Dívida do JP Morgan é a maior da história entre governo e uma empresa privada nos EUA

Jornal GGN – Chega a US$ 13 bilhões a tentativa de acordo do JP Morgan Chase junto ao Departamento de Justiça do Estados Unidos e outras agências governamentais após investigações sobre empréstimos hipotecários concedidos pelo banco a investidores antes da crise financeira. Uma fonte familiarizada com as negociações concedeu entrevista para o jornal inglês The Guardian neste sábado (19).

O acerto, considerado o maior da história do governo dos EUA com uma única empresa, no entanto, não libera o banco de sua responsabilidade criminal para algumas das hipotecas transformadas em títulos e vendidas a investidores. As autoridades se recusaram a ceder aos pedidos do banco, o maior do país.

A instituição, que conseguiu evitar os reflexos da crise financeira em seus resultados, agora enfrenta mais de uma dúzia de investigações por práticas ilícitas em nível global. Desde um suposto suborno na China até manipulação nas taxas de juros de referência.

Muitos investidores mostraram-se solidários ao presidente do banco, Jamie Dimon, mas muitos já se mostram insatisfeitos com sua postura e retiraram apoio ao executivo. Um relatório da subcomissão do Senado detalhou como Dimon exigiu que subordinados retivessem alguns dados reguladores do chamado Escritório Controlador da Moeda. No início do mês, o banco declarou que ele foi afastado do cargo, após muita pressão do governo.


O valor proposto de US$ 13 bilhões foi alcançado após uma conversa de Dimon com o advogado-geral do governo americano, Eric Holder, para finalizar as linhas gerais do acordo. Um diretor de investimentos de corretora que detém ações da JP Morgan afirmou que “estão fazendo o que podem para conseguir ainda mais”.

Leia também:  Dólar perde liderança mundial pela 1ª vez desde 2013

Entre as acusações contra o JP Morgan, figuram também as hipotecas que eles sabiam ser mais arriscadas do que pareciam ser, os empréstimos melhores do que os realmente declarados, negligência ao aceitar as informações dos devedores sobre seus rendimentos, entre outros.

No terceiro trimestre, o banco perdeu US$ 380 milhões, seu primeiro prejuízo trimestral desde 2004, depois de registrar uma taxa pós-impostos de US$ 7,2 bilhões para as despesas legais. Mesmo assim, o banco pode facilmente pagar este negócio. No início deste mês, já tinha reservado US$ 23 bilhões para cobrir a questão dos assentamentos legais. 

Como parte do acordo, o banco vai continuar a cooperar em investigações criminais, disse a fonte do Guardian. As conversações de paz começaram em setembro, com o Departamento de Justiça preparado para processar o JPMorgan na Califórnia por conta de títulos hipotecários que o banco vendeu antes da crise.

O banco e o Departamento de Justiça começaram a discutir um amplo acordo que resolveria o inquérito sobre títulos hipotecários vendidos a investidores que, entre 2005 e 2007, foram apoiados por hipotecas subprime e outros de risco residenciais, além de processos similares da FHFA, o Credit Administration National Union, o estado de Nova York e outros.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. EUA: JPMorgan pagará US$4 bilhões para pôr fim a demanda

    EUA: JPMorgan pagará US$4 bilhões para pôr fim a demanda de regulador

     

    Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2013/10/18/interna_internacional,461442/eua-jpmorgan-pagara-us-4-bilhoes-para-por-fim-a-demanda-de-regulador.shtml

    Agence France-Presse

    Publicação: 18/10/2013 20:01

     

    O JPMorgan Chase, primeiro banco norte-americano, pagará a quantia recorde de 4 bilhões de dólares para pôr fim às ações de um regulador de empréstimos imobiliários nos Estados Unidos (FHFA), afirmou nesta sexta-feira o The Wall Street Journal, citando fontes próximas ao caso.

    A Agência Federal de Financiamento de Habitação (FHFA na sigla em inglês) acusa o JPMorgan de ter enganado os organismos paraestatais Fannie Mae e Freddie Mac ao vender-lhes, antes da crise de 2008, títulos derivativos de créditos hipotecários de alto risco (conhecidos como ‘subprime’)

    Se for confirmada esta quantia, será inferior aos 6 bilhões de dólares que a FHFA exigiu inicialmente, acrescentou o jornal.

    Um porta-voz do JPMorgan Chase se negou a comentar a informação.

    O primeiro banco norte-americano em termos de ativos é objeto de múltiplas ações por parte de diferentes organismos estatais dos Estados Unidos.

    O JPMorgan pagou recentemente mais de 1 bilhão de dólares por uma ação ligada ao caso conhecido como a “baleia de Londres”, o apelido de um trader francês residente na Grande Bretanha em razão de suas arriscadas operações com derivativos que geraram ao banco perdas de 6 bilhões de dólares.

    • “(FHFA na sigla em inglês)

      “(FHFA na sigla em inglês) acusa o JPMorgan de ter enganado os organismos paraestatais Fannie Mae e Freddie Mac ao vender-lhes, antes da crise de 2008, títulos derivativos de créditos hipotecários de alto risco”:

      A noticia eh golpe, Antonio.  Sabe quanto a Fannie Mae e Freddie Mac devem por causa dos “papeis”?

      Trilhoes.  Quem as esta segurando ha 4 anos eh o governo, de outra maneira elas ja nao existiriam.

      A multa ao JPMorgan eh quatro bilhoes!

      Viu o golpe agora?

  2. Informação ligeira e mal

    Informação ligeira e mal pesquisada. A BP causou um vazamaneto no Golfo do Mexico em 2011 e foi punida em US$25 bilhões que pagou à vista ao Governo dos EUA.

  3. petroleo baratin

    esses números evidenciam como se vende barato nossa soberania do pre sal.

    parecemos o primo pobre que ganhou na loteria e por medo de reclamar o premio deu o bilhete ao primo rico em troca de umas jabuticabas.

    pobre cucaracha é assim mesmo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome