TRF-4 inocenta jornalista livre em ação envolvendo reportagem sobre suicídio do reitor da UFSC

Decisão considera verídica reportagem sobre de fatos e antecedentes jurídicos que mostram conduta persecutória e agressiva de Hickel do Prado

Reprodução/Jornalistas Livres

Jornal GGN – A 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região absolveu a jornalista livre Raquel Wandelli Loth em segunda instância por crime de injúria calúnia e difamação. O processo foi movido por reportagem que revela os antecedentes criminais do ex-corregedor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Rodolfo Hickel do Prado, envolvido nas causas que pode ter levado o suicídio do reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo.

“Dossiê exclusivo: corregedor que entregou reitor à PF já foi processado por calúnia e difamação“, publicada pelo Jornalistas Livres em 30 de outubro de 2017, revela que o ex-corregedor é o “principal pivô da intriga que levou à prisão, banimento da universidade, humilhação e suicídio” de Olivo.  

A decisão do TRF-4, dirigido pela desembargadora federal Cláudia Cristina Cristofani, rejeitou por unanimidade a ação movida por Hickel, contra a sentença em inicial que já havia absolvido a jornalista. 

A reportagem em questão apresenta um conjunto de fatos e antecedentes jurídicos, criminais e administrativos “que mostram a conduta persecutória e agressiva do então corregedor”.

Hickel foi afastado da UFSC pela Corregedoria Geral da União por desvios de conduta e há três anos move ações contra a jornalista “infringindo-lhe processos no BOPE de SC, Justiça Federal e Polícia Federal”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Documentos revelam vaivém no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara

2 comentários

  1. Para que não se esqueça! – Uma das mais torpes e sórdidas histórias desse Brasil fascista originado a partir dos paroxismos doentios criados e alimentados pela grande mídia, estimulando a sociedade a ODIAR Lula, Dilma, o PT, transformados no “SATANÁS” da nação….. A operação Lava Jato fez o serviço sujo, quebrou leis, direitos fundamentais, e esse corregedor da imagem abaixo faz parte desse país grosseiro, vulgar, incivilizado, covarde! Não a tôa, a delegada da Polícia Federal que presidiu o inquérito foi Érika Marena, amiga de Sérgio Moro, uma das protagonistas da Lava Jato, fez um escarcéu onde NADA havia de provado, chamou dezenas de colegas policiais de todo o Brasil, acionou a Globo e a mídia catarinense, fez a cabeça de um procurador e de uma juíza, prendeu, humilhou e destruiu a carreira de um reitor, Luiz Carlos Cancellier, cuja maior “suspeita”, ao que parece, é ter colocado sete mil reais através de um amigo na conta de seu filho…… (detalhe: até hoje não está provado que mesmo essa pequena quantia tenha sido fruto de corrupção…).
    Érika Marena, viciada em holofotes midiáticos, viciada em prisões bombásticas e o uso torto do poder, viu na denúncia farsesca e vingativa do corregedor canalha, a oportunidade que buscava para, em Santa catarina, para onde tinha sido transferida, voltar a ser a “delegada celebridade”. Suas ações cruéis, arrogantes, criminosas, levaram o reitor ao suicídio!
    Amiga de Moro, foi por ele promovida a um cargo qualquer no Ministério que ocupou até poucos dias atrás.
    Um dia, todos conhecerão os detalhes dessa e outras histórias desse período hediondo, selvagem, banhado em violências contra o Estado de Direito.
    Por ora, uma sociedade enferma segue alienada, uns ainda banhados em velhos ódios e fanatismos, outros, em catatonia, perdidos, sem saber o que fazer,,,,,
    Não se abre a caixa preta do fascismo, do autoritarismo, da quebra do império da Lei, em vão.
    A trágica morte – eu diria, ASSASSINATO! – do reitor Cancellier, é apenas um dos capítulos perversos, do período mais tenebroso de nossa História.
    .
    Eduardo Ramos

  2. Um estudo muito interessante da publicação russa World Analytica, sob o título “Quem dirige o Brasil?”. O autor tenta descobrir quem tem maior influência na política brasileira e quem controla todas as instituições de poder. Uma análise de tendências ocultas e evidentes leva a conclusões inesperadas. A imagem do esquema de influência e controle é especialmente impressionante. O botão do tradutor está no topo. http://worldanalytica.com/index.php/features/braziliya/item/307-kto-pravit-braziliej

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome