IBM e Microsoft assinam acordo com Vaticano, por uma Inteligência Artificial ética

Francesca Rossi, líder global de ética em IA da IBM, disse: "O Vaticano não é um especialista em tecnologia, mas em valores. A colaboração é fazer com que o Vaticano e toda a sociedade entendam como usar essa tecnologia com esses valores".

Do Financial Times

O documento ‘Rome Call for AI Ethics’ exige inteligência artificial para salvaguardar os direitos de toda a humanidade e novos regulamentos em áreas como reconhecimento facial

A IBM e a Microsoft assinaram uma “resolução ética” com o Vaticano para desenvolver inteligência artificial de maneira a proteger o planeta e os direitos de todas as pessoas.

A promessa, chamada de “Chamada de Roma para a ética da IA”, será apresentada na sexta-feira de manhã ao papa Francis por Brad Smith, presidente da Microsoft, e John Kelly, vice-presidente executivo da IBM, além de autoridades do Vaticano e Qu Dongyu, o diretor geral chinês da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

O documento pede que a IA proteja os direitos de toda a humanidade, particularmente os fracos e desprivilegiados, e novos regulamentos em áreas como o reconhecimento facial. Ele disse que deve haver um “dever de explicação” que mostre não apenas como os algoritmos de IA tomam suas decisões, mas também qual é o seu objetivo e objetivos.

Smith disse que a IA “deve ser guiada por fortes princípios éticos que se baseiam nas tradições globais de direitos humanos”.

Francesca Rossi, líder global de ética em IA da IBM, disse: “O Vaticano não é um especialista em tecnologia, mas em valores. A colaboração é fazer com que o Vaticano e toda a sociedade entendam como usar essa tecnologia com esses valores”.

O jornal de Roma surge logo após a comissão européia ter publicado sua própria visão de como regular a IA para que seja usada de forma ética.

Os planos se concentraram em aplicativos de IA de alto risco e introduziram uma avaliação rigorosa antes que eles pudessem ser usados na UE. Rossi, que aconselhou a UE em sua estratégia de IA, defendeu sua abordagem cautelosa em relação a aplicativos de alto risco.

Ela disse que uma abordagem baseada em risco é a melhor maneira de analisar aplicativos de inteligência artificial para evitar uma regulamentação abrangente e onerosa.

“O que os críticos querem em vez disso? A abordagem baseada em risco é a melhor. A alternativa é que a regulamentação seja muito geral – em todos os tipos de IA.

“A IA tem muitas nuances, algumas são de alto risco e outras não”, acrescentou. “Não seria razoável sobrecarregar as aplicações que podem ser muito benéficas, mas é muito importante garantir que a regulamentação seja feita da maneira certa em aplicações de alto risco”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Inteligência Artificial.
    CEO
    – Bia eu tenho dinheiro para um novo robô?
    Cena de robô EMPREGADA DOMÉSTICA fula da vida.
    Propaganda família jetsons BRADESCO.
    A humanidade precisa vencer a civilização.

  2. Uma IA com “ética do vaticano”:
    Vai poder queimar pessoas na fogueira?
    Vai tentar converte o usuário?
    Vai excomungar os questionadores?
    Vai dizer que a homossexualidade é antinatural?
    Vai relegar as mulheres ao segundo plano?

  3. Uma IA com “ética do vaticano”:
    Vai poder queimar pessoas na fogueira?
    Vai tentar converte o usuário?
    Vai excomungar os questionadores?
    Vai dizer que a homossexualidade é antinatural?
    Vai relegar as mulheres ao segundo plano?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome