Jornal GGN – Ao que tudo indica, a Globo decidiu declarar guerra ao site The Intercept Brasil nesta quarta (12).

De um lado, a emissora divulgou uma nota levando o embate com Glenn Greenwald para o campo pessoal. De outro, o jornal O Globo produziu uma reportagem, com a ajuda da Polícia Federal sob Sergio Moro e dos procuradores da Lava Jato, insinuando que todo o “coração” da operação foi vítima de um ataque hacking “muito bem planejado”, ao custo de milhões de dólares, com direito a envolvimento de russos no enredo.

A narrativa criada pela Lava Jato tenta tirar Sergio Moro e Deltan Dallagnol do centro das atenções. Jornalistas dos Intercept, de fato, confirmaram que muitas pessoas foram atingidas pelo vazamento.

Mas uma das principais questões que Globo omite de seus leitores é que em nenhum momento o Intercept expôs detalhes de como sua fonte (mantida em sigilo) obteve o material que compõe um dossiê superior, em volume, ao caso Snowden.

Foram Moro e Dallagnol que, em defesa própria, sacaram primeiro a história do “ataque criminoso” para tangenciar o mérito das conversas reveladas pelo Intercept. .

Agora, Globo e outros portais da grande mídia aliadas da operação – como o Estadão e O Antagonista – forçam ligações entre o ataque hacking e o vazamento ao Intercept.

E a nova narrativa publicada Globo é cinematográfica:

“Em meio à crise deflagrada pelos ataques, procuradores discutem entre si as mais variadas teses sobre as origens dos ataques. Alguns levantam suspeitas até sobre invasões de origem russa, o que não está comprovado”, afirma o diário.

O ATAQUE “MUITO BEM PLANEJADO”

De acordo com O Globo, o ataque foi “muito bem planejado” não se limitou a Moro e Dallagnol, entre outros procuradores de Curitiba, mas chegou também a outros nomes da Lava Jato, como a juíza Gabriela Hardt, que condenou Lula no caso Atibaia.

O desembargador Abel Gomes, relator da Lava Jato na segunda instância do Rio de Janeiro, o juiz Flávio de Oliveira Lucas (RJ), o ex-procurador-geral Rodrigo Janot e dois assessores mantidos sob anonimato também estão na lista.

Leia também:  Witzel diz que mandaria um míssil na Cidade de Deus para "explodir aquelas pessoas"

Assim como os procuradores Paulo Galvão, Thamea Danelon, Ronaldo Pinheiro de Queiroz, Danilo Dias, Eduardo El Haje, Andrey Borges, Marcelo Weitzel e um jornalismo de O Globo.

Os procuradores do Rio, segundo O Globo, conseguiram evitar a invasão porque tinham “controles mais rígidos”.

O Globo dá a entender, com a reportagem, que levantou todas as ocorrências sozinho.

Mas há a informação de que alguns casos são investigados nos 4 inquéritos da Polícia Federal, divididos entre dois grandes grupos de investigação que atuam em 4 cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba.

Na tarde desta quarta (12), o site BR18, abrigado pelo Estadão, revelou uma suposta invasão em um grupo de procuradores do Conselho Nacional do Ministério Público.

O suposto hacker usou a conta do procurador militar Marcelo Weitzel para tirar sarro da situação da Lava Jato. Globo diz que o mesmo suposto invasor teria entrado em contato com José Robalinho, ex-presidente da Associação Nacional de Procuradores, se passando por Weitzel.

O hacker em questão teria se declarado um simples profissional de TI que não tem dificuldade de invadir qualquer celular, e afirmou que era responsável pelos vazamentos. Sua motivação seria que a sociedade brasileira e o próprio Judiciário deveriam conhecer o que ocorreu nos bastidores da Lava Jato.

A INVESTIGAÇÃO OFICIAL

Sobre o ataque hacker, a PF tem 4 inquéritos em andamento, e a PGR também abriu um procedimento para acompanhar os federais.

Ontem, a Folha publicou reportagem sobre como funcionam ataques desse tipo e explicou que seriam relativamente baratos, o que gerava a preocupação de que fossem disseminados mais facilmente.

Leia também:  Glenn Greenwald sobre #VazaJato: muito em breve terá mais

Agora, O Globo vem com a teoria de que poderosos estariam por trás, pois “as suspeitas iniciais [na visão da PF de Moro] apontam para um mandante com capacidade financeira para bancar o esquema aparentemente sofisticado de ação.”

“Uma das hipóteses é a de utilização de equipamentos que custam entre US$ 2 milhões e US$ 3 milhões, segundo uma fonte da cúpula da PF ouvida pelo GLOBO. Há diversas empresas sediadas no leste europeu e no Oriente Médio que oferecem estes serviços por esses valores.”

A hipótese, contudo, não casa com a chacota do hacker que se passou pelo procurador Weitzel.

O ATAQUE PESSOAL DA GLOBO

Em outra frente, a Rede Globo divulgou uma nota à imprensa que leva a discussão com Glenn Greenwald – que tem criticado duramente a grande mídia pela cobertura acrítica da Lava Jato nos últimos anos – para o plano pessoal.

Em resposta a uma entrevista do editor do Intercept à Agência Pública, a emissora revelou o suposto bastidor de uma suposta tentativa de negociação de Greenwald para compartilhar o conteúdo do dossiê.

Globo acusou Greenwald de ter oferecido parceria na divulgação de uma “bomba” (ele não deu detalhes da pauta), mas antes queria saber se a emissora guardava contra ele alguma informação da época em que atuaram juntos no caso das invasões da NSA.

Segundo a nota, a aparição de nome de agentes americanos numa reportagem veiculada na Globo colocou a segurança de Greenwald em risco, porque o governo dos EUA poderia ter pedido sua prisão. Para evitar isso, a emissora admitiu sozinha a responsabilidade pela publicação da reportagem. Foi o que, segundo a nota, salvou Greenwald.

Leia também:  "Estarrecedor", diz defesa de Lula sobre Moro e MPF tramarem ataque na mídia

O jornalista do Intercept ainda não se manifestou sobre a nota.

Leia a nota completa aqui.

A IRONIA DO DESTINO

Não deixa de ser irônico que Moro e a Lava Jato – que passaram cinco anos vazando delações premiadas (inclusive as que não estavam homologadas) e informações seletivas e, às vezes, não devidamente apuradas à imprensa – agora se escondam atrás do vazamento e de um caso de ataque hacking para tangenciar a discussão do mérito das acusações feitas pelo Intercept.

O site já divulgou 3 matérias e 1 editorial expondo provas (conversas em chats privados e grupos de procuradores) do conluio entre o ex-juiz e o Ministério Público.

Essas provas podem não servir para punir a força-tarefa e o hoje ministro da Justiça, mas servem, em tese, para derrubar sentenças. Como a do caso triplex, contra Lula.

Greenwald, na entrevista à Agência Pública, também indicou que a relação promíscua da Globo com a Lava Jato também seria exposta.

Cenas dos próximos capítulos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. A Globo, da mesma forma q Diogo Mainardi, está “passando recibo. Está usando todos os seus recursos pra emplacar uma narrativa mentirosa. Conseguirá ?

  2. Esta emissora de tv, sempre esteve na aba do poder, não é atoa que Brizola falava que tiraria a concessão desta emissora, sempre agindo as escondidas, tentando se passar por ética, mas não tem esta moralidade, quando é questionada, sempre vem com sua ladainha de autera, mas no fundo, não faz um jornalismo de informação e sim de manipulação, já está manjada, continua escostada nos governos por verbas publicitárias.

    8
    1
  3. Ao que tudo indica, tal reação já seria esperada, como mostra artigos anteriores do próprio GGN.
    O esperneio global, no entanto, pode ter efeitos nas instituições nacionais e sobre o próprio eleitorado bolsonarista. Não na opinião pública internacional. Muito menos sobre as implicações legais do que foi denunciado. Menos ainda sobre a credibilidade do Greenwald ou do TIB.
    Glenn está livre no momento de qualquer pressão, exceto a de ameaça física contra si e seus entes queridos. A reação desta elite do crime, na minha opinião, é a nêmesis do autoritarismo genocida proverbial que sempre agiu neste país. Por mais conservador que seja um governo, quem deseja ter esta corja como parceira em algum lugar do planeta? Trump, Maccri? Eles também são representantes da bestialidade do capitalismo predatório que não poupa a ninguém sob o alcance de suas garras.
    A Lava-jato tá fu. O Bolsonaro tá fu. E esta elite empresarial, midiática, judicial… tá tudo fu fu fu.
    Dominaram tudo até chegarem no topo do poder. Tá tudo dominado desde que a omissão diante deste mesmo quadro permitiu sua instalação e expansão a partir das periferias do país. O que se faz numa favela é e-xa-ta-men-te a mesma coisa, e tudo passou impunemente graças à falta de combatividade e ao pragmatismo esquerdista que insistiu em jogar o autoritarismo contra os mais frágeis pra debaixo do tapete, fazendo coro ao discurso criminalizador apregoado pela classe média e seus representantes governamentais nos Estados. A fervura cresceu de baixo e começou a cozinhar a nata.
    Que venha a ruptura, porque quem depende mais do Estado de Direito é o pobre, que nunca foi beneficiado pela “malemolência” institucional, o jeitinho.
    Depois desta tempestade, nada de bonança. É preciso limpar o terreno, tirar o barro, secar o colchão. Só depois, se poderá pensar em deitar no berço esplêndido.

    10
    3
  4. Tá ficando bom. Que a hipócrita globo continue a espernear sobre sua cova e da famigerada conspiração que se transformou esta tal lava-jato.
    Quanto mais se sapateia na sepultura mais se adensa a terra sobre o caixão.

    8
    1
  5. Obstrução de justiça?

    Estariam, Globo, Sérgio Moro e outros praticando obstrução de justiça?

    Não acredito. São todos gente de bem.

    Ah… desde que começou o caso não vi nenhum artigo de Bernardo Mello Franco. Seu último artigo, pelo o que consigo identificar neste momento, foi publicado no dia 09 às 08:45, portanto antes da divulgação da sequência de artigos de Glenn Greenwald.

    Em um assunto tão polêmico não é esperado que o jornalista mais sereno daquele aquário esteja se omitindo.

    Não é do feitio de Bernardo Mello Franco.

  6. A globo sempre usou de seu poder para imperializar e criar desmandos sobre o país. Cerceou e impediu CPIs contra si: NEC, aFundação Roberto Marinho entre outras. O FBI com a história da FIFA chegou perto até que o J. Hawila morreu. Nada chegou tão perto e promete ser demolidor quanto as coisas do The Intercept. Acostumada a dar as cartas, agora tem de esperar os lances. Tem de se preocupar com o “russo” seu sócio e cúmplice na leva jettons e quando começar a sair seus podres, a mistureba do esgoto vai cheirar mal a beça.

  7. Pronto… finalmente a Rede Globo admitiu que faz um jornalismo tão bunda e rasteiro quanto os piores tablóides londrinos que adoram publicar manchetes escandalosas acusando os russos de tentar russificar a Inglaterra, a Europa, os EUA, a Rússia e até a Lua.

    8
    1
  8. Bateu o desespero na quadrilha da República de Curitiba, e seu braço midiático Globo e suas penas (voz) de aluguel. Alguém acredita na história do hacker que grampeou a conta do procurador militar Marcelo Weitzel? Não demora e eles vão acusar Putin de estar por trás da operação: ele apoia a Venezuela, o PT também apoia, então está aí a motivação do ataque à Lava Jato. Mas para quem enfrentou todo aparato dos serviços de informação dos EUA, o Glenn Greenwald tira de letra a nossa puliça federal.

    5
    1
  9. Espero as explicações de Glenn mas, conhecendo sua trajetória e a máquina de mentiras da Globélica, se ele tivesse algum rabo preso com a famiglia da mídia, este teria vindo à tona quando seu marido, David Miranda, deputado federal pelo PSOL, confrontou um dos herdeiros dos Marinho no jornal britânico The Guardian (https://theintercept.com/2016/04/25/joao-roberto-marinho-me-atacou-no-guardian-e-tentou-enganar-o-mundo-eis-minha-resposta/). E cá entre nós, por que Glenn ofereceria parceria a quem estava envolvido no esquema denunciado pelo site que ele representa? E para uma empresa que está na dianteira do Golpe que se arrasta, e com ele a todos nós para o buraco? Glenn é honesto e não é burro. Não li a nota – a Globélica apresentou provas ou está apenas vazando convicções?

    Sobre as “informações”, como chegaram tão rápido a tais valores e possíveis envolvidos no suposto hackeamento? Tentaram fazer o mesmo com as denúncias da jornalista da Folha de SP, Patrícia Campos Mello, sobre a eleição do Vergonhoso? De domingo pra cá já descobriram tudo isso? Foi vazamento ou hackeamento, rs? Eu gargalho.

    Glenn está tão acostumado com essa “narrativa” russófoba que vai pisar ainda mais fundo no que quer que ele tenha contra a emissora. É guerra! E a Globélica é tão sórdida que agir com ética com ela é quase um atentado contra a própria ética – mas, respirando fundo, destruí-la com honestidade é fácil e mais gostoso.

    Será que nesses arquivos tem a prova do que Nassif, mais que outros jornalistas, aventou sobre a Globélica ter feito, supostamente, um acordo com o MPF para abafar a investigação do caso Fifa e das denúncias da Suíça?

    Se a Globélica acusou o golpe corporativo, teremos um confronto épico. De um lado, uma emissora que é um aterro sanitário de conluio, golpes e histórias sempre mal contadas, desde sua fundação também mal contada. De outro, um jornalista que até hoje tem enfrentado inimigos poderosos e visto prevalecer suas posições, mesmo quando significou ser confundido como defensor do Trump por não aderir à ladainha da mídia USamericana de conluio eleitoral da sua campanha com os russos, criada para abafar as denúncias contra Hillary e a máfia do DNC (espécie de direção nacional do partido democrata).

    Este é o começo do fim da Globélica. E uma oportunidade para a mídia independente e progressista se consolidar no novo cenário da comunicação em tempos de hipervigilância nos estertores do imperialismo capitalista, que será erradicado para o bem de todos.

    Sampa/SP, 12/06/2019 – 21:18

    7
    1
  10. Me chama a atenção que, entre as hipóteses para o vazamento apresentadas pela Globo, não aparece a mais simples, que é de que os diálogos no grupo tenham sido repassados por um membro do próprio grupo. Em um conjunto tão grande de pessoas, algumas delas com notória experiência na área de traição e escamoteamento de ações. Pode ser que tenha, no meio, um que perceba aonde esta idiotice estava nos levando.

  11. o histórico do grupo globo é de notório
    golpismo e de típico defensor dos interesses
    anti-populares e da política de exclusão social….
    como as inventadas na lava-jato….
    vide república do galeão – suicídio de vargas.
    e tb o golpe de 64, evidente apoio em editoriais do o globo….
    e posteriores apoios da tevê da ditadura….
    e agora no mensalão, agitações de 2013,
    golpe contra a dilma e lula,
    etc e etc
    e põe etc nisso!

  12. Vou ajudar a globo, pq as desculpas estão ficando cada vez piores; foi um ET, ardiloso, disfarçado de garçom. Pronto.

  13. Pessoal, não é só a Globo, todos os veículos de comunicação, em maior ou menor grau, deturpam a narrativa para, no fim das contas, o que realmente interessa, que são os fatos, não estarem no centro das discussões. No máximo o que poderia estar se colocando em cheque, seria a autenticidade das informações. Uma vez que isso não está sendo colocado em voga, tudo o mais é cortina de fumaça, para se tentar preservar as imagens da Lava-Jato e, principalmente, do bonequinho Moro, o super ministro fanfarrão, serviçal da América. Todos somos “grampeados” hoje em dia. Há ainda alguém que duvide disso? Snowdem não foi o bastante? Essa é a nova ordem mundial, ou não? Conectividade total. Sobre os meandros desse sistema, nenhum meio de comunicação de massa se dispõe a esmiuçar.

  14. A Globo sempre foi uma empresa que não mede esforços para a manutenção do seu domínio,e claro,dos seus lucros à qualquer preço .E desde o golpe de 64 onde a mesma deu o seu aval aos militares,num jogo de interesses e vantagens para ambos,a “distinta” emissora dita os rumos da nossa política,economia e sistema como um todo.
    A poderosa máquina de manipulação e destruição de reputações que esta emissora representa,não mediu esforços quando percebeu a instabilidade do governo Dilma,a falta de apoio até mesmo dentro de seu partido,as brechas que ela foi deixando por não saber desgrudar de Lula e caminhar sozinha etc.E daí em diante foi usando todos os artifícios para que o seu monopólio se mantivesse no controle.Nas eleições de 2014 ,não só a Globo ,mas também uma parte do sistema midiático nacional ,não fizeram cerimônia ,sequer disfarçaram que já haviam escolhido “eleito” o player perfeito pra governar o Brasil ,e este era Aécio Neves …Mas não foi daquela vez ainda que ela realizou o seu desejo de alçar um tucano ao poder ,e mais uma vez a emissora jogou pesado com um jornalismo de guerra ,apelativo e uma voracidade típica de uma fera ,pois era preciso derrubar a Dilma de qualquer jeito.
    O mecanismo de persuasão da emissora trabalhou intensamente para ver seus planos se concretizarem e não foi difícil fazê-lo ,afinal num país com um imenso número de eleitores de memória curta e de gritante ignorância política,não seria difícil pra ela derrubar alguém que ameaçava seus lucros !!! A grande verdade é que hoje vendo o sujeito “dito-cujo” que foi eleito ,não é difícil entender e traçar um paralelo desde o golpe de 2016 ,até os dias atuais em que o país se encontra nas mãos de quem está .
    A operação Lava Jato na verdade nunca teve ou sequer foi idealizada para eliminar a corrupção,muito pelo contrário ,a mesma foi e é sim uma farsa tremenda com propósitos dos mais sórdidos e único foco de atingir à um só partido ou grupo político ,com ênfase em Lula é claro.E agora com as revelações bombásticas do site The Intercept ,é óbvio que a Globo vai criar toda uma narrativa utópica e atacar de forma implacável à todo e qualquer um que ouse macular a imagem de pureza e status de semideus ,que ela construiu sobre seus meninos de bem da liga da justiça tupiniquim “Moro e Cia Ltda” …

  15. Percebi que no JN de ontem a Globo tocou no tema com mais profundidade pela primeira vez. Inicialmente veio com a história do hacker para somente após revelar alguns diálogos. Como eles podem afirmar que foi um hacker se a fonte não foi revelada pelo The Intercept? O mais importante não foi dito no JN: as principais figuras envolvidas, Moro e Dallagnol, não desmentiram de cara os diálogos revelados, vieram apenas com a história da ilegalidade na obtenção da notícia. A Globo joga pesado contra quem, de alguma forma, revela a podridão em que ela está afundada! Vá em frente The Intercept e revele toda essa podridão de Curitiba à população que é, ao final, a destinatária da notícia. Deixem os cachorros rosnar e latir a vontade!!

  16. A mídia russa não considera um crime divulgar publicamente a evidência de atividades anti-constitucionais de Moro, especialmente se a publicação ajudar a reduzir os crimes em andamento.
    A mídia não comenta relatos de possível envolvimento na invasão de “hackers do Kremlin”, mas eles admitem que os serviços especiais russos poderiam receber a correspondência de Moro de hackers independentes e passá-la para jornalistas brasileiros. Os jornalistas acreditam que a Rússia tem o direito de retaliar após as detenções arbitrárias em massa de cidadãos russos em Manaus em 2016 (no mesmo dia da publicação na “The Intercept”) cujos dispositivos foram hackeados pela polícia federal sem bases legais adequadas. https://cont.ws/@cplcrb/1356869

  17. Sāo muito sem vergonha os canalhas da rede globo de falcatruas. É incrível retornarem com o lenga lenga do ”OURO DE MOSCOU” passados mais de meio século de validade de tais lorotas. Ah! Vão à merda e levem os cretinos, moro, o pastor Danoninho e demais membros da comandita.

    Orlando

  18. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome