1º) Definição de família; 2º) Retomada do conceito de cabeça

1º) Definição de família; 2º) Retomada do conceito de cabeça do casal; 3º) Reforço da posição do cabeça de casal; 4º) Revogação da Lei Maria da Penha e 5º) Século XIX, estamos aí de volta.

 

Caras senhoras e principalmente moçoilas casadoiras.

Se acharem que o que se configura no congresso nos dias atuais é um retrocesso em termos de legislação vou colocar um roteiro do retorno da mulher as condições do século XIX que dentro dos princípios da bancada BBB (Bala, Boi e Bíblia) cai como uma luva.

Pois vamos aos fatos, definida na sua primeira fase a família como um homem e uma mulher legalmente casados (item 1º). Qual será o desdobramento seguinte?

O item 2º, o retorno a figura do “cabeça de casal” como por “defaut” sendo o marido é muito fácil de ser justificado e ganhará adeptos até na mulheres, é só permitir que as pensões sejam pagas ao cônjuge que no falecimento era o “cabeça-de-casal” excluindo estes “modernismos” de a mulher concorrer para o sustento da família de forma igualitária com o homem. Não precisa 2/3 para retornar a figura, é só introduzir no código civil brasileiro, maioria simples.

As razões para as diversas bancadas aprovarem isto são extremamente simples:

Bancada da Bíblia: Está na Bíblia!

Bancada da Bala: Melhor lugar para a mulher é na cozinha.

Bancada do Boi: O touro sempre é o mais forte.

PSDB e dissidentes do PMDB: Enfraquece a presidente Dilma;

O item 3º, não precisa grande alarde, vai aos poucos dando mais direitos ao cabeça-de-casal por legislação infraconstitucional.

De novo as razões para as diversas bancadas aprovarem isto também são extremamente simples:

Bancada da Bíblia: Está na Bíblia!

Bancada da Bala: Quem manda na casa é o homem!

Bancada do Boi: A vaca é para procriar!

 PSDB e dissidentes do PMDB: Enfraquece a presidente Dilma;

A 4º e última grande alteração será a de acabar com estas leis estúpidas de impedir que o marido eduque a mulher, lei Maria da Penha e criar no código de processo criminal a figura da “legítima defesa da honra”.

Mais uma vez vamos às razões que as bancadas legislativas vão utilizar para aprovar estas leis:

Bancada da Bíblia: Está na Bíblia!

Bancada da Bala: Mulher tem que respeitar o marido, não ficar se galinhando por aí.

Bancada do Boi: Ora isto é evidente!

PSDB e dissidentes do PMDB: Já que aprovamos as leis anteriores, por que não aprovamos as próximas?

Bem senhoras e moçoilas casadoiras, vão se acostumando com a ideia, pois retrocesso é que nem coceira, é só começar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora