Imagens confirmam adesão em todo país nos protestos contra os cortes na Educação

Imagens chegam de várias partes do país apontando ampla adesão de estudantes, professores e pais contra política de cortes do governo

Av. Paulista. Imagem: Jornal GGN

Jornal GGN – Em todo país milhares, somando milhões do território nacional, foram às ruas nesta quarta-feira, 15 de maio, protestar contra os cortes do governo Bolsonaro na Educação. O “dia nacional da Greve na Educação”, como os movimentos sociais estão chamando, aponta ainda para o possível sucesso da greve geral do dia 14 de junho, articulada contra a reforma da Previdência por entidades sindicais.

Nas primeiras que chegaram dos atos que começaram pela manhã, foi possível ver que a pauta da Previdência também fez parte das críticas dos estudantes.

A pauta de reivindicações deste 15 de maio critica, especificamente, é contra o bloqueio de 24,84% dos gastos não obrigatórios dos orçamentos para as instituições federais. Por conta do contingenciamento, reitores afirmam que não terão condições de pagar contas básicas como as de água, luz e materiais de limpeza, além de cortar recursos às pesquisas.

O governo se defende afirmando que as verbas obrigatórias (que incluem pagamento com salários e aposentadorias) e representam 86,17% do orçamento dessas instituições não serão afetados.

Durante café da manhã para jornalistas, organizado pelo próprio Ministério da Educação, o responsável da pasta, Abraham Weintraub, disse estar aberto ao diálogo e que já teria recebido cerca de 50 reitores. Entretanto, confirmou a necessidade dos cortes no MEC, submetido às análises do Ministério da Economia e, ainda, disse que não garante a blindagem do orçamento da pasta contra novos cortes.

Dos Estados Unidos, onde viajou inicialmente para receber uma homenagem promovida pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, em Nova York, e depois de temer protestos mudou a agenda para Dallas, no Texas, o presidente Bolsonaro disse que as manifestações pela Educação no Brasil estão sendo feitas por “idiotas úteis”. Ele ainda classificou os “militantes” a “massa de manobra”.

“É natural [que haja protesto], agora a maioria ali é militante. Se você perguntar a fórmula da água, não sabe, não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis, que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais no Brasil“, afirmou o presidente na porta do hotel onde está hospedado em Dallas, segundo informações da Folha de S.Paulo.

Leia também:  Guedes promete privatizar 17 estatais em 2019, e Correios está na lista

Enquanto isso, a confirmação é que nas maiores cidades, incluindo as capitais, ocorreram manifestações contra os cortes promovidos pelo governo do militar reformado, entre os locais estão: Rio de Janeiro, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Sergipe, Tocantins, Pernambuco, Distrito Federal, Paraíba, Rio Grande do Sul, Maranhão, Alagoas, Rio Grande do Norte, Piauí, Goiás, Paraná, Santa Catarina, Amazonas, Acre, Mato Grosso do Sul, Roraima, Pará, Mato Grosso, Espírito Santo, Rondônia, Amapá e São Paulo.

Na capital paulista, as manifestações começaram logo cedo e, a partir das 14h, foi dado início a uma concentração em frente ao vão livre do Museu de Artes de São Paulo (Masp), interditando os dois sentidos da Av.Paulista.

Veja a seguir fotos e imagens.

E, ainda, vídeos

Cuiabá


Recife


Castanhal, Norte do Pará


Arapicara, Alagoas


Belém do Pará


Caruaru, Bahia


Piauí


Goiânia


João Pessoa

Sorocaba, São Paulo

Rio de Janeiro


Av. Paulista, São Paulo


 

7 comentários

  1. O bozo é esperto, acha que pode fazer água.Ele até que faz água no barco furado de seu governo, mas é bom que ele se informe que água não é fórmula, é composição.
    É uma substância natural com uma composição química definida.

  2. O povo reagiu leoninamente ao governo atabalhoada do bolsa, que ousou reduzir o já reduzido orçamento da educação. Mas esse belo movimento, tal qual o de 2013, pode ser apropriado por aqueles que se beneficiam com as políticas que o Ogro que não desocupar a Moita, pois nunca pára de cagar, fazendo da sua boca o seu ânus, tal qual o seu Turu, que fritarão e tomarão o posto do Bolsa de bosta, implementando o pacote fecal que o Bolsa tenta impor goela abaixo da nação. Para evitar essa nova tragédia, o Movimento tem que alvejar o sistema, não só o Bolsobosta

  3. Nassif: só espero que desta vez a gurizada fique esperta. Um décimo do presentes ao protesto são infiltrados dos VerdeSauvas. Lembra daquele capitão (já deve estar promovido a tenentecoronel) que dedou a goratoda, dizendo que eram terrorista do El? Tem de ficar alerta com esse milicos.

  4. Aqui no Rio a tropa de choque da assassina PM voltou a atuar com a lógica de extermínio. Comandos de celerados fardados perseguiram aqueles que consideraram seus alvos a dezenas de quarteirões do encerramento da passeata, na Central do Brasil. Os vi no encalço de manifestantes nas proximidades do Teatro Municipal. Agiam como cães enfurecidos à caça de suas vítimas. Ao final da manifestação, quando o público dispersava, iniciaram o lançamento do que chamam bombas de efeito moral, fortíssimas. Tudo me lembrou o dia 20 de junho de 2013, quando despejaram centenas de bombas lacrimogêneas e de impacto sonoro e dispararam igual quantidade de balas de borracha sobre manifestantes. Dizem, até, que houve lançamento dos helicópteros das polícias militar e civil. Foi um dia trágico, de fortíssimo impacto sobre os manifestantes. Quatro dias depois, 24/6/2013, os assassinos fardados e pagos pelo povo ceifaram a vida de pelo menos dez pessoas na favela da Maré. Assassinos covardes!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome