41 anos de Saudades de Pixinguinha

Por Laura Macedo

Pixinguinha saiu de casa (17 de fevereiro de 1973), em plena folia carnavalesca, para participar de um batizado na Igreja de Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, e faleceu vitimado por problemas cardíacos.

Pesquisar a história de Pixinguinha equivale a um mergulho profundo nas raízes da Música Popular Brasileira e, ao emergir, constatar que a tradição da nossa música só pode ser verdadeiramente estudada e compreendida se considerada em pelo menos duas grandes fases, ou seja, antes e depois do genial Pixinguinha.

Os compositores Moacyr Luz e Paulo César Pinheiro, admiradores de Pixinguinha, compuseram em sua homenagem “Som de Prata”. E que bela homenagem!

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Um pequeno gigante nos deixa deixando um rastro de exemplo de vida, por Rogério Maestri

9 comentários

  1. Eles disseram tudo

    Moacyr Luz e o incrível Paulo César Pinheiro disseram tudo sobre o nosso Santo Pixinguinha. E, de quebra, mais dois vídeos ‘massa’ do Pixinga!

    Pixinguinha merece ser lembrado – e ouvido – todos os dias.

    Beijos.

     

    • Motivação

      Amigo Luciano,

      Eu tinha certeza que você não ia perder a festança do Pixinguinha. O vídeo enviado motivou-me a dar continuidade a série: “Paulo César Pinheiro – Histórias das minhas canções” (atualmente com quatro posts publicados). Como estou com a agenda pessoal/trabalhos lotada, vai demorar um pouquinho, mas garanto que eu fazer.

      Grata por todos os vídeos postados.

      Abraços.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome