A morte de Serginho Leite

Morreu meu grande amigo, grande músico, grande humorista Serginho Leite.

Era conhecido como humorista. Foi muito mais: um dos melhores músicos que conheci, excepcional sete cordas, grande cantor, dono de um carisma enorme e de uma inteligência musical como poucos.

Conheçomo-nos no Bar do Alemão, nos anos 70. Cinco anos mais moço, Serginho chegou ao bar quando estava sendo montada a formação de choro que povoou o ambiente naquele período: Nelsinho do Cavaco, Dagô no Pandeiro, Heraldo no violão, cantores como Tina e Jorge, eu no Bandolim.

Foram noitadas inesquecíveis, principalmente devido à exuberante alegria de Serginho, capaz de puxar sambas, imitar João Nogueira, Jamelão, Clementina.

No final dos anos 80, produziu provavelmente o melhor show humorístico da década, em cima de um texto de Luiz Romagnolli. Infelizmente a temporada terminou com o incêndio no Tuca. Também participou da fase mais brilhante do Show de Rádio da Jovem Pan.

Serginho pegou os principais quadros e passou a fazer shows em convenções de empresas. Ainda chegou a manter alguns programas de rádio depois disso.

   Há tempos estava doente, necessitando de um transplante de fígado. Um infarto abreviou sua agonia.

O velório será no cemitério do Araçá, após às 22 horas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome