Benefício diplomático reforça relação entre Bolsonaro e suspeito do caso Marielle

Movimento negro manifestou posição em nota de repúdio; "Revoltante", disse em entrevista a irmã da vereadora morta

Homenagens a Marielle Franco no dia 14 de março de 2019, um ano após o assassinato / Miguel Schincariol / AFP

do Brasil de Fato 

Benefício diplomático reforça relação entre Bolsonaro e suspeito do caso Marielle

Igor Carvalho, por Brasil de Fato | São Paulo (SP)

A organização Coalizão Negra por Direitos divulgou nota, nesta quinta-feira (10), em que critica a concessão de passaporte diplomático para parentes de Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e suspeito de ser o mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes. O caso foi revelado com exclusividade pelo Brasil de Fato.

“Destacamos que a facilitação de acesso a documentos restritos para pessoas suspeitas de estarem tão próximas às investigações deste crime é inadmissível! Enquanto a população favelada e preta do Rio de Janeiro e de todo Brasil sofre com o aumento da violência estatal, movimentações políticas como essa reforçam os indícios de vínculos espúrios entre a família Bolsonaro e os suspeitos de envolvimento no assassinato de Marielle e Anderson”, afirma, em nota, a organização. A Coalização Negra por Direito reúne movimentos negros de todo o país e atua na defesa por direitos dessa população junto ao Congresso Nacional e fóruns internacionais.

Para Anielle Franco, irmã de Marielle, a medida é “revoltante”. “Só comprova que estamos vivendo tempos sombrios. O governo deveria estar preocupado em descobrir quem mandou matar minha irmã em vez de conceder benefícios”, criticou.

João Vitor Moraes Brazão e Dalila Maria de Moraes Brazão, filho e esposa do deputado federal Chiquinho Brazão (Avante-RJ), receberam do Itamaraty o passaporte diplomático em 9 de julho deste ano. O parlamentar, que também possui o documento, é irmão de Domingos Inácio Brazão.

Leia também:  Os direitos humanos, afinal, escolhem lado?, por Denis Kuck

Os integrantes da família Brazão estão em uma lista com os 1694 passaportes diplomáticos emitidos pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) até 15 de agosto, a qual o Brasil de Fato teve acesso por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Confira a nota na íntegra:

Recebemos com revolta a informação publicada pelo jornal Brasil de Fato, de que João Vitor Moraes Brazão e Dalila Maria de Moraes Brazão, filho e esposa do deputado federal Chiquinho Brazão (Avante-RJ), receberam passaporte diplomático do Itamaraty em 9 de julho. O parlamentar é irmão de Domingos Inácio Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro acusado de obstruir as investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco e suspeito de ser um dos mandantes do crime.

Nós, da Coalizão Negra por Direitos, articulação que reúne movimentos negros de todo país, incluindo o Instituto Marielle Franco, coordenado pela família de Marielle, repudiamos e denunciamos o governo Bolsonaro, pelo conjunto de barbáries que tem imposto ao país. Em especial, destacamos que a facilitação de acesso a documentos restritos para pessoas suspeitas de estarem tão próximas às investigações deste crime é inadmissível! Enquanto a população favelada e preta do Rio de Janeiro e de todo Brasil sofre com o aumento da violência estatal, movimentações políticas como essa reforçam os indícios de vínculos espúrios entre a família Bolsonaro e os suspeitos de envolvimento no assassinato de Marielle e Anderson. 

Mais de um ano e meio sem resposta, Exigimos a investigação imediata dos vínculos entre família Bolsonaro e os suspeitos de assassinarem Marielle Franco.

Quem mandou matar Marielle?

Edição: Camila Maciel

Ouça o áudio:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  “Espero que a nossa frágil democracia não saia dos trilhos”, diz Milton Hatoum

1 comentário

  1. Como diria o Brizola: se tem coro de jacaré, tem rabo de jacaré, tem boca de jacaré… não pode ser outra coisa senão jacaré.
    Bozo e milicianos assassinos, tudo a ver.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome