Governo Bolsonaro viola sigilo de contrato com Janssen

Documento esteve no site do Ministério da Saúde até o começo de abril; empresa diz não se responsabilizar por efeitos colaterais

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro voltou a violar o acordo de confidencialidade fechado com empresa farmacêutica: assim como fez com a Pfizer, o contrato para compra de vacinas da Janssen ficou exposto no site do Ministério da Saúde até o começo de abril.

O governo brasileiro acertou a aquisição de 38 milhões de doses da vacina produzida pela empresa em 19 de março, pelo valor de R$ 2,139 bilhões. O custo individual de cada vacina foi divulgado: US$ 10 a dose. Os imunizantes só devem chegar ao país no último trimestre de 2021.

Uma cláusula do contrato estabelece que o governo deverá assumir qualquer indenização relacionada à vacina – termo semelhante consta no contrato com a Pfizer, e foi usado por meses pelo governo Bolsonaro para negar a compra dos imunizantes por meses. O contrato com a Pfizer só foi fechado em março.

A vacinação com o medicamento produzido pela Janssen exige uma única dose, e apresenta eficácia de 66,9% para casos leves e moderados e 76,7% de eficácia para casos graves, após 14 dias da aplicação. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora