Evento sobre reforma da Previdência cancelado pelo CAPES será realizado em praça pública

Entidades organizadoras mantém dia e horário (2 de maio, às 16h) do evento “Servidores Públicos Federais, Reforma da Previdência e o Sistema da Dívida”. O local será em frente à sede do CAPES

Brasília - Para lembrar o Dia Nacional dos Aposentados e Dia da Previdência Social, e em protesto contra a reforma da Previdência, representantes do movimento nacional A Previdência é nossa! Pelo Direito de se Aposentar!, realizam um abraçaço no prédio da Previdência Social (Paula Labossière/Agência Brasil)

Jornal GGN – A Presidência da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), ligada ao Ministério da Educação, cancelou uma palestra sobre a reforma da Previdência dentro das dependências do prédio institucional.

O evento é organizado pelo Sindicato Nacional dos Servidores Públicos Federais da Carreira de Gestão, Planejamento e Infraestrutura em Ciência e Tecnologia (SindGCT) em parceria com a Associação de Servidores da CAPES (ASCAPES).

Em nota, o sindicato informou que o dia e horário do debate – 2 de maio, às 16h – estão mantidos e o vento será realizado em praça pública, em frente à sede da CAPES.

“No entendimento de que o evento tem como objetivo esclarecer os servidores sobre a Reforma da Previdência, assunto que afeta todo o conjunto da sociedade brasileira, o SindGCT recebeu com surpresa a decisão da CAPES, tendo em vista que vários outros órgãos dos três poderes têm realizado em suas sedes eventos semelhantes, organizados pelas instituições que representam os servidores das diversas carreiras”, destacou a entidade.

A convidada para falar no seminário “Servidores Públicos Federais, Reforma da Previdência e o Sistema da Dívida” é a auditora fiscal da Receita Federal aposentada, Maria Lúcia Fattorelli, hoje Coordenadora Nacional da Auditoria Cidadã da Dívida.

“Particularmente no caso da CAPES, chama a atenção a solicitação do cancelamento de um debate que contaria apenas com a presença de uma representante de uma associação sem fins lucrativos e de que não há no histórico recente da Fundação solicitação semelhante”, pontua o sindicato, lembrando ainda que o CAPES “é um dos órgãos responsáveis pela gestão da pós-graduação e da produção científica brasileira, espaços que, necessariamente, devem ser marcados pelo debate e pelo diálogo”.

Serviço:

Leia também:  Lula propõe à Globo um debate entre ele, Moro e Dallagnol ‘na hora que quiser'

Palestra – “Servidores Públicos Federais, Reforma da Previdência e o Sistema da Dívida”
Dia/horário – 2 de maio, às 16h
Local – Em frente à sede do CAPES
Endereço – Setor Bancário Norte (SBN) Q 2 Bloco L Lote 06 – Asa Norte, Brasília – DF, 70040-020
Convidada – Maria Lúcia Fattorelli, da Auditoria Cidadã da Dívida

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Eles têm pavor da Maria Lucia Fattorelli. Ela conhece todas as sacanagens praticadas pelo Banco Central do Brasil e pelos “banksters” brasileiros e multinacionais. IMPERDÍVEL !!!

  2. Causa estranheza um espaço de debate democrático de alto nível, como o GGN, não dedicar um espaço adequado para explicação e entendimento sobre o VERDADEIRO e MAIOR GOLPE DE CORRUPÇÃO, de todos os tempos, que assola o Brasil há décadas. Que só não é o verdadeiro MAIOR ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO DE TODOS OS TEMPOS (de que a imprensa golpista tanto fala, em determinados momentos, atribuindo-o sempre a diferentes fatos, de acordo com as conveniências ocasionais) porquê não é e não pode ser noticiado e, portanto, nunca será um ESCÂNDALO. Porque o cartel de lavanderias de dinheiro ilícito e sonegação de tributos, constituído pelas empresas de comunicação, é cúmplice caudatário do GOLPE que está por trás desse ESCÂNDALO desconhecido. Referido GOLPE pode ser entendido mediante análise de duas instituições controladas pelo Mercado desde sempre. Quais sejam: Uma delas é o Banco Central do Brasil, que o expert Jessé Souza denomina, de forma apropriada, como A BOCA DE FUMO das quadrilhas dominantes do país, que alguns chamam de Elite. A outra instituição, que vive e prospera em relação de simbiose com a primeira, é a patranha contábil conhecida como DÍVIDA PÚBLICA que, segundo os especialistas não é DÍVIDA e, muito menos, é PÚBLICA. Analisando, dissecando e entendendo o GOLPE continuado que se desenvolve assentado nessas duas instituições, pode-se entender que o problema do Brasil não está na CLT, nem na valorização do SALÁRIO MÍNIMO, nem no SUS e, muito menos, na PREVIDÊNCIA SOCIAL. E. por mais inacreditável que possa parecer, o PT não tem nada a ver com esse GOLPE. E quem pode explicar essa PATRANHA e como é que ela se estrutura no BC e na DÍVIDA PÚBLICA é a Ilma. Sra. Maria Lucia Fattorelli. Então, fica aqui o nosso pedido para que a ilustre professora seja convidada para que venha aqui nos brindar com o seu conhecimento.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome