Vélez mostra intenção de militarizar escola em Suzano como resposta ao tiroteio

O tiroteio na escola em Suzano levantou um debate sobre a posse e o porte de armas, promessas de campanha de Jair Bolsonaro. O presidente, inclusive, anunciou que enviará ao Congresso um projeto para afrouxar as regras para o porte de armas na mesma manhã em que dois jovens entraram armados na escola com intenção de matar

Reprodução/Twitter

Jornal GGN – O ministro da Educação Ricardo Vélez usou o Twitter, na tarde desta sexta (22), para demonstrar intenção em militarizar a escola Rui Brasil, em Suzano (SP), como resposta ao tiroteio em massa que vitimou um total de 10 pessoas, sendo 5 alunos e 2 funcionárias. Na mensagem, ele diz que discutiu com o prefeito da cidade, no começo da semana, “a viabilidade do modelo cívico-militar.”

“Como um alento à comunidade escolar de Suzano, Raul Brasil, informo que o MEC antecipou o repasse anual do PDDE. Segunda-feira, me encontrarei com o prefeito, Rodrigo Ashiuchi [PR], para estudarmos a viabilidade do modelo cívico-militar na escola”, escreveu o ministro.

O tiroteio na escola em Suzano levantou um debate sobre a posse e o porte de armas, promessas de campanha de Jair Bolsonaro. O presidente, inclusive, anunciou que enviará ao Congresso um projeto para afrouxar as regras para o porte de armas na mesma manhã em que dois jovens entraram armados na escola com intenção de matar.

Na esteira da polêmica armamentista, parlamentares governistas também sugeriram que os professores sejam armados.

Mais cedo, Veléz anunciou a edição de “uma resolução que confere maior autonomia a secretarias de educação e municípios no custeio de suas despesas escolares. Isso possibilitará aos entes um melhor planejamento, por exemplo, na compra de combustível de ônibus escolares, alimentos e contração de serviços.”

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome