PGR pede para ouvir “delator” do vazamento sobre Queiroz no inquérito Moro x Bolsonaro

Além do empresário Paulo Marinho, o chefe de gabinete de Flávio Bolsonaro no Rio também será convocado

Jornal GGN – A Procuradoria-Geral da República pedirá para ouvir o empresário Paulo Marinho e Miguel Ângelo Braga Grillo, chefe de gabinete de Flávio Bolsonaro, no inquérito que apura se Jair Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal para proteger amigos e familiares.

A iniciativa ocorre depois que Folha de S. Paulo revelou, no domingo (17), que Marinho relatou vazamento de informações sobre a Operação Furna da Onça a Flávio Bolsonaro e membros de seu antigo gabinete como deputado do Rio de Janeiro.

Pelos relatos de Marinho, um delegado da PF do Rio se encontrou com Flávio e assessores durante o período eleitoral, e recomendou a demissão de Fabrício Queiroz e outros nomes que apareceriam no relatório do Coaf por causa de movimentações financeiras suspeitas.

O agente teria se identificado como “simpatizando” da campanha de Bolsonaro e, por isso, procurou Flávio para repassar informações sobre a deflagração da operação Furna da Onça, que viria a expor o relatório do Coaf entre novembro e dezembro de 2018. A PF já anunciou que instaurou inquérito para apurar o vazamento.

Ainda não há data para as oitivas.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+almeida

- 2020-05-18 10:18:21

Quem confia na PGR? Quem confia na PF? Quem confia na Justiça? Quem confia nos Políticos? Quem confia na Grande Mídia? Quem confia que haverá apuração isenta e honesta em atos e dos fatos que possam dar chances a esquerda de voltar ao poder? Quem?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador