Ala do PSL defende quebra de sigilo do cartão corporativo de Bolsonaro

Deputados argumentam que falta isonomia ao presidente; ala do partido defende expulsão

Jornal GGN – Em mais um capítulo da disputa interna no PSL, integrantes do partido começaram a defender a quebra de sigilo do cartão corporativo do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com a colunista Daniela Lima, do jornal Folha de São Paulo, a medida se deve à falta de isonomia de Bolsonaro, que tem criticado a sigla e exige a devassa nas contas do partido, mas que mantém o detalhamento de gastos com alimentação e transporte em segredo.

O posicionamento do presidente contraria algo que ele mesmo defendia quando deputado, quando reivindicava transparência no uso da verba presidencial.

Existe dentro do PSL uma ala que estude um pedido formal da descrição de gastos do Planalto junto ao Ministério Público Federal. O governo envia informações sobre a despesa total da Secretaria de Administração da Presidência da República, mas preserva a publicação de informações consideradas de segurança do mandatário.

As recentes declarações de Bolsonaro sobre sua saída para uma nova sigla também pegaram mal entre os partidários do PSL. A fala não só irritou a quem estava tentando compor com ele recentemente, como até mesmo a chamada ala do “deixa disso” passou a pregar a expulsão do presidente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Wajngarten ganhou aditivo da Igreja Universal após assumir Secom

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome