Por ser estatal, Petrobrás segura alta do petróleo, afirma secretário da FUP

Ataques na Arábia Saudita elevaram preço da matéria-prima e comprometeram 6% da produção global

Secretário da FUP foi entrevistado nesta terça-feira (17) pela Rádio Brasil de Fato | Foto: Reprodução

do Brasil de Fato 

Por ser estatal, Petrobrás segura alta do petróleo, afirma secretário da FUP

por Geisa Marques e Mayara Paixão, do Brasil de Fato | São Paulo (SP)

A produção global de petróleo sofreu o maior corte da história na última segunda-feira (16) em consequência dos ataques com drones a estatal Saudi Armco, na Arábia Saudita, ocorridos no último sábado (14). Com isso, as cotações internacionais da matéria-prima subiram mais de 13%, a maior alta diária registrada em 11 anos.

O corte de mais de cinco milhões de barris representa metade da produção do país do Oriente Médio, que é o segundo maior produtor mundial e o maior exportador de petróleo do mundo. O volume cortado representa cerca 6% da oferta global.

Os ataques às instalações sauditas foram reivindicados por grupos rebeldes do Iêmen.

Em entrevista à Rádio Brasil de Fato, nesta terça-feira (17), o secretário de Relações Internacionais da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antonio de Moraes, falou sobre os impactos do corte na produção para a Petrobrás. A empresa informou que, por enquanto, não vai reajustar os preços dos combustíveis.

Ele afirma que, por ser estatal, a refinaria brasileira pode segurar o aumento do preço do petróleo, mesmo com a alta de 13% nas cotações internacionais. “A empresa estatal pode planejar essa fonte e administrar segundo a necessidade do povo brasileiro”, diz.

Moraes também ressalta a importância do petróleo como fonte de energia essencial para as populações e alerta para o risco de perda da soberania nacional ao entregar o setor nas mãos do capital estrangeiro.

“É uma fonte de matéria-prima importante, cerca de três mil produtos são originários a partir dele. Com toda essa importância, dá para se imaginar que uma nação que relegue, que deixe essa fonte de energia sobre controle de nações estrangeiras, certamente terá sua própria sobrevivência arriscada”, completa.

O secretário de relações internacionais da FUP chama atenção para o fato de que “mais de 80% da produção e do controle das reservas petrolíferas [do mundo] é feita por empresas estatais”. Segundo ele, “só não o fazem aqueles países que não conseguiram desenvolver uma empresa capacitada tecnicamente para produzir e refinar o petróleo”.

O petroleiro destaca ainda que este não é o caso do Brasil. Ele afirma que “graças a luta do povo brasileiro nos anos 1940 e 1950, nós conseguimos estruturar uma empresa de petróleo importante, que é a Petrobrás”.

Por fim, Moraes alerta que o atual governo está abrindo mão desse patrimônio nacional, que tem falado em privatizar a empresa para corporações estrangeiras. “Aliás, já tem privatizado e entregue áreas importantes da Petrobrás. Isso é um risco muito grande para o povo Brasileiro”, conclui.

Ouça a entrevista completa:

Edição: Katarine Flor

O GGN prepara uma série de vídeos que explica a influência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. “Do Povo, pelo Povo, para o Povo”. Tá todo mundo se borrando com alguma nova manifestação dos Caminhoneiros:’ -Colocamos Bolsonaro e tiramos Ele de lá. Está lavando lenha seca com gasolina’. Cadè a Política de Preços da Petrobrás? Cadê as intermináveis desculpas para aumentar os combustíveis? Cadê a tal Privataria da Petrobrás? Cadê os aumentos diários para seguir Preços Internacionais? Mas primeiramente e principalmente, quanto é a parcela da venda de combustíveis, aqui dentro do país, em relação ao faturamento e Lucro da Petrobrás? Qual é o Faturamento da Petrobrás? Onde estão as planilhas de formação de preços, que dizem ter que seguir a média internacional, quando salários, empresas, equipamentos, custos são todos nacionais. Com qual antecedência é formado preços e bases de custo de Empresa tão gigantesca? Qualquer acidente momentâneo é motivo para alterações dos preços para produtos produzidos há meses ou anos? Onde estão os Balanços Auditados da Petrobrás? A Terra da Inocência acabou !!!!!!!!!!!!

  2. SEI????PQ NUNCA BAIXA OS PREÇOS…JÁ QUÊ ATRIBUÍ O NÃO AO AUMENTO DE PREÇOS AO BOMBARDEIO LÁÁÁÁ ONDE “JUDAS PERDEU AS BOTAS”???JÁ QUÊ NUNCA DEVOLVERÁN E NUNCA VÃO DEVOLVER TUDO QUÊ PAGUEI OU IMPRESTEI AO PAÍS…QNDO A CITADA PETROLERA TAVA QUEBRADA NOS ANOS DO GOVERNO DO ?JOSÉ RIBAMAR ARAUJO DA COSTA…
    VULGO? SARNEY…O QUAL EM MEADOS DO ANO 1987-88″,,IMPÔS AOS BRASILEIROS 28,9% A TÍTULO DE EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO?

  3. Segurava. Seguraria se o governo, que representa a União, acionista majoritária, defendesse os interesses da maioria, ou seja, do povo brasileiro. Mas, em tudo, o atual governo defende os interesses do mercado financeiro, representado pelos acionistas minoritários. Até quando?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome