Bolsonaro procurou Trump para pedir benção sobre Eduardo na embaixada

Bolsonaro ainda denotou que não fez o convite oficial a Eduardo porque está com dificuldade de articular a aprovação no Senado

Jornal GGN – Em passagem pela Argentina, nesta semana, Jair Bolsonaro afirmou à imprensa que já fez contato com o presidente dos EUA, Donald Trump, em busca de um “sinal positivo” sobre a indicação de seu filho, Eduardo Bolsonaro, para a embaixada do Brasil em solo estadunidense.

O ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo teria dito, segundo repórteres que entrevistaram Bolsonaro, que estava “tudo pronto” aguardando a nomeação oficial, ao que o presidente do Brasil respondeu: “Acho que já foi feito um comunicado para os EUA. Um telefonema simples meu para o Trump, que ele afranqueou [sic] a palavra. Não preciso falar isso para ele, tenho certeza que ele dará um sinal positivo [sobre a indicação ser Eduardo].”

O presidente voltou a dizer que o filho tem como qualificação “inglês fluente”, que ele aprendeu durante intercâmbio de cerca de 6 meses. Para custear os gastos da viagem, Eduardo fritou hambúrguer e entregou pizza, explicou Bolsonaro. Um currículo que tem sofrido resistência por parte de parlamentares.

Bolsonaro ainda denotou que não fez o convite oficial a Eduardo porque está com dificuldade de articular a aprovação no Senado.

“Depende não só da Comissão de Relações Exteriores do Senado, mas da Presidência do Senado também. Por mim, eu decidiria agora, mas não posso tomar decisões tão abruptas. Vamos conversar. Já conversei com Davi Alcolumbre, com o senador Fernando Bezerra. Alguns estão dando parecer totalmente contrário. Não conhecem a vida do meu filho.”

Ainda de acordo com Bolsonaro pai, Eduardo tem amizade com a família Trump.

Brincando com a repercussão crítica da indicação na imprensa, Bolsonaro apresentou o filho mais novo, Renan, como “embaixador mirim”. Questionado se seria lotado na Argentina, o presidente respondeu: “Ele está aprendendo.”

6 comentários

  1. O animal quadrúpede acha que quem tem que aprovar é o Trump e não o Brasil.
    O cara faz jus ao nome de palhaço (Bozo) que adquiriu com os poucos meses de governo.
    Não diz dez palavras sem causar risos, quando não, gargalhadas. Uma das últimas foi com os presidentes do Chile e Peru, aludindo o nome do país ao órgão genital masculino. Como sempre, o pênis é para ele, uma obsessão.

    5
    1
  2. Nesse hades que é o governo Bolsonaro, sua vassalagem e boçalidade não me surpreendem. Aliás, ninguém pode acusá-lo de ter usado uma máscara antes de ser eleito. Sempre mostrou seu rosto verdadeiro, infecto. O que me assusta é como as forças armadas são humilhadas por esse palhaço e seu clã e seu guru amalucado. Tenho duas teorias o porquê de nossos militares – num passado próximo tão implacáveis com seus adversários políticos quando mandavam e desmandavam no regime militar – se portam como um cão fiel a um dono que só o espanca e o xinga à vista de todos

    1] Os militares receberam de Bolsonaro a promessa de que ficariam intocáveis na reforma, mesmo sendo o setor cujo rombo previdenciário é disparado o maior. Pra compensar, fizeram cócegas na casta do funcionalismo público e arrancaram a carne dos trabalhadores CLT. E Bolsonaro cumpriu sua promessa. Enfim, as FA receberam suas 30 moedas de prata. Questões como soberania nacional, papel do país nesse mundo cada vez mais selvagem, desenvolvimento tecnológico ( já venderam a embraer ), defesa contra ataque estrangeiro ( cá entre nós, nossas FA não teriam condições de ganhar uma guerra contra Venezuela ou Colômbia. Justiça seja feita = os militares impediram que o Boçal lançasse o Brasil numa chance de entrar em guerra contra a Venezuela ) – isso tudo dá muito trabalho e a preguiça macunaímica é bem maior . Melhor ficar mandando soldados pintar meio fio perto de quartel e no máximo mandar garotos de farda com fuzis metralhar gente inocente num morro e, já antecipo, nada vai acontecer com os assassinos das duas vítimas no local. No máximo vão fazer uns polichinelos pra pagar essa barbaridade que cometeram.

    2] A alta cúpula militar sente que o andar de baixo das forças armadas é Bolsonaro total e já perceberam que o boçal não pensaria duas vezes em criar uma rebelião do andar de baixo contra a alta cúpula das forças armadas – e assim na prática Bolsonaro conta com uma força paramilitar se precisar de um enfrentamento a bala – força essa que se juntaria a forças paramilitares civis que a facilidade de compra e porte de arma criaria. Imaginem uma manifestação na paulista com bolsonaristas na paulista todos portando suas armas bem visíveis pras cameras da globonews. Subliminarmente ecoaria no ar a frase de Mao Tse Tung ” O poder nasce da ponta de um fuzil”

    5
    1
  3. A elite do atraso tem em Bolsonaro o “idiota útil”, perfeito para seus planos de desmantelamento do estado brasileiro. Un alucinado na frente vai falando os disparates que quer sem constrangimento algum e abrindo caminho pras “reformas” do que quer que seja pra desviar a atenção: tomada de 3 pinos, 60 pontos na carteira, fritação de hamburguer diplomático, golden shower, etc. Com seus ministerios que parecem circo itinerante, tudo que vem depois parece mais”sensato” de ser avaliado, e livra a cara dos operadores do desmonte de se expor ao ridículo. Fechou. Que beleza!

  4. Muito além do inglês de péssima qualidade, o que mais me impressionou no vídeo que vi, uma entrevista do candidato à embaixada brasileira nos EUA à Fox, foi a habilidade de Eduardo Bolsonaro em mostrar subserviência e submissão aos EUA, a ponto de deixar o entrevistador visivelmente sem jeito.

    Mas como depois do golpe estamos em tempos em que fascistas se aproveitam do republicanismo, do legalismo disseminado pelo PT para espernear que têm liberdade de fazerem o que bem entenderem por conta da liberdade de expressão, em que dementes, aloprados se sentem no direito de estragar qualquer debate. Como poderiam muito bem dizer Kataguiri, Arthur “Mamãe-falei”, “Ué, estragar um debate é também uma forma de dele participar, não é?” Ou ainda “Quêisso? Você quer me censurar é?! Quer me reprimir?!” como justificativa para extrapolar todo marco civilizatório, toda lei e toda regra tácita ou explícita de convivência. Acho esse ponto importantíssimo: se todos podem participar porque não os que querem transformar nosso país num vale-tudo? O box e as artes marciais não estão desprestigiados em relação àqueles MMA da vida? Não são assim esses nossos tempos?

    Afinal porque ineptos, dementes, vândalos, fascistas e bárbaros não têm o direito de participar, né?

  5. “Para custear os gastos da viagem, Eduardo fritou hambúrguer e entregou pizza, explicou Bolsonaro.”

    O trabalho de qualquer estrangeiro não residente nos EUA – incluídos bolsistas e intercambistas – é rigorosamente proibido, sob pena de perder a bolsa e ser devolvido ao país de origem!

    Bolsonaro sempre será Bolsonada. Está claro que ele não passa de um fantoche a serviço de interesses estrangeiros, sendo cada vez mais capacho para tentar garantir o emprego…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome