Resistência: Como mulheres atingidas por barragens lutam contra mineradoras

O MAB está em campanha de financiamento coletivo para levantar fundos para ação através do catarse.me/opovoconstroi

Por Michelle Carvalho

Mulheres atingidas por barragens se unem e elaboram plano de luta contra mineradoras

Desde a última sexta-feira (25), cerca de 300 mulheres do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) estão reunidas na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), em busca de soluções para os impactos dos crimes das mineradoras sobre a vida das mulheres. Para isso, elas pretendem elaborar um plano de lutas conjunto para fazer resistência às ações das empresas.

A atividade começou em Brumadinho (MG), com uma homenagem às vítimas do crime da Vale na cidade, que completou nove meses na sexta-feira (25). Após uma caminhada até a entrada do município, as manifestantes entregaram flores aos familiares dos que perderam a vida na tragédia.

“Nós, mulheres do MAB, viemos prestar solidariedade às famílias das vítimas desse crime, mas principalmente para denunciar que a Vale é reincidente no crime, e é preciso fazer justiça. E nesse contexto, as mulheres são as mais prejudicadas”, disse Soniamara Maranho, da coordenação nacional do MAB, em entrevista para a assessoria do próprio Movimento.

Neste sábado (26), as manifestantes se dedicam ao debate, a troca de experiências de resistências em seus territórios, os problemas causados pelo atual modelo energético no Brasil e no mundo. Elas também definirão uma estratégia de luta das mulheres atingidas para enfrentar os próximos desafios.

O ato faz parte da jornada de lutas do movimento dos Atingidos por Barragens, que começou agora no mês de outubro e segue até março de 2020. Chamada de “A Vale destrói, o povo constrói”, a atividade também inclui a construção de uma casa para uma família atingida pelo rompimento da barragem de Fundão, em Barra Longa. O MAB está em campanha de financiamento coletivo para levantar fundos para ação através do catarse.me/opovoconstroi.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. É a Pátria da Surrealidade. 40 anos de Redemocracia eram este esgoto? Brasileiros, Vitimas destes crimes e assassinatos premeditados, estão precisando recorrer à Justiça Britânica, à Justiça Alemã !! Enquanto isto, o Estado Brasileiro, de forma célere e pontual, faz acordo na Justiça NorteAmericana para indenizar Acionistas Minoritários da Petrobrás com acerto na ordem de 19 bilhões de reais. Com a palavra OAB !! Com a palavra a Justiça e Poder Judiciário Brasileiro !! Com a palavra o Estado Brasileiro !! STF?!! Somos Inacreditáveis !! Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome