José Roberto Guzzo é afastado da Veja

A revista se negou a publicar artigo em que criticava ministros do STF e fazia ‘ameaças veladas’ sobre resultado da votação de prisão após segunda instância.

Jornal GGN – O jornalista José Roberto Guzzo, contumaz defensor de Jair Bolsonaro, foi afastado da revista Veja. A revista se negou a publicar artigo em que criticava ministros do STF e fazia ‘ameaças veladas’ sobre resultado da votação de prisão após segunda instância. O articulista celebrou assim o seu afastamento após 51 anos de colaboração, sendo colunista desde 2008.

Em sua carta de despedida, Guzzo afirmou que, como a Veja se recusou a publicar sua coluna com as críticas, ‘exerceu o seu direito de não levar a público algo que não quer ver impresso em suas páginas. A partir daí, em todo caso, o prosseguimento da colaboração ficou inviável’.

Leia a íntegra de sua carta de despedida.

“Caros amigos

Desde ontem, 15/10/19, não sou mais colaborador da revista “Veja”, na qual entrei em 1968, quando da sua fundação, e onde mantinha uma coluna quinzenal desde fevereiro de 2008. A primeira foi publicada na edição de 13/02/2008. A partir daí a coluna não deixou de sair em nenhuma das quinzenas para as quais estava programada.

Na última edição, com data de 16/10/19, a revista decidiu não publicar a coluna que eu havia escrito. O artigo era sobre o STF, e sustentava, como ponto central, que só o calendário poderia melhorar a qualidade do tribunal — já que, com a passagem do tempo, cada um dos 11 ministros completaria os 75 anos de idade e teria de ir para casa. Supondo-se que será impossível nomear ministros piores que os destinados a sair nos próximos três ou quatro anos, a coluna chegava à conclusão que o STF tende a melhorar.

A liberdade de imprensa tem duas mãos. Em uma delas, qualquer cidadão é livre para escrever o que quiser. Na outra, nenhum veículo tem a obrigação de publicar o que não quer. Ao recusar a publicação da coluna mencionada acima, “Veja” exerceu o seu direito de não levar a público algo que não quer ver impresso em suas páginas. A partir daí, em todo caso, o prosseguimento da colaboração ficou inviável.

Leia também:  Grupo Globo terá novo turno de demissões

Ouvimos, desde crianças, que não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe. Espero que esta coluna tenha sido um bem que não durou, e não um mal que enfim acabou. Muito obrigado.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. Nem em consultório de dentista tem mais Veja , o pessoal fica no Zap …
    Bolsonaro de certa forma movimenta o mercado de jornalistas …

  2. Nassif: a saída desse “pensador” da referida revista vem preencher uma lacuna no jornalismo. Era um mal com prazo de validade vencido.

    8
    2
  3. Que os próximos ministros do STF devam ser melhores que os atuais, isto não é pedir demais.
    Afinal Fux, Lucia Helena, RWeber, LRBarroso e Toffoli, ao lado de de CMello formam um sexteto, um time de vôlei judicial perfeitamente dispensável.
    Quanto à opinião de todos aqueles que se mostram favoráveis à prisão em 2ª instância, eu sempre pergunto – “E se o condenado fosse um parente seu, filho, pai, irmão, estaria certa a aplicação da condição? Como se trata de 2ª instância, e se o tal parente viesse a ser devidamente inocentado mais adiante, a tal prisão ainda teria sido justa e por qual motivo? Quanto custa $$, como se calcula o valor para o período que uma pessoa ficou presa injustamente?” Até hoje, ninguém conseguiu responder corretamente à pergunta, os mais cínicos alegam que a família dele é perfeita e nunca acontecerá nada disto, esquecendo-se que uma delação equivocada pode colocar qq um atrás das grades.

  4. Vejam vcs: um.canalha q conviveu harmoniosamente com Ditadores, Torturadores e Assassinos, de 1968 ate a redemocratizacao, falando em liberdade de imprensa.
    Este escroqui, que itilizou sua amnesia seletiva durante decadas, nao contribuiu com um tijolo para a democracia brasileira.
    Ele é da turminha dos “homens de bem”

  5. Não é do meu feitio destratar pessoas,no caso de idades avançadas,com sintomas de senilidade,demência,amnésia,caduquice,decrepitude,etc,etc.Devemos sempre respeitar os mais velhos.

  6. Tentando novamente. Parece que há um filtro para as postagens.
    Lendo esses comentários, quanto raciocínio idiota, país está infestado por ignorância ou picaretagem; quando não os dois.
    Lamentável.

    • Geralmente não desejo o mal a pessoas idosas… Mas só digo: Já vai tarde sua múmia autoritária.

      Não captei sua mensagem: você está achando que as críticas ao Guzzo aqui estão muito pesadas ou leves? Particularmente Guzzo, que tive o desprazer de encontrar uma vez na minha vida, sempre foi uma figura que me causava engulhos. Ignorância por qual razão???

  7. Pra variar vocês estão mal informados. Li o artigo que não foi publicado. Ele não fala nada sobre o julgamento em segunda instância e muito menos faz ameaças veladas

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome