Desistência de Doria aumenta as chances de vitória de Lula no primeiro turno, diz diretor da Quaest Pesquisas

Lula tem potencial para herdar 36% dos votos do eleitorado órfão de João Doria. Já Bolsonaro ficaria com parcela menor, de 19%

Joao Doria e Lula
Fotos: Divulgação/Governo de São Paulo e Ricardo Stuckert/Instituto Lula

A desistência da candidatura de João Doria à Presidência da República pelo PSDB aumenta as chances de vitória de Lula no primeiro turno. É o que analisa o cientista político Felipe Nunes, diretor da Quaest Pesquisas.

Nesta segunda (23), Doria anunciou a retirada da candidatura após pressão e racha dentro do próprio partido. Em um fio no Twitter, Felipe Nunes tenta responder a pergunta: para onde vão os votos de Doria?

De acordo com o especialista em pesquisas de opinião, a maioria dos eleitores de Doria tendem a depositar um voto na candidatura de Ciro Gomes (PDT), que aparece em terceiro lugar nas sondagens até agora. O potencial de voto no pedetista é de 54% entre os eleitores de Doria. O segundo maior beneficiado seria Lula, potencialmente herdando 36% dos votos de Doria. Na lanterna aparece Jair Bolsonaro, que só tem a preferência de 19% do eleitorado do ex-governador de São Paulo.

Nunes faz duas análises a partir dos dados extraídos da pesquisa Genial/Quaest:

Primeiro, do ponto de vista simbólico, a terceira via “aumenta as chances de organizar sua tropa para tentar viabilizar uma opção fora da polarização. A coordenação das elites é fundamental para que os eleitores possam tomar decisões eleitorais. Até aqui, a 3 via mais atrapalhou do que ajudou o eleitor.”

Já do ponto de vista político, Lula aumenta ainda mais as chances de vitória no primeiro turno. “Lula aumenta as chances de vitória no primeiro turno, com o voto útil, pois o eleitor do Doria rejeita mais Bolsonaro (77%) do que Lula (62%).”

Dados da pesquisa Genial/Quaest mostram para onde vão os votos de João Doria

Na última pesquisa Quaest, Lula apareceu com 46% das intenções de voto no primeiro turno. A soma de todos os adversários dá 44% neste cenário.

A tendência é que o PSDB ofereça um vice para o MDB na disputa presidencial. O partido pretende disputar o Palácio do Planalto pela segunda vez consecutiva, agora com a senadora Simone Tebet na cabeça de chapa. Doria nega que será vice de Tebet. A senadora, nas análises de Felipe Nunes, tem mais potencial de crescimento do que Doria, pois a rejeição do ex-governador é mais alta.

No Twitter, Tebet fez um sinal ao PSDB após a desistência de Doria. “Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado. Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida. Vamos conversar e receber suas sugestões para nosso programa de governo. O Brasil é maior do que qualquer projeto individual. Vamos trabalhar para unir todo o centro democrático. Gostaria muito de ter o PSDB e o Cidadania junto conosco.”

Leia também:

1 – Doria desiste da disputa presidencial pelo PSDB

2 – Tebet, Pacheco e Leite têm mais chances como “terceira via” do que Ciro, Doria e Mandetta

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

marco

- 2022-05-24 15:02:33

PELA TERCEIRA VEZ / LULA VAI SER O PRESIDENTE DO BRASIL . VAI ENTRAR PARA HISTÓRIA / O MAIOR LÍDER DO BRASIL .

Marcelopontojota ou jotapontomarcelo

- 2022-05-23 20:46:08

NA VERDADE ESSA BURGUESIA FALHOU EM ATÉ SE PROTEGEREM,VEJAM QUANTA FALÊNCIA E NENHUMA PERPESCTIVA DE MELHORA,TB FORAM TUDO NA.ONDA NAZISTA GLOBALISTA !!(DE GLOBO E GLOBO DE MUNDO,PLANETA TERRA)

Paulo Dantas

- 2022-05-23 18:13:23

Doria saiu porque tinha pouco voto , se eu entendi o pouco dividido afeta o muito , ele deveria ter ficado e vencido no primeiro turno ...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador