Cancelamento de acordo com Boeing derruba ações da Embraer

Papéis da empresa chegaram a cair 14% no começo do dia; empresa diz que buscará “todas as medidas cabíveis” contra os danos sofridos

Foto: Reprodução

Jornal GGN – As ações da empresa brasileira Embraer operam em queda no mercado brasileiro, devido ao cancelamento do acordo de compra da área de ação civil pela Boeing, anunciado no último sábado.

O papel EMBR3 opera em baixa de 7,13% na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo, negociado a R$ 7,68. Contudo, a ação da empresa chegou a ter sua negociação paralisada por cinco minutos na parte da manhã, depois de cair 14%.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, a Boeing rescindiu o contrato com a Embraer porque a empresa brasileira não teria atendido a todas as obrigações necessárias para separar sua linha de aviões regionais.

O acordo entre as empresas era costurado desde 2017 e elas tinham até a meia-noite da última sexta (24) para fechá-lo acordo em termos técnicos, o que não ocorreu.

Em fato relevante divulgado no sábado, a Embraer afirmou que “buscará todas as medidas cabíveis contra a Boeing pelos danos sofridos como resultado do cancelamento indevido e da violação do MTA (Acordo Global da Operação)”.

“A empresa acredita que a Boeing adotou um padrão sistemático de atraso e violações repetidas ao MTA, devido à falta de vontade em concluir a transação, sua condição financeira, ao 737 MAX e outros problemas comerciais e de reputação”, diz a companhia.

 

Leia Também
Confira o comunicado da Boeing sobre o rompimento da compra da Embraer
Coronavírus leva Boeing a reavaliar compra da Embraer
Entidade norte-americana aponta alerta sobre jato da Embraer

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora