Gaspari: Moro pode ter soltado delação de Palocci depois de convidado para ministro de Bolsonaro

Colunista chama atenção para datas das sondagens ao então juiz da Lava Jato, que usou o cargo para influenciar a disputa eleitoral em 2018

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O jornalista Elio Gaspari usou sua coluna na Folha de S. Paulo, desta quarta (20), para chamar atenção para as datas em que Sergio Moro teria sido sondado por Paulo Guedes para ser ministro de Jair Bolsonaro.

Segundo o texto, o mais provável é que uma das sondagens tenha acontecido antes de Moro alimentar o noticiário com a delação de Antonio Palocci contra o PT, a poucos dias do segundo turno entre Bolsonaro e Fernando Haddad.

A delação de Palocci não foi aceita pela Lava Jato em Curitiba. Nos autos de um processo, o próprio Moro sinalizou que não queria que os procuradores fechassem acordo com o ex-ministro da Casa Civil, porque ele não teria nada a acrescentar.

Mas às vésperas da eleição, Moro achou conveniente junto um trecho dos depoimentos de Palocci a um processo que não precisava dele.

Gaspariu afirmou que Guedes confidenciou a Gustavo Bebianno, em 28 de outubro, dia do segundo turno, que já havia conversado com Moro umas “cinco ou seis vezes” àquela altura.

Ou seja, pelo menos uma dessas sondagens teria acontecido antes da delação ser divulgada à imprensa.

Eis o nível da relação de Moro com Bolsonaro.

Leia a coluna aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O tango de Bolsonaro, por Ricardo Cappelli

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome