Bolsonaro usa “risco de apagão” para justificar aumento na conta de energia

Governo vai acionar a bandeira vermelha no segundo patamar alegando atraso na temporada de chuvas

Jornal GGN – Jair Bolsonaro foi criticado nesta terça (1/12) por seguidores nas redes sociais ao admitir que o governo vai aumentar a tarifa de energia acionando a bandeira vermelho no segundo patamar, alegando atraso na temporada de chuvas. Segundo a justificativa de Bolsonaro, se o governo não tomar providências, o País corre risco de “apagão”.

“As represas estão (com) níveis baixíssimos. Se nada fizermos poderemos ter apagões. O período de chuvas, que deveriam começar em outubro, ainda não veio. Iniciamos também campanha contra o desperdício”, escreveu Bolsonaro na rede social.

Um especialista ouvido pelo jornal O Globo negou a possibilidade de apagão, tendo em vista que o País dispõe de uma rede de usinas termelétricas que podem ser acionados para compensar a escassez de água nos reservatórios das hidrelétricas.

A Aneel, agência que cuida do setor de energia, havia decidido suspender algumas cobranças tarifárias e evitar o reajusta até o final de dezembro, por causa da pandemia do novo coronavírus. Porém, em reunião extraordinária, os diretores da Aneel decidiram aumentar a cobrança de energia e também acionar a bandeira alta do sistema. “A taxa extra será de R$ 6,243 a cada 100 quilowatts-hora consumidos”, explica o jornal.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), os reservatórios no sistema Sudeste e Centro-Oeste está em 17,74% de sua capacidade, ante 18,86% registrado em novembro do ano passado. No Sul, o percentual é de 18,25% contra 35,75% em 2019. No Nordeste, o nível dos reservatórios está em 52,18%, contra 33,64% do ano passado.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador