Os requentados da Petrobrás e a incompetência das mulheres gestoras

Se não sabemos distinguir a ‘notícia de fato real’ de uma ‘campanha publicitária’, então estaremos vulneráveis à manipulação, sujeitos a ser tratados como analfabetos políticos. A notícia de um fato, em regra, é apresentada ao tempo da ocorrência do fato respectivo e tende a esgotar o assunto, não se estendendo na linha do tempo.  A campanha publicitária é um modo específico de apresentar informação sobre um produto, marca, empresa ou matéria política, de acordo com um planejamento que leva em conta o oportunismo de manutenção da evidência por um certo período de tempo favorável. 

A propaganda objeto da campanha publicitária “visa influenciar a atitude de uma audiência para uma causa, posição ou atuação.  Seu uso primário advém de contexto político, referindo-se geralmente aos esforços de persuasão patrocinados por governos e partidos políticos.

Uma manipulação semelhante de informações é bem conhecida: a propaganda comercial e a política.  Ao contrário da busca de imparcialidade na comunicação, a propaganda apresenta informações com o objetivo principal de influenciar uma audiência pública a comprar ou escolher. Para tal, frequentemente apresenta os fatos seletivamente (possibilitando a mentira por omissão) para encorajar determinadas conclusões, ou usa mensagens exageradas para produzir uma resposta emocional e não racional à informação apresentada”.  O resultado desejado é uma mudança de atitude em relação ao assunto no público-alvo para promover uma agenda ou desconstruir uma imagem.  A propaganda pode ser usada como uma forma de luta política.

Fonte citação: Wikipédia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome