Liberdade para Ednalva!, por Eleonora Menicucci

Hoje fomos, Denise Dau, Vivian Mendes, Débora Pereira, Juliana Cardoso e eu visitar a companheira Ednalva na penitenciária de Santana.

Liberdade para Ednalva! 

por Eleonora Menicucci

Hoje fomos, Denise Dau, Vivian Mendes, Débora Pereira, Juliana Cardoso e eu visitar a companheira Ednalva na penitenciária de Santana.

Vários filmes passaram em minha cabeça , lembrando dos quase 3 anos que fiquei presa durante a Ditadura de 64.

Ednalva estava serena, determinada , viscerando Coragem e Inocência.

Chorou ao contar que no ato brutal da prisão, lhe foi tirado seu filho de 14 anos.

Peguei fortemente em sua mão e contei: minha companheira, eu sei o tamanho de sua dor, pois já a senti quando tinha 26 anos e no ato brutal de minha prisão em 1971 arrancaram de meus braços, minha filha de 1 ano e 10 meses, a Maria.

Essa dor não acaba, se transforma, ressignifica ao longo do tempo. Se transforma em força para lutarmos pelos direitos humanos das mulheres e de todo o povo brasileiro.

Hoje sai de lá com mais força e mais certeza que estou do lado certo da História

Liberdade para Ednalva
Lula livre
Nenhuma mulher a menos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Wiphala, música e protesto: bolivianos e brasileiros colorem Avenida Paulista contra o golpe e o racismo

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome