Relatório da ONU demonstra que níveis de gases de efeito estufa atingem recorde histórico

Para ativistas ambientais, legisladores e cientistas o evento de 31 de outubro a 12 de novembro será uma oportunidade importante e até crucial para compromissos concretos com as metas estabelecidas no acordo de Paris. Quase 200 países participarão da cúpula.

Reprodução

Jornal GGN – As concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera atingiram um novo recorde em 2020, alertou a agência meteorológica das Nações Unidos, enfatizando o agravamento do aquecimento global.

O relatório anual da agência da ONU mostrou que os níveis de dióxido de carbono subiram para 413,2 partes por milhão em 2020, aumentando acima da média anual na última década, apesar da queda temporária nas emissões durante os bloqueios da pandemia de Covid-19.

Segundo o relatório, as concentrações de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, os gases que estão aquecendo o planeta e desencadeando eventos climáticos extremos, estavam acima dos níveis da era pré-industrial de 1750, quando as atividades humanas começaram a perturbar o equilíbrio natural da Terra.

Petteri Taalas, secretário-geral da OMM, alertou que a taxa atual de aumento dos gases de efeito estufa resultaria em aumentos da temperatura muito acima de 1,5° C, acima da média pré-industrial e meta estabelecida pelo acordo climático histórico de Paris em 2015. “Estamos muito fora do caminho”, disse Taalas, “precisamos revisitar nossos sistemas industriais, de energia e transporte e todo o modo de vida”, acrescentou.

Para ativistas ambientais, legisladores e cientistas o evento de 31 de outubro a 12 de novembro será uma oportunidade importante e até crucial para compromissos concretos com as metas estabelecidas no acordo de Paris. Quase 200 países participarão da cúpula.

O relatório divulgado nesta segunda mostrou ainda que os níveis de dióxido de carbono continuaram a aumentar em 2021. E trouxe as preocupações sobre a capacidade do oceano e da terra de absorver cerca de metade das emissões de dióxido de carbono, alertando que tais emissões podem ser menos absorvidas devido às temperaturas mais altas da superfície do mar e outros fatores.

As emissões de dióxido de carbono feitas pelo homem, que resultam principalmente da queima de combustíveis fósseis como petróleo e gás ou da produção de cimento, equivalem a cerca de dois terços do efeito de aquecimento sobre o clima.

Com informações da Al Jazeera e agências.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome