As noventa primaveras de D’Alva Stella, a Estrela da Manhã, Estrela D’Alva

D’Alva Stella Nogueira Freire nasceu em 08 de janeiro de 1924, na aprazível Jaguaruana, município cearense localizado no Vale do Jaguaribe, sendo filha do Maestro Joaquim Ribeiro Freire e da Sra. Adelaide Nogueira Freire.

Aos três anos de idade passou a residir na cidade de Mossoró, tendo em vista que seu pai assumiu a regência da Banda de Música daquele município, a convite do Prefeito Rodolfo Fernandes. Além de regente, seu pai fundou uma Escola de Música, onde D’Alva Stella recebeu seus primeiros ensinamentos musicais, tanto através de seu pai e irmãos, todos dedicados a instrumentos de sopro, quanto de músicos amigos que frequentavam a Escola que funcionava em sua própria residência.

Passou sua juventude entre as cidades de Mossoró e Natal, onde estudou Música, tendo como professor de Canto e Teoria Musical o Maestro Waldemar de Almeida. Viveu nessa aura musical até 1948, transferindo-se então para a capital potiguar,iniciando suas atividades no magistério. Ali lecionou Música e Canto Orfeônico na Escola da Base Aérea de Natal até o ano de 1950, quando voltou a Mossoró e assumiu a cadeira de Música da Escola Normal de Mossoró.

Em Mossoró participou efetivamente do movimento musical da cidade, tanto através do magistério quanto do Movimento de Ação Católica, fundando a Orquestra Feminina D’Alva Stella, formada por senhoras e senhoritas da sociedade mossoroense, sempre com bastante sucesso. O Conservatório de Música daquela cidade denomina-se Conservatório de Música D’Alva Stella Nogueira Freire.

Leia também:  Sobrevoo, o novo CD de inéditas de Rodrigo Bragança e Banjamim Taubkin

Em 1958 transferiu-se para João Pessoa onde estudou Canto Orfeônico, curso hoje equivalente à Licenciatura Plena em Música.

Em 1960 transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde especializou-se em História e Estética da Música; Didática do Som e Folclore Musical, no Conservatório Nacional de Canto Orfeônico.

Como sua família havia fixado residência em Fortaleza, D’Alva Stella optou também por nossa capital, onde já veio convidada pelo Maestro Orlando Leite para integrar o corpo docente do Conservatório de Música Alberto Nepomuceno. Exerceu paralelamente o Magistério no Instituto de Educação do Ceará.

Em 1966, quando da idealização e implantação do Curso Superior de Música participou efetivamente dos trabalhos para a realização de tão grande empreendimento, sob a orientação do Maestro Orlando e a participação conjunta das professoras Luiza de Teodoro e Elba Ramalho Braga. Ali lecionou Folclore; Ritmo e Voz; História da Arte; História da Música; Organologia; Evolução da Música Brasileira e Técnica Vocal. O Curso de Música foi reconhecido em 1980 pelo Ministério da Educação e é vinculado à Universidade Estadual do Ceará.

Estudou ainda Canto com Leilah de Carvalho Costa; Orlando Vieira Leite e Aedda Moreira. Em seguida teve estudos mais aprofundados com o Dr. Wyatt Parker, professor americano, PHD em Voz e Canto, quando teve oportunidade de ter uma visão aprofundada dessas matérias. Estudou regência com o Maestro Orlando Leite e Hans-Joachim Koellreutter, aplicando esses ensinamentos como regente do Coral do Estado do Ceará, Coral de Câmara do Ceará e Coral da Universidade de Fortaleza (UNIFOR), por um período de 30 anos.

Leia também:  DOMINGUEIRA GGN: Paulo Belinatti, um dos grandes do violão

Musicou a Elegia Cearense, do poeta Arthur Eduardo Benevides e fez seu arranjo para coral, estando referida peça registrada como Salmo Cearense, no LP Cancioneiro do Ceará. Gravou o LP SONS DA TERRA DO SOL, em parceria com a Pianista Nízia Diogo Maia, escolhendo para compor o disco, peças inéditas e manuscritas, registrando-as para a posteridade. Gravou ainda os CDs CANCIONEIRO DO CEARÁ, com o Coral do Estado do Ceará;  e CANTARES DO BRASIL, com o Coral de Câmara do Ceará.

Voz maviosa, nossa Estrela da Manhã dedicou-se à música durante toda a sua profícua vida, tanto através do magistério, quanto de suas atividades como regente, solista, compositora e arranjadora. É Membro da Academia Cearense de Música. Respeitada como musicista, nossa D’Alva Stella atinge suas noventa primaveras com a sensação do dever cumprido, com a certeza de que tornou o mundo melhor através da música que produziu e compartilhou , sem medo de ser feliz.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Mas que grande prazer eu

    Mas que grande prazer eu tenho, em poder cumprimentar a sra. D’Alva Stella em seu 90. jubileu!

     

    Tanto essa virtuosa maestrina fez para a música, para o canto, para a vida e o folclore cearense; tanto essa mulher significa para o nosso cancioneiro…

     Parabéns em nome dos músicos e  cantores, por sua dedicação e por podermos espelhar-nos em seu exemplo de profissionalismo e admirarmos a sua virtuosidade.

    Feliz Aniversário, Sra. D’Alva Stella, a nossa legítima “Estrela D’Alva”!

     

  2. Amigo Luciano, as vezes penso
    Amigo Luciano, as vezes penso que mais que um excelente advogado, vc é um bom historiador e biógrafo.

    • Amigo Franklin!

       

      A amizade que nos une faz com sejas um pouquinho (rsrsrsrsrs) parcial!

      Os dados biográficos da querida D’Alva Stella foram a mim fornecidos por ela própria, com riqueza de detalhes, datas e nomes, em uma agradável reunião  em sua residência, domingo passado. O mérito é dela e não meu. O primeiro vídeo anexado foi gravado naquela oportunidade ímpar. Confira-o e veja como é maravilhoso chegar-se aos noventa com lucidez e a sensação do dever cumprido. 

      À querida amiga D’Alva Stella, minha admiração e respeito!

      [video:http://www.youtube.com/watch?v=vJk_Zn6iUXI%5D

  3. 90 Anos da Dalva Stela

    Conhecí a Dalva Stela no Conservatório Alberto Nepomuceno, nos anos 60, quando por lá estudei e cantamos juntos no Madrigal da Universidade Federal do Ceará, regido pelo Maestro Orlando Leite.Viajamos por esse Brasil imenso, e, desde então acompanho o sucesso da querida amiga Dalva Stela , que posteriormente foi minha regente no Coral de Câmera do Ceará. Então, é uma satisfação imensa poder falar sobre ela, uma figura ímpar, do alto dos seus 90 anos, de uma lucidez impressionante e sabedoria acumulada pelos anos a fora. Parabéns ao amigo Luciano pela iniciativa de publicar um pouco da história dessa heroína da música do Nordeste, o que nos deixa muito felizes. Parabéns Dalva, parabéns Luciano.

    • E Paris?

      Esqueceste a memorável viagem à Europa, amigo Célio.

      Esqueceste também o sucesso que fizemos, através da D’Alva Stella e Repegá Fermanian e nosso Coral de Câmara na Embaixada do Brasil em Paris… Dos concertos em cidades da Bélgica e tantos outros mais… Saudade, querido amigo.

      Hoje relembraremos tudinho, tim tim por tim tim quando, apoís a Missa em Ação de Graças pelos noventa anos da D’Alva, nos reunirmos em “petit comité” para tomarmos umas geladinhas e tirar o gosto com picanha, que estamos magrinhos e precisando de gordura para restaurar nossas forças.

      Viva D’Alva Stella e Viva a Força da Amizade!

      luciano

       

  4. Olá Luciano! É belíssimo o

    Olá Luciano! É belíssimo o seu trabalho para com as recordações de D’alva Stella. Essa mulher é incrível e tão inspiradora. Estou honrado por tê-la conhecido pessoalmente e ter desejado felicidades segurando suas mãos.
    Sou um admirador há um bom tempo e graças a você eu pude escutar as gravações. Obrigado!

    Publiquei dois vídeos do aniversário:

    Alvarus Moreno cantando uma paródia que ele fez da música Bodas de Prata em homenagem a D’alva.
    http://www.youtube.com/watch?v=DbHdcCERgjk&feature=youtu.be

    e outro em que Alvarus e Auzeneide interpretam Amigos para sempre, simbolizando a longa e forte amizade entre eles e a aniversariante.
    http://www.youtube.com/watch?v=Anb6N3RjrNs&feature=youtu.be

    No canal, há também um vídeo da gravação que D’alva e Alvarus fizeram em 1979 do dueto da ópera Il Guarany.

    Espero que goste 🙂

    Um grande abraço!
    E parabéns.
     

  5. Parabéns

    Tive o previlégio de ser aluno dessa grande professora por volta de 1986 na UECE e de ter editado seus arranjos para coral.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome