Marta entrega carta de desfiliação e diz que PT se desviou do caminho

https://www.youtube.com/watch?v=Fum8lRnpmNY&feature=youtu.be&a width:700 height:394

Jornal GGN – Após 33 anos de trajetória, a senadora Marta Suplicy formalizou nesta terça-feira (28). A carta justiticando sua saída foi entregue aos diretórios do PT e, segundo informações do Painel da Folha, nas quatro páginas, Marta não cita Lula e a presidente Dilma Rousseff, mas fala sobre os “desvios” do PT para justificar a falta de identidade com o partido que hoje vive o desgaste da Operação Lava Jato.

Em vídeo publicado após o anúncio da desfiliação, Marta voltou a dizer que saiu do PT porque o partido não é mais o mesmo. “O PT acabou se desviando do caminho e se contaminando com o poder. Eu nunca me desviei dos meus valores, e não me desviei da luta para a justiça social. É por essa razão que hoje deixo o partido. Não para desviar do caminho iniciado há 30 anos, mas exatamente para continuar a segui-lo”, comentou.

A ex-ministra da Cultura não informou qual será seu destino, mas a aposta é que ela integre as fileiras do PSB, de olho na disputa pela prefeitura de São Paulo, em 2016. Em entrevistas pretéritas, Marta admitiu que se sentiu preterida pelo PT, que escolheu o prefeito Fernando Haddad para disputar o Paço, em 2012, e deu a chapa majoritária para o ex-ministro Alexandre Padilha na disputa pelo governo paulista, em 2014. Marta também chegou a citar que gostaria de ter sido indicada por Lula no lugar de Dilma, em 2010, para concorrer à Presidência da República.

Leia também:  Sem união, esquerda não chegará ao 2º turno em 2022, diz Dino

Na carta, Marta discutiu a “titularidade do mandato ao afirmar que teve em 2010 mais de 8 milhões de votos e, por isso, deve fidelidade primeiro aos eleitores”, apontou a Folha. Até o fechamento desta edição, o PT ainda não havia se manifestado sobre a disputa em torno da cadeira da senadora, agora que o pedido de desfiliação é oficial.

Há algumas semanas, a imprensa publicou que o partido encomendou um estudo jurídico para saber se é possível cobrar o mandato de Marta. No entanto, há entendimento da Procuradoria-Geral da República e do Tribunal Superior Eleitoral sobre a manutenção da cadeira com o político que a disputou, e não com a legenda. O assunto foi debatido quando Kátia Abreu deixou o PSD rumo ao PMDB, em 2013. Àquela época, o argumento era de que, para o Senado, a eleição é majoritária (o voto seria mérito do candidato), mas no caso dos deputados federais, por exemplo, há o fator “quociente eleitoral” – o candidato é eleito com votos que os demais postulantes da legenda angariaram também.

Filiada ao PT desde 1981, Marta foi deputada federal e prefeita de São Paulo. No segundo mandato do ex-presidente Lula, assumiu o Ministério do Turismo. Ficou na pasta até junho de 2008 e se afastou para concorrer ao Paço, sendo derrotada. Retonou à Esplanada dos Ministério na gestão Dilma Rousseff, mas deixou a Cultura disparando críticas contra a presidente e a gestão da economia, após a reeleição de Dilma.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

34 comentários

  1. E pra onde vai a Marta?

    Qual partido que ela deva ir que tem ilibada imagem real e policial com relação ao PT?  O PSB que recebeu os 20 milhões em caixa dois da Petrobrás? Que os candidatos a presidente utilizazam um avião “sem dono” e que sequem foi listado no TSE? Só isso já poderia ter sido motivo de impedimento caso o candidato – Eduardo e Marina – tivesse sido eleito. E sobre o PSDB e DEM que sempre lideram as listas e ranking de corrupções? Marta: Por favor emita – quanto a honra, moral e aspectos judiciais – uma opinião sobre pelo menos esse dois últimos?

  2. Pluripartidarismo

    Desde quando sempre votei na família Suplicy, agora, decepcionado, espero que essa criatura devolva o mandato para o Partido dos Trabalhadores.

    Mais uma traíra safada!!!

    • issai

      Se tu Marta é macho mesmo entregue o mandato djá. 

      Quem sabe você resgate alguma coerência. Você, senadora, representava os eleitores do PT. Se não quer representá-los mais, devolva.

      Ah, e vá pela sombra. 

      • Arre, de novo o machismo! Ela nao é macho nao

        Que coisa! Critiquem a traiçao da Marta, ela merece. Mas nao enfiem machismo no meio da crítica, que isso desmerece quem faz a crítica assim, e nao a pessoa criticada. 

        • machismo

          A. L., 

          Não há nenhum viés de machismo no comentário. Talvez um pouco de ironia. A licença poétia é solicitada pela palavra “djá” no fim da linha. Isto não foi um erro, mas sim proposital. 

          Mais, não se vê no comentário nenhum desmerecimento à pessoa da Marta. Nem em traição eu falo, acho que ela tem o direito de sair sem ser julgada traidora.  Desculpe se lhe soou mal.

          Também acho que ela deveria devolver o mandato, como eu disse.

          Acho que doravante guardarei minha ironia para o blog do egrégio professor Hariovaldo. Aqui parece que as pessoas não aprovam. 

          • Isso nao é ironia

            Dizer a uma mulher “se vc é macho entao faça isso” nao é ironia nenhuma. É desrespeito no mínimo, e tem boa probabilidade de ser uma insinuaçao de “macheza”. 

            Agora, que ela deveria devolver o mandato, concordo em gênero, número e grau. 

  3. Que,estar se desviando é  ela

    Que,estar se desviando é  ela   veja o partido que ela  escolheu  justamente o PSB   um partido que  praticamente expulsou  seu presidente  o  Roberto Amaral, isso porque  nele  tem  muita  gente  da direita   se nao fosse assim eles  dariam apoio ao  presidente do partido.  Veja  se isso acontece com o PCdoB,  nao acontece  o partido é fechado e todos os seus  membros  estao  coesos. e nao permitem que  um  deputado  vote diferente dos outros. tambem nao aceitam ghente que tenha pensamento de direita  ou contrario ao parttido , 

    A dor  maior  de  Marta  Suplicio  é que  ela queria voltar  a ser   prefeita em SP  e   Haddad  vai   se  reeleger  e ela  tem dó por  isso. 

  4. O PT se desviou do caminho na

    O PT se desviou do caminho na medida que não fui indicada à presidencia da república no lugar da terrorista.

    Eu seria a candidata natural por ser fundadora do partido, diferente dessa terrorista que chegou agora.

    Por isso morro de inveja e de raiva.

    E daí ?

    Pronto falei !

  5. Só acho engraçado, muito

    Só acho engraçado, muito engraçado (para não dizer outra coisa), que ela opte por um partido (PSB), que claramente é uma miscelânea ideológica. Nessa lógica, é pular da frigideira para o fogo! Inventa outra, D. Marta!

  6. Depois do debochado “relaxa e

    Depois do debochado “relaxa e goza” seu carisma diminuiu. Deveria ficar contente de ver surgir lideranças novas como o Haddad e entender que os políticos profissionais sempre tem rabo de palha e não gozam de grandes simpatias. E precisam, mais do que os outros, de muito mais dinheiro para se reelegerem. Mas, alguma coisa de diferente o PT, não sei se só o de São Paulo tem. E merece uma análise. Não lembro se foi o PHA que disse que nada mais parecido com tucando do que um petista paulista. Aliás, tudo de São Paulo merece estudos à parte. A começar pelo comportamento da justiça na proteção tucana. Para mim, quando a Marilena Chauí faz uma análise da classe média, acho que ela se referia a de um estado em particular. É possível que, se a Dilma cultivasse os mesmos hábitos de Marta, inclusive quanto as amizades, poderia se aconselhar com Nahas e GM. Pena a insensibilidade do Lula, percebendo a dificuldade de ganhar eleição, selecionar uma candidata fora do circuíto. Sem rabo de palha. E o circuito que empresta desenvoltura à Marta, Dilma não está familiarizada. E nós, eleitores de Dilma, dispensamos ambientes de inveja e “traición”.

  7. e por se falar da filha

    e por se falar da filha pródiga Marta, aproveito ensejo para dar voz ativa militante para outra filha pródiga do histórico PT:

    “Vou contar dois episódios. Quando eu estava ainda no governo da Erundina (1989 – 1993), já no final da administração, houve um congresso do PT. Eu fui no último dia, quando havia deliberações e moções para apresentar na assembleia geral. Entrei na primeira sala, sentei. Disseram algumas coisas. Não concordei e levantei a mão. A pessoa que estava dirigindo os trabalhos disse: “A companheira é delegada”? Eu disse: “Não”. “Então a companheira não pode falar”. Pensei com meus botões: “Entrei na sala errada. Esta não é uma sala petista. Deixe-me sair”. Saí. Entrei numa outra sala, discutia-se outra coisa. Também tive uma discordância e levantei a mão. A pessoa que dirigia me perguntou: “A companheira é delegada”? Eu disse: “Não, mas já participei de tanto congresso do PT em que a gente fala…Eu não vou votar, porque eu não sou delegada, mas eu vou falar”. “Não, a companheira não pode falar”. Esse congresso era num lugar que tinha um pátio interno grande. Fui, então, para o meio do pátio e comecei a gritar:”Destruíram o PT! O PT acabou! É preciso refazer o PT!” Fui levada para fora do recinto, porque “a companheira não estava entendendo o congresso”. Bom, eu venho de um período em que o PT era a reunião de movimentos sociais e populares, Comunidades Eclesiais de Base, movimentos sindicais, exilados políticos, ex-guerrilheiros, estudantes, professores, escritores, artistas… Nós formavámos o partido e discutíamos tudo; decidíamos tudo. Quando vi o formato que tinha tomado, falei: “virou uma máquina burocrática”.

    […]

    Segundo episódio: quando ocorreu o Mensalão e houve toda a crise, surgiu um grupo que propôs a refundação do PT sob a liderança do Tarso Genro; é um grupo que se chama “Mensagem ao PT”. Eu participo desse grupo, que é completamente autônomo. De vez em quando, temos uma ideia e comunicamos uns aos outros. O Juarez Guimarães fez um livro chamado “Leituras da crise”. Lá se encontra minha análise crítica do que aconteceu com o PT: máquina burocrática, máquina eleitoral, sem participação das bases, afastado dos movimentos que deram origem a ele e que o fizeram crescer; portanto, um partido que precisa ser refundado.”

    Marilena Chaui em entrevista na revista CULT, edição de Agosto de 2013.

  8. E o mandato, quando vai

    E o mandato, quando vai devolver ao partido especialmente por estar se bandeando para um partido que serve à direita? Marta, não votei em você, votei na candidata do PT! Entendeu? Não ajudei a te eleger pra ir jogar no time do inimigo. O partido pode entrar no TSE reclamando a devolução do mandato?

  9. Marta Suplicy

    Dona Marta, se a senhora quer um partido s/ máculas, melhor procurar fora da política, ou criar um, para ser chamado de seu. Nele poderá se candidatar a todos os cargos que quiser e não haverá ninguém para lhe tolher. Agora entrar p/ o PSB é não saber o que fez os Olhos Verdes para se candidatar à presidência, é demais mesmo. O Lula o queria candidato em 2018, mas ele preferiu se unir a quem jamais é pego por nada e deve pagar bem melhor. Haja vista o aviãozinho que conseguiu, mesmo que sem dono e sua substituta que escolheu p/ seu min. da fazenda, quem mesmo? Armínio Fraga, não é? Vai ficar mal acompanhada da mesma forma, se esta é realmente a causa de sua despedida. Lembre-se : Quem era o seu 1º marido antes do Partido dos Trabalhadores ? E quem era a sra.? simplesmente uma ex funcionária da rede Globo de Televisão.

    Boa sorte, enfim.

  10. Devolve o mandato, seja elegante

    É espantoso ver que políticos não querem largar o osso. Dona Marta é uma bela senhora de 70 anos. Oficilamente, deveria ser uma aposentada, com direito a aposentadoria com o fator previdenciário que FHC criou, mas que gente do PT (ela, inclusive), permitiu que continuasse. Dona Marta não tem mais idade para ser prefeita de São Paulo, uma das maiores cidades do planeta e que exige muita enegria física para administrá-la. Dona Marta no comodo (fisicamente) cargo de senadora não deu conta do recado, não se empenhou para apresentar projetos de relevância para a população .A aposentadoria do povo , por exemplo. E não se preocupou nadinha em apresentar medidas, lutar para enxugar os gastos imensos do senado. Especialmente os de gabinete (qual será o dela?). Votei nela para senadora levando em conta a boa gestão como prefeita e o fato de, no senado, ser uma força aliada ao governo de Diklma, do PT. Há tempo que ela pisa no parfido e há tempo que ela deveria devolver o mandato aos seus eleitores e o partido. Devolve o mandato, feche a sua biografia de maneira elegante.

  11. Marta partiu, para o chiqueiro da massa cheirosa!!!!!!!!!!!!!!!!

    Querida Marta, permita chama-la assim, “querida”. Quero discordar de você sobre esse assunto de que o PT desviou do caminho que você entendia como certo. do caminho que atende o mais pobre. entre outras coisas. Agora posso lhe perguntar: Eo PSB é o partido que tem tudo isso que você buscou no PT por 30 anos? Claro que não, é uim partido tão fisólogico quanto qualquer outro, diria a você que ele é um partido que se asemlha ao PMDB, um misto de tudo que representa tudo, mas que na verdade só quer o poder pelo poder, sem projeto de ESTADO

    Querida, você sabe que só saí  para ser candidata a prefeita de São Paulo, e não quer declarar isso, seja por vergonha, ou seja por estrátegia politica de algum marqueteiro.

    Sinto-lhe, mas vou informar que o PT ganha com sua saída, ganha no respeito, pois a tempo desde que você falou em rede aberta de TV para todos os brasileireos relaxarem e gozarem com o transtorno áerio que você perdeu o respeito da classe média, e ganhou a simpatia da burguesia paulista. O PT ganha porque você é rancorasa não trabalha para o grupo, mas sim para você mesma e sua idade avançada não lhe permite esperar mais 4 anos para tentar internamente no PT ser candidata a prefeita ou seja o seu projeto claro e cristalino é a prefeitura de São Paulo.

    Aí o PT ganha de novo, pois estará sem você para dividir o Partido de novo como fez nas últimas eleições.

    Pois é com alegria que digo-lhe, juntas-te a trupe da Marina e o que lhe reserva a história se não o escanteio da politica

    Marta vá com Deus, só que tem um deltalhe, o mandato pertence a este partido que você agora gospe nele como se nunca teviste servido-a.

    Vá Marta, vá, mas lembre-se deixe o mandato do senado a quem pertence ao Partido dos Trabalhadores….

  12. Devolve

    Se o PT se desvirtuou no Poder, a sra foi uma das grandes beneficiárias, não é atoa que és Senadora da República, então, para ser coerente com a sua nova moral, ENTREGUE o mandato para o PT e comece a vida do zero, assim estará comprovando a sua honradez. Somente isso.

  13. Descobriu isso depois de 33

    Descobriu isso depois de 33 anos, depois que o partido lhe elegeu prefeita, senadora e lhe deu o cargo de ministra? Vai com Deus.

  14. “O PT acabou se desviando do

    “O PT acabou se desviando do caminho e se contaminando com o poder. Eu nunca me desviei dos meus valores, e não me desviei da luta para a justiça social. É por essa razão que hoje deixo o partido. Não para desviar do caminho iniciado há 30 anos, mas exatamente para continuar a segui-lo.”

    Esta é muito boa. Enquanto esteve no partido, sempre esteve ao lado da degeneração, sempre apoiou a burocratização, a autonomização das grandes figuras, a subordinação do partido aos mandatos legislativos, a destruição da democracia interna, a promiscuidade em relação à imprensa burguesa.

    Agora vem dar uma de Madalena arrependida.

  15. LAMENTÁVEL

    É lamentável ver alguém que fez sua história num partido, sair batendo a porta desse jeito. Não há como não pensar que há muito de ego e oportunismo ao saltar fora nesse momento tão difícil.

    Marta foi pioneira em muitas coisas e lamento profundamente que minha admiração por ela acabe de forma tão definitiva. No mais, em nome dos velhos, que vá pela sombra e seja feliz…

     

  16. Recado de um morador da periferia à Dona M. Suplicy

    Dona Marta, gostei das suas gestões na Prefeitura de SP, que focou nos mais pobres da periferia. Sou grato pelos CEUS, e pelo criação do bilhete único, que beneficia até os coxinhas de SP. Porém saiba que quando votei na senhora, votei por conta PT, ou seja, mesmo considerando a senhora um grande quadro, não terás meu voto em outro partido, sobre tudo se for PSB, que abrigou Marina (que pelo jeito fez escola), expurgou  Erundina e Roberto Amaral, dois dos seus maiores quadros identificados com a esquerda (bem feito para os dois, quem mandou abraçarem a ideia da Marina, esta, a serviço da direita?!). Lhe deixo a pergunta: sendo a senhora um quadro representativo na legenda, porque não provocou um debate interno em busca de correção de rumos?

    Entretanto, obrigado e boa sorte.

  17. Sabe O Jatinho Acidentado Sem Dono? Agora Vamos Saber De Quem é

    Assim que Marta assinar a ficha de filiação no PSB, certamente todos os brasileiros estarão sabendo de quem era o jatinho que caiu matando, entre outros, Eduardo Campos, então candidato a presidente pelo PSB, como também quem fornecia o dinheiro às despesas e que o ban-doleiro Youssef, apenas em relação ao falecido líder do PSB, mostra ser um tremendo mentiroso ao acusar o morto, como quem possa ter levado alguns merréizinhos à campanha do seu partido, por conta da Petrobrás, na denúncia recompensada, daquela tal de delação premiada promovida pelo juiz Moro da operação vaza-jato, aquele que entre outras coisas, tem absoluta certeza hoje, de não ter certeza alguma amanhã, se é a cunhada presa ou a esposa solta, fotografada no caixa eletrônico do Banco.  Pode isso, Steve Wonder?

    Mas de uma coisa podemos ter certeza absoluta, se Marta não permanece em partido que não lhe permita manter-se imaculada, imaginem então se irá entrar em partido que não lhe permita manter a imagem com tanto esforço sendo repaginada. 

    Só mesmo rindo e desbragadamente, para não ter engulhos com essa gente issssspeeeeerta.         

  18. Todo PSB votou contra a Terceirização?

    Ex-senadora, o seu partido atual votou todo contra a Terceirização? Quem é Lamerda e a quem ele deu apoio na última eleição? 

  19. Companherada

    O primeiro suplente da Marta é do PR, entenderam ?

    Não tem como devolver mandato, senador não é eleito por legenda partidária. É uma eleição majoritária.

    Sabem a diferença ?

    Quanto a senhora senadora, se quiser valer esse discursinho aí, tem que se filiar ao PSOL ou a outro partido novo de esquerda que apareça por aí.

    Trocar o PT pelo PSB é trocar merda por bosta. Só muda o nome.

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome