Vídeo: Flávio Dino tentando explicar o que é ser comunista em 2019 (entre outras coisas)

"Nós podemos construir um caminho brasileiro em que é possível fazer conviver justiça social, princípios solidários e democracia política plena. É um desafio para a nova geração", diz o governador do Maranhão

Jornal GGN – O comunismo precisa trocar de nome para sobreviver em 2019? Justiça social não tem nada a ver com comunismo? Ditadura é um componente comum de qualquer País comunista? É possível ser comunista e ter iPhone? Ser comunista e acreditar em Deus é incoerente? Qual o caminho para atingir os valores do comunismo? Comunista é contra empresa privada?

O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), que é “comunista graças a Deus”, tenta desbravar o que está por trás do termo e rebater visões pré-concebidas numa roda (espinhosa) de entrevistadores. Nos 11 primeiros minutos do vídeo abaixo:

 

Caro leitor do GGN, estamos em campanha solidária para financiar um documentário sobre as consequências da capitalização da Previdência na vida do povo, tomando o Chile como exemplo. Com apenas R$ 10, você ajuda a tirar esse projeto de jornalismo independente do papel. Participe: www.catarse.me/oexemplodochile

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Além de Witzel, outros 7 governadores são alvos por gastos com coronavírus

7 comentários

  1. Tapar o nariz… ô gentinha tosca… mal intencionada… ignorante… incapaz de rebater qualquer resposta dele sem uma frase feita, sem slogan e com um mínimo de informação ou conhecimento que se sustenta… haja paciência… deu até dó, rs. Considero piores que os bolsominions. Esqueceram de avisar a pretensiosa Bife Quibe – sou vegetariana mais que nunca, rs – que ele é um cara academica e politicamente qualificado, o contrário dessa tchurma xôxa e arrogante. E o capitalismo não é ditadura? convive bem com a alternativas? Bando de idiotas.

    Socialism Back on Agenda, 30 Years After ‘End of History’
    https://www.youtube.com/watch?v=8B5cf8MaHLc

    Sampa/SP, 09/07/2019 15:48

    11
  2. Meu Deus que povo fraco, raso, repletos de idéias prontas e discursos pré-concebidos …Um horor! Estou com o estômago embrulhando. Juro que fiquei até o fim em respeito ao Gov. Flávio Dino, que quase não conseguiu expor suas idéias.Essa elite meio burra que não conhece a realidade brasileira. Falam de povo como que fala de um morador de Marte…Sinistro dizer que o problema da previdência está no nome ” Capitalização”…No nome? Haja paciência!

  3. É impressionante como gente chamada de “formador de opinião” como esses (ou Leda Nagle, Alexandre Garcia) aí conseguem ser tão toscos, despreparados, sem noção histórica, sequer jornalistica de fazer uma pesquisa sobre o tema que vão perguntar, só repetem rótulos dos mais simplistas, vazios e maniqueístas. Um estagiário com um dia de Wikipedia, Google e Youtube saberia elaborar questões menos toscas e vazias que essas. Foi o equivalente a Carlos Bozo perguntar se chama-se “aquecimento global” quando esfria. Deprimente o nível do debate público.

  4. Mas convenhamos que Flávio Dino (felizmente !!!!) nunca leu o estatuto do PCdoB . Lá está escrito exatamente o que é um partido comunista: “Organização política de vanguarda consciente do proletariado, guia-se pela teoria científica e revolucionária elaborada por Marx e Engels, desenvolvida por Lênin e outros revolucionários marxistas.” Não é a toa que todos os partidos da esquerda europeia mudaram de nome.

  5. Os entrevistadores não são ruins, só não são chapa branca. Quer ver discussões rasas e priorizadas assiste a Fátima. Foi boa a entrevista. O governador saiu muito bem. Só não entendo por que a maioria da esquerda tem dificuldade de dizer que assim como outros ditadores malucos maduro não fica por baixo.

  6. Os entrevistadores estão claramente mais dispostos a por o entrevistado em saia justa (sem conseguirem) do que em debater. Que coisa mais ridícula. Eu achava a Lilian mais inteligente do que isso que está ai no vídeo. Nada contra a linha politica, ideológica de ninguém. Mas essa entrevista está ridícula, na condução e nas mediações. O entrevista acaba brilhando até com certa facilidade ao apenas responder com simplicidade e verdade. Até os olhares dos mediadores traduzem a intensão por trás de cada pergunta, cada comentário. Triste. Dino brilhou.

  7. Q tristeza ouvir tantos jornalistas, profissionais que deveriam ser bem mais informados e FORMADOS, sendo tão ignorantes… Não conhecia o governador, mas é “show de bola”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome