Petrobras: um financeiro competente no lugar errado, por Luis Nassif


Foto: Agência Senado

O novo presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, é um financeiro reputado, sério, competentíssimo na sua área, com papel central para acalmar mercado depois do terremoto Lava Jato e da saída de Graça Foster. E, provavelmente, será um desastre.

Desde os anos 90, o mundo corporativo aprendeu a distinguir o grande CFO (o financeiro) do CEO (o presidente).

É conhecido o caso Sharp, no qual um grande financeiro assumiu a presidência, colocou a empresa no azul em três meses, e a liquidou. Para alcançar o objetivo trimestral, desmontou a área de desenvolvimento, de marketing e outras peças centrais.

Mais recentemente, se tem o caso Britaldo Soares, diretor financeiro da Eletropaulo. Foi elevado a CEO, cortou custos de manutenção, estourou as redes obrigado a AES a vender a empresa, tais os investimentos necessários para manter a concessão.

O único parâmetro do financeiro é o balanço trimestral. No caso do petróleo as qualidades de um bom financeiro são os defeitos de um bom CEO. O financeiro é por natureza conservador. Sem a ousadia calculada, a Petrobras jamais teria avançado no pré-sal ou nas incursões fora do país, até se transformar na segunda petroleira do mundo, antes do desmonte de Pedro Parente.

Além disso, a maneira de mitigar riscos – ou oscilações desnecessárias de preço – é a integração. A lógica da produção e do refino interno é justamente a de descolar dos preços internacionais. Quando as cotações internacionais explodem, seguram-se as internas e ganha-se nas exportações de derivados.

A lógica de Parente é a do desmonte total da cadeia do petróleo.

Leia também:  PCO abre discussão civilizada sobre os limites do pacto político

Espera-se que, como funcionário de carreira do Banco do Brasil, Ivan tenha a sensibilidade de perceber a relevância da empresa para o país.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

28 comentários

  1. Infelizmente, foi indicado

    Infelizmente, foi indicado pelos que planejam o desmonte da Petrobrás, não desobedecerá seus chefes. A continuar assim, logo só restará o nome da Petrobrás, todo seu patrimômio estará em poder de empresas privadas.

  2. Pronto ..lá vem
    Pronto ..lá vem elogios

    Nassif já elogiou a visão de Haddad e Dilma..

    De serra parente Gustavo Franco ..de Blairo Maggi, bendini e tantos outros

    A julgar pela regra .. não vai dar outra ..o cara deve ser uma merda

  3. Preguiça, burrice ou vaidade?

    Por que as pessoas não fazem associações corretas com as grandes forças econômicas e as políticas públicas?

    Por que o país não tem as suas próprias montadoras, considerando-se o potencial energético  humano e de matéria prima que dispõe?

    Por que ainda precisamos utilizar o petróleo como combustível?

    Por que temos que depender tanto dos automóveis em vez de o poder público investir num transporte de massa com qualidade abrangência e conforto?

    Por que permitir o desmonte de nossas ferrovias, a exploração e a exportação “in natura” de nossa matéria prima em vez de investir na educação e na tecnologia para transforma-la em tecnologia de ponta  no país?

    Por que permitir que se cultive a vaidade do “status” de se possuir um automóvel em vez de ter habitação, emprego e qualidade de vida?

    Vamos ter que perder tudo até aprender e depois nos tranformarmos nas vorazes criaturas que nos devoram?

    A resposta a gente sabe, só não conseque repassar para as gerações seguintes.

     

     

      

    • por que?

      Acho que não sabemos. Acho mesmo que as respostas que ligam as perguntas ao saber demandam uma investigação difícil para se atingir um conhecimento quase impenetrável, por que localizado em lugar não sabido. Não trocamos as informações basilares e não as cumpliciamos, quero dizer, compartilhamos visando o interesse comum posto pela perspectiva nacional. Enfim, faltou nação, na modernidade, faltou tudo. Enquanto isso, os outros nacionais daqui, vendem o petróleo do mesmo modo como venderam o pau-brasil, mutatis-mutandis, o café, o minério…

      Os exploradores metropolitanos viraram heróis na colônia. Os pernambucanos se derretem pela Nassau. Tanto o Evaldo Cabral quanto o compositor popular, que diz, “foi um invasor muito genial”. Em Minas Gerais, de onde o minério se esvai desde… sempre, o mercenário Henrique Halfeld é nome da rua e da comenda que agracia os seus “beneméritos”, uma ridicularia. O francês ou inglês, ou alemão, ou português, não, português não, que fundou a escola de Minas de Ouro Preto, hoje Universidade Federal de Ouro Preto (claro, a gente paga todas as contas) na segunda metade dos Novecentos, para colocar nos trilhos da exportação a matéria prima barata, dá o nome da Fundação Gorceix.

      Não vou, por inútil, esticar o texto, mesmo porque não vislumbro poder colaborar. Acho que tem muita gente desesperançada nas ruas. Tenho visto olhares de extração vira-lata, com todo respeito, explico. O Fernando Henrique Cardoso virou as costas e o rabo para o Clinto trepar nas costas dele. Fez mais, mutatis mutandis, o mesmo papel da estagiária Monica Lewinski. A diferença é que com a estagiária ele fez escondido e com o Brasil,  ele chamou a imprensa mundial. Um vira-lata feliz, sorridente, eufórico, radiante, com um sorriso apatetado, rastaquera.

      O vira-lata da rua está contido, com medo, com fome. Aceita qualquer coisa pelas circunstâncias, mas pode se revoltar… Afinal, é humilhação além da conta a pessoa perder o emprego e virar pedinte. Nem sei se é lícito ter esperança nessa desgraça, mas diante da desgraça que é a classe dominante do país, termino com um ditado do pantanal: PRÁ QUEM TÁ AFOGANDO JACARÉ É TRONCO!

       

  4. O cara …

    O cara vem para levar a empresa seis meses.

    Dois de seus balanços , não deve destruir tudo até lá.

    Aí vem o próximo presidente para vender para os chineses acabando a coceira, Pequim então decide o preço do diesel c@#$%^&* para greve …

    🙂

  5. A era dos CFOs como controle

    Uma vez eu ouvi em um curso, “quem sai pra almoçar com o presidente é o diretor financeiro”. Mas quem disse essa frase também disse “diretor financeiro é diretor financeiro, e só”.

    Mas isso foi antes da era dos CFOs e da era do endeusamento dos CFOs pela ditadura dos resultados trimestrais e pela tirania dos “acionistas” – leiam-se os fundos abutres, corporate raiders e outros que eram foras-da-lei nos anos 80 e hoje em dia são saudados como activist shareholders e outras limpezas de barra-pesada.

  6. Parem de julgar Parente como administrador…

    Parente é um excelente administrador; disso não se tem dúvida. O problema é que na Petrobras ele não foi nomeado para administrar nada. Quando o inútil Aloysio Nunes foi à Washington (ainda se acreditava que Hilary levaria de barbada…) logo depois do Golpe, foi justamente para avalisar a escolha dos americanos, Pedro Parente. Que fez exatamente o que dele se esperava… arrebentou a Petrobras e fez os investidores americanos ganharem rios de dinheiro. Vendeu, vendeu, vendeu e aumentou preços. No melhor estilo Tucano… Aliás, a única coisa que fazem quando estão no Poder. São Paulo que o diga…

  7. Vá com Deus

    Desejamos ao Sr. Ivan Monteiro que, em relação a mais esse desafio que ora encontra em sua carreira, fracasse retumbante e miseravelmente na tarefa de entregar os interesses brasileiros ao capital do dólar estadunidense, obtendo assim profundo sucesso na tarefa de salvaguardar a soberania e independência do nosso país, bem como a prosperidade do nosso povo.

  8. MAIS UM AUMENTO Ivan o Terrível

    Ivan O Terrível acaba de dar NESTE SÁBADO mais um aumento na gasolina de 2.25%. INACREDITÁVEL já é o segundo aumento em dois dias. Quem defenderá o povo? Para onde caminhamos com um governo de tamanha insensibilidade?

  9. Caro Nassif
    Mas quem falou

    Caro Nassif

    Mas quem falou que o Parente não era bom, era excelente, sempre contra o povo e a favor dos acionistas. É o povo que atrapalhou essa dedicação.

    O golpe quer pessoas competentes, há que serem bons enteguistas, de outra forma, não seria chamado por Temer.

    Não basta desmontar, há que se entregar as partes, para se encaminhar o todo.

    Saudações

  10. Competente no lugar errado?

    Nassif, creio que, do ponto de vista deste (des)governo, ele é a pessoa ideal para fazer, na Petrobrás, o que seu alter ego fez na Sharp, lamentavelmente!

     

  11. como financeiro conservador e curto prazo não combinam…

    acredito que os brasileiros terão que se contentar com o pouco que sobrar dessas riquezas

    e só no futuro, quando esgotado o prazo de validade desses entreguistas

  12. Trata-se de mais um caso da
    Trata-se de mais um caso da antiga teoria do limite de competência. Explico: Dunga era um especialista em defender. Mas seria um péssimo armador,ali colocado por ser um ótimo defensor. Entendeu? Ser ótimo como financeiro ortodoxo não o credencia à presidência.

  13. preciso estudar muito ainda…

    a ponto de chegar a poder expressar com palavras………………………………………tenta, peregrino

    tento porra nenhuma…………………………………………………………………

    só me dou bem em aberturas móveis de tempo com números, com pessoas não

    e palavras são para pessoas, principalmente as que variam sempre iguais

    país de merda, é por isso que não vai pra frente, porque ser do futuro sempre é o mesmo que não sair do lugar

    sempre na merda

  14. Petrobras: um financeiro competente no lugar errado

    -> Espera-se que, como funcionário de carreira do Banco do Brasil, Ivan tenha a sensibilidade de perceber a relevância da empresa para o país.

    Ivan Monteiro é um dos Palocci’s Boys do BB, muito embora em si mesmos sempre tenham sido uma confraria, desde seus tempos de menudos estagiários.

    {na verdade a consolidação dos Palocci’s Boys do BB contou com uma ajudazinha, aquela mesma sempre solícita desde os tempos de Ribeirão Preto. aliás, a mesma inspiradora assessoria da “Carta aos Banqueiros Brasileiros”. pena tudo ter acabado no ostracismo, ainda que milionário. poderia ser pior, levando-se em conta o atual endereço de Palocci. mas o mundo gira…}

    vindos dos tempos de FHC, os menudos a cada degrau mandaram às favas os escrúpulos, para galgar a hierarquia sempre fazendo o que seu chefe mandar. se for de sua conveniência, são capazes de lentamente torturar a própria mãe até a morte.

    carreiristas, puxa-sacos, intrigueiros, vingativos, subservientes, vaidosos, arrogantes, soberbos, incapazes de sequer uma única idéia própria, burocratas medíocres, ostentam vaidosamente títulos, diplomas e cargos ocupados, mas seu currículo de realizações é prova incontornável de sua incompetência prática de gestão. por conta própria, levariam à falência qualquer mina de ouro.

    espécimes legítimas de PTucanos, foram os capatazes encarregados pelos governos Lula e Dilma para manter o ambiente profissional no BB como um inferno, herança maldita de Collor e FHC.

    foi assim que se destruiu o “funcionalismo de carreira do BB”, asfixiando os funcionários através de uma sórdida gestão de pessoas, adoecendo-os e suicidando-os, tudo em nome da função social da empresa como lucro. e quanto mais lucro para os acionistas, mais distante das demandas do país e de sua população.

    com o Golpe de 2016, a gangue continuou servindo ao novo senhor. e após Bendine ter sido atirado nas masmorras da Lava Jato & Associados, os demais certamente estão mais dóceis e obedientes do que nunca.

    foi assim que o Brasil, e todos nós, acabamos no abismo sem fundo no qual continuamos a despencar.

    como me disse uma grande amiga, quando a encontrei em frente a ALERJ no dia do enterro de Marielle e Anderson: “- Querido, nós fracassamos como espécie..”.

    .

  15. Pelo que li. o jornalista que

    Pelo que li. o jornalista que conhece as peças, Pedro Parente e Ivan Monteiro, entende que ambos não estão preparados para dirigir empresas, gerir suas estratégias e objetivo, muito menos uma estatal, menos ainda a Petrobras. Parente já foi defenestrado por sua incompetência na função, por ter gerado a maior crise no mercado de derivados de petróleo de todos os tempos no Brasil, estando a Petrobras uma empresa praticamente monopolista em muitas áreas de sua atuação, com capacidade de produção própria de petróleo ao nível de abastecer todo o mercado do Brasil, sem nenhuma crise cambial, praticando uma política (?) de preços, em mais de sessenta anos nunca praticada no país (inventando a roda), desestabilizando grande parte do mercado de derivados. Ivan Monteiro, que já mostrou a que veio (em dois dias aumentou duas vezes a gasolina,),  pelas suas qualidades que aponta é do mesmo time: ambos com formação unicamente para ver e atuar no sentido de dar lucros, mesmo que possa ser no longo prazo, o caminhar para a insolvência, ou mesmo falência, como mostrou já ter acontecido. A verdade é que ambos, para o golpe comandado pelo Judiciário, que só está preocupado em dar sustentáculo, garantias às atividades dos golpistas, são os nomes certos, no lugar certo. Na Petrobras encontra-se um manancial, que beira trilhões de dólares, para negociatas, para desestabilização da Petrobras, para afastar ainda mais o país do controle do petróleo (para estes o petróleo era nosso), atingindo nossa soberania, e abrindo caminho, e que caminho! para que o capital multinacional tudo controle. Não adianta apelar aos sentimentos do Ivan Monteiro, não é questão pessoal. Esses dois aumentos que já realizou, mostra que o Governo não se sente ameaçado por mais nada, depois de atender a categoria, no sentido mais amplo, aliada, que são os caminhoneiros e o agronegócio.

  16. O pior que essa gente vem

    O pior que essa gente vem fazendo escola. O síndico do prédio onde moro vive se orgulhando de ter uma reserva de caixa razoável sem ter feito rateio.

    Enquanto isso o prédio agoniza.

    Isso é claro e visível no prédio mas é a dura realidade em cada prefeitura deste país onde a horda eleita em 2016.com raríssimas exceções,entrou martelando o slogan do novo,cujo maior exemplo é o boneco dde plástico,recém fugido da prefeitura da maior cidade do país para aventurar-se,com o mesmo discurso,em esferas mais altas do poder em nosso país.

    Nós merecemos essa gente. Eles foram eleitos.

     

     

  17. Hei de concordar.
    Os
    Hei de concordar.

    Os investimentos megalomaníacos, Comperj e Rnest, por exemplo, foram iniciados na gestão Gabrielli, que, ora veja, era diretor financeiro da Cia antes de se tornar Presidente.

    Largou a bomba (e Pasadena) na mão da Graça (e Dilma) e deu no que deu.

  18. https://www.worldatlas.com/ar

    https://www.worldatlas.com/articles/biggest-oil-companies-in-the-world.html

    Nas 20 maiores de empresas de petroleo do mundo NÃO se encontrará o financeiro comandando a empresa. O PETROLEO é um setor de ALTO RISCO e o comandante e estrategista precisa ter gosto pelo risco, alma de jogador de oportunidades, contadores de feijão não servem para comandar empresas de petroleo.

    Qualquer exploração de jazida exige muito capital e sempre há muito risco de perde-lo. Há os riscos politicos, há o risco do preço do barril que pode variar 100% ou mais em um ano, na exploração pode vazar o mar e a multa chegar a 25 bilhões de dolares, como a que pagou a BP no Golfo do Mexico, os ecologistas estão sempre perseguindo as petroleiras.

    Financeiro ortodoxo NÃO tem nada a ver com o mundo do petroleo, a não se que seja para vender a empresa.

  19. É impressionante que no
    É impressionante que no Brasil prospere a ideia de que uma pessoa ou um grupo reduzido de pessoas possa ter em mãos o poder de destruir uma empresa nacional estratégica sem oposição relevante e eficaz.

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome