Alckmin diz que não é possível reduzir valor da passagem

Jornal GGN – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), descartou nesta quinta-feira (13) a suspensão do aumento das tarifas de transporte público por 45 dias, como foi proposto ontem pelo Ministério Público. Segundo o governador, não há possibilidade de reduzir a passagem, destacando que o reajuste foi menor que a inflação, tanto nos trens e metrô, quanto nos ônibus.

Alckmin voltou a criticar as manifestações, chamando o movimento de “pequeno, mas muito violento e de conteúdo político”.  Para o governante os protestos não são uma manifestação, por “deixar um rastro de destruição por onde passa, prejudicando o usuário do sistema”.

O governador aprovou a participação da Polícia Federal para investigar os incidentes ocorridos em São Paulo. Segundo Alckmin, “toda colaboração é bem-vinda. Nosso lema é ‘parceria’. Tudo que vier para ajudar é bem-vindo”.

Geraldo Alckmin deve passar o dia na Baixada Santista, como parte das celebrações dos 250 anos de José Bonifácio de Andrade e Silva, um dos principais personagens da Independência do Brasil.

Proposta de acordo

Em audiência pública, realizada nesta quarta-feira (12) na Promotoria de Habitação e Urbanismo de São Paulo, foi consolidada uma proposta de acordo entre o Ministério Público de São Paulo e os manifestantes liderados pelo Movimento Passe Livre.

A proposta acertada pelo promotor Mauricio Antônio Ribeiro Lopes inclui a suspensão dos protestos em vias públicas por 45 dias. Em contrapartida, as autoridades municipal e estadual deveriam suspender o aumento pelo mesmo período. Nesse tempo, deve ser criada uma comissão formada por um representante do Ministério Público e cinco representantes dos manifestantes para discutir os preços das tarifas com as autoridades.

O Promotor de Justiça Mauricio Antônio Ribeiro Lopes, responsável por procedimentos nesta área, afirmou ao final da audiência que, “caso os governos não queiram transigir na questão, estarão devolvendo a estes movimentos um protagonismo (…) Não há nenhum compromisso de que efetivamente a tarifa baixará. De nossa parte, o que há é um compromisso, não uma obrigação de resultados”.

Leia mais em: Protestos em SP: MP levará proposta de acordo ao Estado

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

José Leite

- 2013-06-14 14:49:58

CLARO QUE NÃO!!

Claro que o Alckimin não vai reduzir o preço das passagens, FOI PROMESSA DE CAMPANHA, MINHA GENTE!! O CARA TEM QUE CUMPRIR!!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador