Os interesses estrangeiros chegaram à presidência da Petrobras

Jornal GGN – Enquanto o senador Aloysio Nunes é escrachado no Aeroporto de Brasília por funcionários da Petrobras que o chamam de “entreguista”, o novo presidente da estatal do petróleo critica os governos petistas e demonstra apoio ao projeto do ministro interino das Relações Exteriores, José Serra, para alterar a lei de partilha do pré-sal.

Pedro Parente assumiu o cargo na última quinta-feira (2) e falou tudo que os tucanos queriam ouvir. Disse que a Petrobras “foi vítima de uma quadrilha organizada para obter os mais escusos, desonestos, antiéticos e criminosos objetivos”. “Crimes que foram praticados por pessoas que se valeram de seus cargos para sustentar seus projetos de riqueza e poder”.

O novo presidente falou em nome da companhia quando disse que a Petrobras apoia a revisão da lei de exploração do pré-sal. De acordo com ele, a participação mínima obrigatória “não atende aos interesses da empresa nem do país”. Faltou combinar com os funcionários.

Parente disse que se a exigência for mantida, a exploração do pré-sal será retardada. Seu raciocínio só ignora um fator: o preço do barril no mercado internacional. Esse sim é o ponto principal sobre a viabilidade da exploração, não o arcabouço jurídico que dá à estatal brasileira o direito mínimo de 30% em todos os poços.

Para o novo presidente da Petrobras, a regra “retira a liberdade de escolha da empresa, de somente participar na exploração e produção dos campos que atendam o seu melhor interesse”, “o que é imperdoável para uma empresa listada em Bolsa”.

Leia também:  Mensagens entre Moro e Dallagnol podem abalar imparcialidade da Lava Jato

A Petrobras de Pedro Parente é uma empresa que abre mão de explorar petróleo e entrega esse direito à iniciativa privada estrangeira. Em troca de se posicionar melhor na venda de papéis financeiros.

O executivo também criticou a política de conteúdo local, que estabelece uma participação mínima de 60% de itens fabricados no Brasil em todos os projetos da estatal. Ele reconheceu que a regra possibilita a existência de toda uma cadeia de valor, e é necessária para permitir ao “nosso setor industrial a ser competitivo globalmente”. Mas defendeu que “prevaleça pela competência, que permita passar pelo teste ácido da concorrência e não pela constituição e reserva de mercado”.

Por fim, Pedro Parente disse que a Petrobras vai continuar a contribuir “de maneira irrestrita e incansável” com a Operação Lava Jato. “Como vítimas, somos os maiores interessados na total elucidação de todos os crimes e na sua reparação”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. Post (2)

    Parente é Serpente: golpe ataca Petrobras e Pré-sal (2)

     

    Por Romulus

    – O planos das serpentes foi mais detalhado hoje, com a confirmação do ataque ao modelo de exploração do pré-sal, do uso do rombo inflado de 170 bi como álibi para privatizar barato e o anúncio de que também atacarão a política de conteúdo local.

    – Não sobra nada do sonho de desenvolvimento autóctone de uma indústria naval com escala para voos internacionais, de uma siderurgia mais sofisticada, da robótica, da petroquímica e mesmo da indústria petroleira nacional, com ganhos de escala da Petrobras também para voos maiores.

    – Novamente: como que uma empresa cuja emissão de títulos tem mais procura do que aquilo que ofertou recentemente “precisa de capitalização pelo tesouro nacional”? Puro sofisma. Caso a vontade fosse não dispor levianamente do patrimônio da empresa, bastaria, como no passado, lançar mão de uma operação de cessão onerosa.

    – A novidade de hoje é que Pedro Parente (Serpente) é apenas meio maquiavélico: os fins justificam os meios sim, mas a maldade não é feita nem rapidamente nem de uma vez só.

    – Ironia das ironias, sobrou até para os donos do pato amarelo inflável da Paulista. Desta vez vão sim pagar o pato.

    LEIA MAIS »

    • Desmonte da Peroba

      Tudo isso é verdade, infelizmente.

      Porém esqueces que nada dessa utopia de que falas foi buscado na década governada por lulla e dilma…. 

      Será apenas o ditado popular “ruim com elle, pior sem elle? 

  2. Parente disse a que veio: desmontar

    Escrevi 2 posts, cada um sobre as declaraçoes dele nas duas cerimonias de posse. A primeira foi ruim. A segunda ainda pior.

    Queria muito ver a cara dos industriais que apoiaram o golpe…

    Parente é Serpente: golpe ataca Petrobras e Pré-sal, por Romulus (1)

    Por Romulus

    – A escandalosa fraude político-jurídico-administrativa, em que um governo – ainda em seu interinato! – arvora-se o direito, já que o STF e a PGR assim permitem, de praticar atos da maior relevância programática e de difícil (impossível?) reparação.

    – Mesmo que Parente acredite que a desestatização seja benigna, como pessoa pública aceita usar uma fraude fiscal como álibi para vender o patrimônio da União.

    – Tal venda – num momento de depressão de preços na indústria do petróleo em nível mundial e de depreciação dos ativos nacionais pela conjuntura política e econômica e pela desvalorização do Real – constitui uma lesa ao Estado brasileiro sem precedentes.

    – Como que uma empresa cuja emissão de títulos tem mais procura do que aquilo que ofertou precisa de capitalização pelo tesouro nacional? Caso a vontade fosse não dispor levianamente do patrimônio da empresa, bastaria, como no passado, lançar mão de uma operação de cessão onerosa.

    LEIA MAIS »

  3. O maior golpe foi dado nos

    O maior golpe foi dado nos ultimos anos com esta administracao que permitiu todos estes desmando e roubos, dizer que a presidencia e a diretoria nao estavam envolvidos e demais e muita ironia ,todos sabiam e saquearam a empresa.

    Fico me perguntando a Petrobras e do Brasil ou dos funcionarios e dos politicos corruptos que se apossaram dela? 

    • Resposta: A Petrobrás é dos

      Resposta: A Petrobrás é dos brasileiros.

      Pergunta: Quando você fala em presidência e diretoria que estariam envolvidos, não ficou claro, refere-se ao que foi denunciado por Paulo Francis na década de 90?

  4. Desconstruir Dilma

    A estratégia do momento é desconstruir a imagem da Presidenta Dilma no que tange à sua integridade e honradez reconhecidas até pelos seus adversários. O PIG promoverá essa campanha com base em mentiras e com a sem-vergonhice que lhe é peculiar.

  5. “Enquanto o senador Aloysio

    “Enquanto o senador Aloysio Nunes é escrachado no Aeroporto de Brasília por funcionários da Petrobras que o chamam de “entreguista”, o novo presidente da estatal do petróleo critica os governos petistas e demonstra apoio ao projeto do ministro interino das Relações Exteriores, José Serra, para alterar a lei de partilha do pré-sal”:

    Se nao me engano muitissimo, o Nassif previu isso AQUI no blog uns 4 meses atraz…

    Alguem tem o link?

  6. Golpe e dissimulação

     

    Reconhecendo o q escreve a colunista do 247 Tereza Cruvinel
    “Há dois movimentos caminhando juntos neste momento, em velocidades diferentes: a delação dos dirigentes da Odebrecht e o esforço do bloco de Temer para acelerar o ato final do impeachment da presidente Dilma, de modo que ele ocorra antes das revelações da empreiteira. Se elas tiverem a força e o alcance esperados, revelando todos os participantes do esquema “ilegal e ilegítimo de financiamento do sistema partidário-eleitoral do país”, como anunciou a própria empresa em março, as condições para a condenação de Dilma podem ser definitivamente comprometidas”, escreve a colunista do 247 Tereza Cruvinel; a jornalista lembra que “elas já se deterioraram muito por conta das bizarrices do próprio governo interino, ameaçando a consecução dos 54 votos necessários”

  7. PETROBRAX DE PARENTE DO PSDB

    Sem sobra de dúvidas Parente vei como o coveiro a serviço de Serra/FHC, para entrega da Petrobrás e o Pré-Sal.

    A resistência do Sindicato dos Petroleiros tem de ter o apoio total da sociedade civil organizada, na defesa deste grande patrimônio nacional, tecnológico, mineral e patrimonial.

     

    • petrobrax…

      Petrobrax, meu caro amigo, será que os brasileiros já esqueceram disto? E Vale do Rio Doce que virou apenas Vale? Dos supercargueiros coreanos, de custo e procedência melhores que os dos trabalhadores brasileiros, diziam? Aqueles que na viagem inaugural racharam ao meio, tendo que jogar milhares de toneladas de minério de ferro no mar, para não naufragarem. Já doamos quase 40% da Petrobrás por uma ninharia. Empresa que extrai 1 milhão de barris de petrólero/dia a US$ 35, com reservas de mais de 10 trilhões de dólares. Fora toda autonomia energética, produção tecnológica e empregos de alta especialização e os ganhos de capital com tamanha produção, fica claro que somente um país com tamanho atraso intelectual pode aceitar a possibilidade de deixar de administrar empresas deste vulto.  Pobre país limitado.

  8. No Exterior não dão trégua ao golpe

    Enquanto isso os protestos contra o golpe no Exterior não param. A consagrada jornalista econômica, Naomi Klein, canadense, autora do livro “A Economia de Desastre” (recomendo) criticou duramente o atentado dos golpistas contra a democracia brasileira. E na Conferência Nacional do Trabalho em Genebra um diplomata brasileiro, sob as ordens de Serra, tentou defender o golpe e levou uma estrepitosa vaia, não só de brasileiros.

  9. Subiu Serra e voltou ComDor?

    Serrás que atravessaram o aconcágua e voltaram para USPe  Unicamp devido a seus ideiais libertários?

    Há dúvidas das intenções dos ex-presidentes da UNE e do Brasil.

    Pinochet deixou eles voltarem, trouxeram juntos alguns protetores e condutores? Je ne condui pas!

     

    “É melhor para o Brasil entregar a Vale do Rio Doce, entregar o minério bruto aon invés de criar tecnologias de processamento e transformação… É melhor entregar o pré-sal que os estrangeiros não conseguiram achar, agora para explorarem, e acabem com as verbas para educação pública, creches, ciência e educação!, Será! Serrás qui Serrás!? Qui Serrás?

    DUCOR Non DUCO!

  10. Roubar-se-há o pré-sal?

    O açodamento do Parente em dizer que vai entregar o pré-sal escancara o porquê de sua nomeação. Não nos iludamos, a maior descoberta de petróleo dos últimos 30 anos corre sério risco de ser mesoclisada. Vão roubar o país debaixo de nossos narizes! Crime de lesa-pátria, preço que os tucanalhas exigem para manter no poder esse interino traíra!

     

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome