nesse discurso monocórdico enfadonho.

            Vira o disco cara, que saudável você não é.

            A sua generalização é burra, cretina.

            Usar Maluf como exemplo é a coisa mais hilária que já vi.

            Só falta você defender o rouba mas faz.

            Seguramente você não é um cara sério.

            Ah! Nem sei porque estou gastando vela com defunto ruim.

            XÔÔÔÔ.

             

          • olha só….

            Liberte-se do cabresto da doutrinação. Pense fora da caixinha. E fora ler os textos,procure compreendê-los. Defendo a Democracia, a Liberdade e a Justiça.

    • geralmente afirmam algo que não foi dito…

      por qualquer uma das partes

      ( no popular: documento “oficial” para pegadinhas )

      geralmente, quando fabricados, o julgador, e uma vez formada a sua convicção, não se preocupa com a produção legal de outros

      fabricados são para perturbar depoimentos, e documentos, favoráveis à defesa

      entram, gerlamente apenas da boca pra fora, para quebrar a coerência lógica dos favoráveis

      é crime

      se for como justiça particular

  8. Procuradores usaram documentos possivelmente falsos

    O juiz que PERMITE o uso de DOCUMENTOS SUSPEITOS de serem FALSOS em um interrogatório é PARCIAL, DESONESTO ou os DOIS?

  9. A defesa do Lula tem que

    A defesa do Lula tem que questionar que para o filme da lava-jato liberaram a filmagem da coerção na casa do Lula.. então nesta filmagem deve aparecer quem( qual o policial ) entrou no quarto,com o que saiu na mão , se tinha sacola, como recolheu, inclusive quem pegou os tablets dos filhos. Identificando as pessoas pode ser que se tenha alguma conclusão.Agora assim como liberaram parao filme seja liberado para defesa do Lula essa filmagem ( que seria  apocrifa).

  10. De processo em processo
    De processo em processo contra Lula, a justiça do Feudo de Curitiba inova: agora aceita que sejam anexados aos autos processuais documentos sem assinatura e de origem no mínimo duvidosa, retarda o despacho solicitado pela defesa no sentido de mandar periciar tais documentos e ainda permite que o próprio juiz procurador, uma aberração jurídica mundial, e demais procuradores se utilizem desses mesmos documentos para inquirir o denunciado. Juiz procurador é uma personagem que ressurge vinda lá da Era Medieval, quando Senhor das Terras acusava e ele mesmo julgava os inimigos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome