PF investiga se canais bolsonaristas mais rentáveis são de ‘laranjas’ do Planalto

Em inquérito que apura manifestações antidemocráticas, Carlos Bolsonaro desmentiu participação do governo em canais de apoiadores

Jornal GGN – A Polícia Federal segue com a investigação dos atos antidemocráticos, e o foco agora se concentra os canais do Youtube que disseminaram discurso antidemocrático e se os proprietários de tais canais repassaram recursos de monetização, ou se atuam como “laranjas”.

Em depoimento, o filho 02 do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) foi questionado sobre seu envolvimento e o de integrantes do governo por trás desses canais, e as respostas foram negativas.

O questionamento indica que a Polícia Federal busca comprovar se os milhões movimentados pela “rede do ódio”, por meio dos vídeos divulgados no YouTube, são divididos com agentes políticos e servidores do governo que, em troca, fornecem vídeos e informações de dentro do Palácio do Planalto.

Esse inquérito também revela que o apoio do governo Jair Bolsonaro aos canais no YouTube vai bem além do acesso ao presidente e às trocas de mensagens com funcionários da Presidência da República, como também garante a musculatura da rede de sites bolsonaristas, uma vez que o interesses dos donos dos canais é o acesso aos “bastidores do poder’ como forma de aumentar audiência, fidelizar o público e potencializar os lucros. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

 

Leia Também
Assessor de Bolsonaro admite ser ‘leva e traz’ de Allan dos Santos
Eduardo Bolsonaro e alvos do STF foram os que mais espalharam fake news contra eleições
Sergio Moro aponta ligação de Carlos Bolsonaro com ‘gabinete do ódio’
Provas de ligação de Eduardo Bolsonaro com ataques das Fake News são levados por Frota à PF
Carlos e Eduardo Bolsonaro foram intimados sobre atos antidemocráticos, diz jornal

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora