Para OEA, Brasil é racista e extermina seus “indesejados”

O órgão multilateral de direitos humanos não poupou críticas ao país em novo relatório e aponta que todas as falhas do Estado brasileiro são consequência da “omissão, ineficiência ou ação direta de governos”

Foto: Reprodução/Carta Capital (via pt.org.br)

Jornal GGN – Um relatório da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) classificou o Brasil de Bolsonaro como racista, violento, impune sobre os ataques à liberdade de expressão e de imprensa, além de autor de diversas práticas de extermínio dos mais vulneráveis.

O  órgão multilateral de direitos humanos não poupou críticas ao país ao longo de 200 páginas do novo documento. Além de apontar que todas as falhas do Estado brasileiro são consequência da “omissão, ineficiência ou ação direta de governos”.

Em um dos destaques do texto, a Comissão indica a existência de um “sistema estruturado de violência e execução de pessoas ‘indesejadas’ na sociedade brasileira” pela combinação de violência policial e impunidade, que contaria com a “proteção do sistema de Justiça”.

O documento também chama atenção pra racismo, à discriminação e à violência de gênero no Brasil, descritos como motores de um ciclo histórico e perverso de desigualdade, pobreza e crimes.

Por outro lado, o texto “reconhece que o Brasil possui um Estado de Direito baseado em sólidas instituições democráticas”. Contudo, “faz um alerta de que, recentemente, esse sistema vem enfrentando desafios e retrocessos”.

Com informações da BBC Brasil. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora