Lava Jato de Curitiba deve fornecer cópia de dados sigilosos à Corregedoria

Decisão foi determinada pela corregedora-geral Elizeta de Paiva Ramos, aliada de Augusto Aras, e tomada após Fachin revogar acesso ao material

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A corregedora-geral do Ministério Público Federal, Elizeta de Paiva Ramos, determinou que a operação Lava-Jato de Curitiba envie uma cópia de todos os seus bancos de dados sigilosos, para apuração de eventuais irregularidades no material.

A decisão foi tomada após a crise entre o procurador-geral da República, Augusto Aras, e as forças-tarefas da Lava-Jato e a decisão de Elizeta (aliada de Aras) foi tomada após a revogação do acesso de Aras a tais informações pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin revogou o acesso de Aras aos bancos de dados.

Segundo informações do jornal O Globo, a equipe de Aras buscou uma solução interna para obter o compartilhamento dos dados, sem a necessidade de uma briga judicial. Por ter atribuições para investigar irregularidades envolvendo promotores, uma ordem da Corregedoria não poderia ser descumprida.

Fontes que acompanham o assunto dizem que a força-tarefa de Curitiba não apresentou objeção e autorizou o acesso ao material. Desta vez, a ofensiva da PGR foi voltada apenas para a força-tarefa de Curitiba, sem determinar acesso aos dados das forças-tarefas de São Paulo e do Rio de Janeiro.

 

 

Leia Também
Jurista americana reafirma que Lava Jato fez política contra Lula
O cheiro de operação política na Lava Jato contra Cid Gomes e Camilo Santana
Exclusivo: 5 vídeos para entender a influência dos EUA na Lava Jato
Procuradores da Lava Jato em SP pedem renúncia coletiva

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Covid-19: Butantan deve distribuir 2 milhões de doses de CoronaVac por semana

2 comentários

  1. Aha, Uhu! quem é da Lava Jato?
    Sabemos pelos fatos que a imparcialidade, a isenção e o não corrompimento das leis passam longe da Lava Jato e de seus cumplices. Honrado será sempre quem honra o seu cargo e não compactua com panelinhas daninhas, com panelinhas que agride a democracia e com panelinhas tenta desestabilizar o estado de direito. O castigo vem a galope largos e já alcançou muitos e muitas.

  2. Agora??? Houve tempo de sobra para “sombrear” as provas ilícitas mais comprometedoras. Não é à toa o grosso cordão umbilical que une essa facção lesa-pátria ao departamento de justiça ianque. Não vão encontrar muita coisa. Se encontrar algo interessante, somente utilizarão o que for útil ao projeto de vingança do bozo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome