Saúde pede R$ 5,2 bilhões à Economia para custear leitos de UTI

Nove estados brasileiros estão com taxas de ocupação de leitos de UTI, voltados para Covid-19, em torno ou acima de 80%

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O Ministério da Saúde pediu ao Ministério da Economia a quantia de R$ 5,2 bilhões para a criação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que serão destinados aos pacientes infectados pela Covid-19. Os recursos também custearam outras despesas da pasta. 

Nove estados brasileiros estão com taxas de ocupação de leitos de UTI, voltados para Covid-19, em torno ou acima de 80%. O norte do país enfrenta uma situação crítica, no Acre a ocupação é de 98%, enquanto em Manaus, no Amazonas, a taxa é de 91%. 

Ofício do requerimento foi assinado em 29 de janeiro pelo secretário-executivo da Sáude, Elcio Franco, de acordo com informações do O Globo. 

Nele, a pasta alega que os recursos são necessários para custeio de serviços de atenção especializada, “especialmente leitos de UTI”, entre outras despesas. 

O documento também afirma que os recursos previstos no Orçamento de 2021 para o Ministério da Saúde, R$ 136,7 bilhões,  “já encontram-se comprometidos até o final do exercício”. O montante, no entanto, ainda precisa ser aprovado pelo Congresso. 

Ainda, o secretário-executivo da Saúde ressalta que a evolução da doença no país demanda recursos orçamentários emergenciais, “até que a vacinação da população produza efeitos no controle da situação epidemiológica”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora