Crise no MinC: ministra não nomeia Sader e agrada conservadores da imprensa conservadora

 

Emir Sader: “ MinC tem assumido posições das quais discordo frontalmente”

Em uma nota curta e grossa, a ministra da cultura, Ana de Hollanda anunciou que Emir Sader não assumirá mais a direção da Fundação Casa de Ruy Barbosa.
Com este anúncio a ministra toma partido do fato e encara como ofensa pessoal o que foi atribuído pela Folha de São Paulo ao sociólogo: tê-la chamado de autista em uma entrevista concedida por ele ao diário paulistano.

A desistência de nomeá-lo atende aos chamados sedentos de vingança de setores mais conservadores da conservadora imprensa brasileira, acende a luz amarela no ministério e dá “pano para manga” para um possível “disse-me-disse”, alimentado por notinhas maldosas na mídia e comentários prós e contras o sociólogo Emir Sader.

Gera uma crise desnecessária no seio do governo e põe em xeque o rearranjo político em curso do ministério da Cultura.

A ministra não aceitou as explicações dadas por Sader, em que afirmou que “a entrevista é editorializada desde o título até o final. Não tem nem a generosidade de te dar a palavra e depois, no final, dizer o que acha. É tudo editorializado”.

 
Leia a íntegra, clique aqui>>>

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A atual composição do STF é o maior legado da era lulista

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome