Ação civil pública pede expulsão dos PMs da UPP da Rocinha

Sugerido por alfeu

Da Agência Brasil

Ministério Público envia representação contra PMs da UPP da Rocinha com pedido de expulsão

Douglas Corrêa
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro vai analisar uma proposta de ação civil pública, com pedido de expulsão dos quadros da Polícia Militar do major Edson Raimundo dos Santos e dos policiais militares Rodrigo de Macedo Avelar da Silva, Douglas Roberto Vital Machado, Rafael Adriano Silva de Carvalho e Vitor Luiz Evangelista, por improbidade administrativa. Todos são lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade da Rocinha, em São Conrado, zona sul do Rio, para onde o pedreiro Amarildo de Souza, de 47 anos, foi levado no dia 14 de julho último e nunca mais foi visto.

A representação da 15ª Promotoria de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos encaminhada à Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania pede também a expulsão dos militares, a suspensão do porte e o recolhimento das armas acauteladas em seus nomes e os distintivos.

Além das medidas na área cível, no âmbito penal os policiais militares também são investigados pelos crimes de tortura e abuso de autoridade com a possibilidade de oferecimento denúncia pelo Ministério Público contra os cinco militares.

Ontem (28), o comandante das Unidades de Polícia Pacificadora, coronel Frederico Caldas, anunciou que o major Edson Raimundo dos Santos, deixaria o comando da UPP da Rocinha, onde estava lotado desde a inauguração em setembro do ano passado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome