A facada de Adélio Bispo Oliveira  em Bolsonaro ainda é um mistério à procura de uma explicação. É o fato político mais importante da década, porque viabilizou uma mudança radical na política brasileira.

Os efeitos políticos da facada nas eleições eram tão óbvios que, no dia seguinte, Bolsonaro já havia se tornado o franco favorito.

Seria possível simular um atentado tão arriscado, a ponto da vítima correr um risco de vida calculado para viabilizar um projeto político?

Há duas versões para o atentado.

  • A versão oficial é que um sujeito, desequilibrado óbvio, decidiu matar Bolsonaro e foi mal sucedido.
  • A versão conspiratória é que foi um ato planejado visando garantir a vitória eleitoral de Bolsonaro.

Bolsonaro comparecia a todos os eventos com um colete à prova de balas e de facadas e  tinha uma cirurgia marcada, para remover um câncer. Portanto, bastaria simular a facada, conduzir Bolsonaro com segurança a um hospital local e depois transferi-lo para um hospital em São Paulo, para efetuar a cirurgia contra o câncer.

Após o atentado circularam vídeos pelas redes sociais mostrando a extraordinária desenvoltura com que Adélio infiltrou-se pela multidão e passou pelos seguranças até enfiar a faca em Bolsonaro.

Há um complicador nessa versão: o fato de duas equipes de hospitais conceituados, a do Sírio Libanes e a do Alberto Einstein. Ambas foram a Juiz de Fora e Bolsonaro optou pelo atendimento no Alberto Einstein.

Há uma explicação para o ferimento: a de que a faca resvalou por uma brecha no colete, ferindo efetivamente Bolsonaro. O que seria, nessa versão, um acidente de percurso.

Entre essas duas hipóteses, há uma série de evidências que não batem com a versão do crime comum bancado por um psicopata.

São os seguintes fatos.

  1. A ida anterior de Adélio ao Clube de Tiro frequentado por Eduardo Bolsonaro.

Como um sujeito limítrofe, que trabalhava em um açougue, localiza o clube de tiro em Santa Catarina e vai até lá. E vai para quê? Até agora não houve uma resposta satisfatória.

Análise de probabilidade:

  • Hipótese 1 – foi até lá combinar os detalhes do atentado: 70% de probabilidade
  • Hipótese 2 – Foi até lá para conhecer o ambiente de treinamento do filho de Bolsonaro, sabe-se lá para quê: 30% de probabilidade
  1. A ida de Adélio à Câmara Federal para uma visita a um deputado do PSOL.
Leia também:  Bolsonaro volta a usar redes sociais para atacar imprensa

O sujeito, que hipoteticamente planeja um crime de repercussão nacional, vai até a Câmara e deixa um registro oficial de visita a um parlamentar do PSOL. Depois, se descobre que ele nunca teve nenhuma relação com o PSOL.

Análise de probabilidade:

  • Hipótese 1 – foi com a intenção de criar um falso vínculo com o PSOL para estabelecer uma motivação política para o atentado: 50% de probabilidade.
  • Hipótese 2 – tinha uma simpatia política pelo PSOL: 50% de probabilidade.
  1. O papel dos advogados de defesa.

Da noite para o dia aparecem advogados de Belo Horizonte, indo de jatinho a Juiz de Fora, para defender Adélio. Fazem mais do que isso: isolam-no completamente de qualquer contato com a imprensa. E demonstram tal influência, que conseguem manter o isolamento total até hoje.

Ou foram bancados por grupos bolsonarista, visando manter Adélio a salvo da óbvia falta de vontade de cobertura da mídia; ou por grupos ligados à Igreja de Adélio, que jamais foram identificados.

Tempos depois, o deputado federal Fernando Francisquini, uma das pontas de lança do bolsonarismo, entrou com ação na Justiça para impedir Adélio de dar uma entrevista.

Análise de probabilidade:

  • Hipótese 1 – foram bancados por grupos bolsonaristas: 70% de probabilidade.
  • Hipótese 2 – foram bancados por grupos que queriam a morte de Bolsonaro: 25% de probabilidade. Se houvesse qualquer indício de conspiração contra Bolsonaro, não haveria como não ser descoberta.
  • Hipótese 3 – foram bancados por grupos ligados à igreja de Adélio: 5% de probabilidade.
  1. O papel da Polícia Federal.

As investigações concluíram pela ação individual de Adélio. Bolsonaro reagiu com fúria, não aceitando as conclusões do inquérito – mas nada fez para avançar nas investigações.

Não bate. O presidente controla completamente a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. Qual a razão, até agora, para jamais ter se chegado aos financiadores dos advogados de Adélio? Respeito às prerrogativas de advogados? Com Sérgio Moro? Conte outra!

O carnaval de Bolsonaro, exigindo novas investigações, criticando o fato de não se chegar aos financiadores dos advogados, não bate com o poder de polícia quase ilimitado de seu Ministro da Justiça. Se houvesse vontade política, o caso seria resolvido e a identidade de quem contratou os advogados seria levantada em dois tempos. E não haveria nenhuma força oculta capaz de demovê-lo dessa empreitada. Não se levantaram os nomes dos responsáveis porque não é de interesse de Bolsonaro levantar. Simples assim.

A versão da conspiração contra Bolsonaro seria muito complexa de administrar porque envolveria outros personagens e situações, incluindo inúmeras variáveis que poderiam ser desmentidas, em qualquer falha de narrativa. Apontar Adélio como único responsável resolveria a questão e mataria qualquer tentativa de aprofundar o inquérito.

Leia também:  Forças Armadas começam a temer desgaste de imagem

Análise de probabilidade.

  • Hipótese 1 – ocultar as motivações políticas pró-Bolsonaro: 70% probabilidade.
  • Hipótese 2 – aceitar como verdadeiras as conclusões do inquérito, de ação individual de um alucinado: 30% de probabilidade.`

Pode ser que tudo não passe uma teoria da conspiração. Mas a sucessão de fatos sem respostas sugere que há mais segredos entre o céu e a terra do que supõe a vã teoria dos idiotas da objetividade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Uma versão que não me sai da cabeça = na eleição de 2014, houve também um fato fora da curva que foi o acidente que matou Eduardo Campos e colocou Marina Silva, sua vice, como cabeça de chapa. Muito em conta da comoção da tragédia ocorrida, Marina em pouquíssimo tempo poderia ganhar de Dilma no segundo turno. Se não fosse a fragilidade demonstrada por Marina e uma campanha barra pesadíssima do marqueteiro João Santana, Marina teria grande chance de ir ao segundo turno e bater Dilma. Bolsonaro foi esfaqueado pouco antes do início dos debates com maior visibilidade. E aí certamente ele seria desconstruído e voltaria a condição de cavalo paraguaio. Se o esfaqueamento resultasse na morte dele, Mourão, o vice, se beneficiaria com a comoção popular e nos debates se sairia muito melhor que Bolsonaro, e aí teria grande chance de ir num segundo turno contra o PT, repetindo a polarização do segundo turno. Por isso, na minha versão a tentativa de matar Bolsonaro foi feita pela elite das forças armadas. Como deu errado, Bolsonaro não só sobreviveu como foi eleito, o boçal pode usar isso como chantagem contra a elite militar - que é provavelmente o setor mais odiado por Bolsonaro, pois essa sempre deixou claro que ele não passava de um recruta zero do mal (vide o que escreveu Geisel e falou Jarbas Passarinho ) . Imaginem se o andar de baixo das forças armadas sabe que foi a cúpula das forças armadas que quis impedir a vitória do "mito"? Seria um golpe num poder tão acostumado a dar golpes contra a democracia e que marcaria o início do principal projeto de Bolsonaro = ter uma guarda só sua, que garantiria uma força no momento em que a aprovação popular despencar. Afinal, tirar um presidente civil e republicano como Dilma é fácil. Quero ver é tirar um presidente que deixa bem claro que se tentarem isso ele lança as forças das PMs contra a população e até mesmo contra o exército se for preciso. Ou seja, ele pode até ser tirado do poder, mas isso custará um banho de sangue ao país.

Joel Lima

Muito curioso também que ninguém da imprensa, do main stream à alternativa, tenha efetivamente se mexido para levantar alguns fatos. Por exemplo, a estadia de Adélio numa pensão, cuja dona morreu sem que se soubesse como; quem financiou a visita de Adélio ao Clube de Tiro em SC, que, segundo se soube, custava 600,00 a hora; saber se realmente o Carluxo ou qualquer outra pessoa ligada a Bolsonaro esteve no Clube de Tiro ao mesmo tempo que Adélio; entender porque os Bolsonaristas que estavam no ato, sempre tão agressivos, viram a facada e não reagiram contra o agressor, que saiu sem ser incomodado; por que ninguém procurou ou procura o paradeiro de Adélio para tentar falar com ele; por que ninguém esteve no hospital em Juiz de Fora e SP para fazer perguntas aos atendentes do caso e a eventuais outros pacientes que ali estivesse na hora do atendimento. Há inúmeros pontos a serem investigados, e não se vê ninguém ir atrás das informações. A mídia alternativa podia montar um grupo disposto a desvendar o mistério e fazer uma vaquinha para arrecadar dinheiro para a empreitada. Seria moleza conseguir o financiamento. Eu fico me perguntando se ninguém faz nada por medo - afinal Bolsonaro é um bandido, ligado a inúmeros outros bandidos e pode liquidar quem tentar desmascará-lo; ou se não há nenhum interesse real em saber o que houve, já que se a facada for fake o governo não resistirá. Proporção: 1) porque tem medo - 50% 2) porque não tem interesse - 50%

zuleica jorgensen malta nascimento

72 comentários

  1. Uma versão que não me sai da cabeça = na eleição de 2014, houve também um fato fora da curva que foi o acidente que matou Eduardo Campos e colocou Marina Silva, sua vice, como cabeça de chapa. Muito em conta da comoção da tragédia ocorrida, Marina em pouquíssimo tempo poderia ganhar de Dilma no segundo turno. Se não fosse a fragilidade demonstrada por Marina e uma campanha barra pesadíssima do marqueteiro João Santana, Marina teria grande chance de ir ao segundo turno e bater Dilma. Bolsonaro foi esfaqueado pouco antes do início dos debates com maior visibilidade. E aí certamente ele seria desconstruído e voltaria a condição de cavalo paraguaio. Se o esfaqueamento resultasse na morte dele, Mourão, o vice, se beneficiaria com a comoção popular e nos debates se sairia muito melhor que Bolsonaro, e aí teria grande chance de ir num segundo turno contra o PT, repetindo a polarização do segundo turno. Por isso, na minha versão a tentativa de matar Bolsonaro foi feita pela elite das forças armadas. Como deu errado, Bolsonaro não só sobreviveu como foi eleito, o boçal pode usar isso como chantagem contra a elite militar – que é provavelmente o setor mais odiado por Bolsonaro, pois essa sempre deixou claro que ele não passava de um recruta zero do mal (vide o que escreveu Geisel e falou Jarbas Passarinho ) . Imaginem se o andar de baixo das forças armadas sabe que foi a cúpula das forças armadas que quis impedir a vitória do “mito”? Seria um golpe num poder tão acostumado a dar golpes contra a democracia e que marcaria o início do principal projeto de Bolsonaro = ter uma guarda só sua, que garantiria uma força no momento em que a aprovação popular despencar. Afinal, tirar um presidente civil e republicano como Dilma é fácil. Quero ver é tirar um presidente que deixa bem claro que se tentarem isso ele lança as forças das PMs contra a população e até mesmo contra o exército se for preciso. Ou seja, ele pode até ser tirado do poder, mas isso custará um banho de sangue ao país.

    44
    3
    • Pense bem: se fosse mesmo uma armação das forças armadas para matar o bozo havia muitos prédios nas imediações para fazê-lo com um tiro certeiro, a partir de um fuzil de um sniper e Jamais daria errado. Da mesma forma o plano de Bolsonaro deu tudo certinho: esconde daqui e esconde dali, não mataram o autor do atentado (aliás, um ponto que o Nassif não falou: que seguranças são esses que nem porrada deram no cara? são de outro planeta! Se for pesquisar vai ver que não tem segurança que dê mole para opositores. Sempre que um cara grita qualquer coisa contra, numa manifestação pública, ele apanha de seguranças. Agora, os seguranças de Bozo, mesmo sendo milicianos de porte e fisioculturistas não deram nem uma porrada no Adélio? Tá legal. Mais uma piada.) para sugerir que ele é ou foi dos principais opositores etc, da forma como o artigo sugeriu. Tinha-se um juiz que estava a fim do poder e a fim de se tornar ainda mais sujo, bloqueando investigações da Polícia Federal sob seu comando. Se fosse planejado pelas forças armadas, como você sugere, Bozo estaria morto, mas os detalhes seriam outros, assim como as consequências. Sua hipótese não para de pé. Com Bozo fora do páreo a chance maior era de o PT levar no primeiro turno.

      11
      • Como já no início escrevi, Célio, isso é uma versão minha numa história muito mal contada. E que como tantos fatos históricos, tem todo jeito de nunca sabermos realmente o que houve – como , um dos mais famosos do século XX, o motivo do assassinato de Kennedy. A versão de que a facada é uma simulação eu não compro porque exigiria de Bolsonaro uma qualificação intelectual de um Daniel Day Lewis – algo que não creio mesmo que o boçal tenha . Mas vá lá saber se de repente não foi mesmo tudo uma das mais fantásticas encenações da história, um teatro do absurdo em dose cavalar e que deu como resultado final do um governo que só é bom pra burro.

        9
        3
        • Queria eu ter a mesma “burrice” desse “bozo, boçal e idiota” que massacrou um pomposo e empombado professor universitário fazendo uma campanha 20 vezes mais barata, sem partido, sem TV, sem grandes apoios partidários, conquistando corações e mentes apenas com um celular na mão, ferido de morte em cima de uma cama de hospital. Continue fazendo pouco. Se conselho fosse bom…

  2. Há um ponto a mais: não terem massacrado de pancada o maluco do Adélio. Estranhíssimo, pra não dizer extremamente improvável que um bando de boçalnaros não tenham espancado um doido que tentara matar o “mito”.

    44
    1
  3. Acrescento: os diversos serviços de informações do governo (4, conhecidos: SNI e um de cada uma das FFAA), não se prendem a “formalidades”. Foi um atentado contra um candidato que, eleito, é o PR.
    Probabilidades: Eles sabem o que ocorreu (99%) x eles não sabem (1%).
    Pergunta interessante: por que o artigo não fez menção a isso?
    – Não foi conveniente citar (95%); ou
    – Outras possibilidades (5%).

    8
    5
  4. Ja viu as duas partes do documentario “a facada do mito”, Nassif? Assistiu os videos sem sangue, viu a foto da sala de pronto atendimento tambem sem sangue, a foto da benzida da barriga meses antes? Nao tem como nao ter sido tudo combinado.

    40
    2
  5. Muito curioso também que ninguém da imprensa, do main stream à alternativa, tenha efetivamente se mexido para levantar alguns fatos.
    Por exemplo, a estadia de Adélio numa pensão, cuja dona morreu sem que se soubesse como; quem financiou a visita de Adélio ao Clube de Tiro em SC, que, segundo se soube, custava 600,00 a hora; saber se realmente o Carluxo ou qualquer outra pessoa ligada a Bolsonaro esteve no Clube de Tiro ao mesmo tempo que Adélio; entender porque os Bolsonaristas que estavam no ato, sempre tão agressivos, viram a facada e não reagiram contra o agressor, que saiu sem ser incomodado; por que ninguém procurou ou procura o paradeiro de Adélio para tentar falar com ele; por que ninguém esteve no hospital em Juiz de Fora e SP para fazer perguntas aos atendentes do caso e a eventuais outros pacientes que ali estivesse na hora do atendimento.
    Há inúmeros pontos a serem investigados, e não se vê ninguém ir atrás das informações. A mídia alternativa podia montar um grupo disposto a desvendar o mistério e fazer uma vaquinha para arrecadar dinheiro para a empreitada. Seria moleza conseguir o financiamento.
    Eu fico me perguntando se ninguém faz nada por medo – afinal Bolsonaro é um bandido, ligado a inúmeros outros bandidos e pode liquidar quem tentar desmascará-lo; ou se não há nenhum interesse real em saber o que houve, já que se a facada for fake o governo não resistirá.
    Proporção: 1) porque tem medo – 50%
    2) porque não tem interesse – 50%

    39
    1
  6. Faltou citar a maçonaria e a direção do hospital de Juiz de Fora. Puxe este fio e encontrará respostas. Militares e maçonaria estão visceralmente ligados. Enquanto não for tradado esta relação de maneira clara e independente o país jamais encontrará sua independência.

    30
    • Pois é, lojistas eu sabia, mas nunca encaixava os zes-botina no golpe, até descobrir que eram da patota com gosto….por qual motivo???? Se não precisam de influencia em seus mundinhos?!?! Ou os lojistas agoram mandam neles também???

  7. Adélio é um psicopata com ideias persecutórias de fundo político. Na confusão que era a campanha de Bolsonaro, com vários grupos atuando, acabou sendo recrutado por um desses grupos. E assim acabou próximo de Carlos Bolsonaro – tão maluco quanto ele. Por isso esteve no clube de tiro requentado pelo filho de Bolsonaro. Não espere nenhuma investigação, chegaria a Carluxo. Carluxo acompanhava o pai no dia do atentado. Adélio era escudeiro de Carlos. Por isso pode chegar tão perto de Bolsonaro sem ser incomodado pela segurança. E por que deu a facada? Porque é doido e quem confia e doido é mais doido ainda? Porque Carluxo havia montado um esquema para escandalizar a opinião pública e algo deu errado? Nunca vamos saber. Uma pequena contribuição: https://jornalggn.com.br/opiniao/um-escandalo-na-familia/

    5
    3
  8. É a familicia das coincidências e como diria Dr. House, coincidências não existem.
    Primeiro, quanto custa uma viagem de jatinho para juiz de fora? Gostaria de saber o tamanho do gasto….. segundo, e a briga estranha entre policiais por causa de dinheiro grosso na mesma cidade alguns dias depois? Já esclareceram? E a camisa fajuta que exibiram, e revelou ser falsa, onde.está a verdadeira? O fato de a mídia investigativa não ter nenhum interesse no fato grita alto contra os interesses envolvidos…….tantas respostas a serem esclarecidas e zero vontade….

    13
  9. Não tenho provas, mas tenho convicção(apud Deltan Dallagnol): há algo muito maior atrás desse atentado que um aparente desajustado mental agindo de maneira isolada.
    Descarto, a priori, a versão rocambolesca que dá como o atentado como uma simulação.
    Ora, além dos aspectos relativos à total impossibilidade de se envolver tanta gente numa ação da espécie, fica no ar o que as motivaria ao ponto de se tornarem cúmplices de um crime envolvendo um candidato à Presidência da República.
    Não obstante, a hipótese da responsabilidade solitária não e menos plausível conforme as razões discorridas no texto.
    Até hoje continua no ar a indagação: quem contratou/pagou esses advogados? Como também causa espécie certos detalhes como o inédito comparecimento do Carluxo a um comício da campanha do pai, a “coincidência” da visita do Adélio a um clube de tiro EXATAMENTE quando os filhos de Bolsonaro lá estavam.
    Como diria o velho sábio: coincidências demais tem uma grande chance de não serem mais coincidências.
    Uma indagação clássica é: quem se beneficiaria(se beneficiou) do crime?
    Uma estranheza : por que cessou a pressão do ex-deputado Francisquini com referência à revelação das identidades do advogados? Seria apenas despiste o alarde que fez acerca do anonimato dos mesmos?
    Debaixo desse angu tem caroço. E como tem!

    5
    2
  10. Há fake news também na esquerda. Isso se deve a falta de profissionalismo e improvisação. É certo que a facada beneficiou o bozo, ele pode ficar menos exposto, principalmente evitando os debates e confrontos de ideias e projetos. A partir daí criou-se muita especulação. Daí a falar no fato da década é um exagero de quem não tem discernimento histórico. Fatos da década foram o golpe de 2016 e a prisão do Lula. Esses fatos e a análise dos acontecimentos que o engendraram, assim como a crise econômica, é que são importantes para entender a conjuntura. A facada é acessório, não determinou a vitória do bolsonarismo.

    3
    14
  11. Caro Nassif, uma.coisa que me chamou a atenção em relação à suposta facada (na qual não acreditei desde o início) foi o pano branco que colocaram, imediatamente, em cima da barriga do Bolsonaro. Só tinha homens na manifestação. Que homem anda com um pano branco daquele tamanho, se nem lenço os homens usam mais? E se era uma camiseta (pode ser), como não se viu ninguém a tirando? E que homem iria a uma manifestação com uma camiseta na mão? E esse pano, ou camiseta, foi muito, mas muito, providencial para esconder a camiseta do Bolsonaro, que provavelmente nem rasgo tinha…

    14
  12. O Bispo deve ter recebido alguma proposta bem interessante para consentir em fazer parte desse circo.
    Irascívels e belicosos como são os bolsonaristas, a uma simples ameaça ao seu mito, fortemente guardado, diante de seus fãs e patrocinadores, teriam feito farinha do agressor, entretanto, Bispo foi protegido pelos seguranças do bozo e gentilmente conduzido. Nem um fio de sua sobrancelha estava desarrumado na delegacia.
    De fachada, ele foi enquadrado pela LSN, que foi pra dar o exemplo a quem efetivamente ousasse atentar contra a vida do “candidato”.
    Na real, o Bispo teria que passar por louco para contornar a LSN (Lei de Segurança Nacional)
    Acredito que logo ele terá milagrosa recuperação e um laudo favorável o libertará.
    Na mesma onda vai entrar o terrorista do porta dos fundos. Um celerado bem pago que espera contar com a impunidade do sistema.

    9
    1
  13. Um ponto frágil nessa hipótese da teoria da conspiração seria garantir o “silêncio” de todos que tiveram algum envolvimento, o que inclui todas as equipes médicas que participaram das várias cirurgias às quais o Bolsonaro foi submetido desde a facada. Por outro lado, uma hipótese dentro dessa teoria da conspiração seria de que o planejamento inicial dos “conspiradores” era de apenas uma tentativa de facada. Bolsonaro levaria a facada, seria retirado às pressas, haveria toda a comoção midiática que vimos, e algumas horas depois seria anunciado que graças ao colete de proteção que ele usava não houve ferimentos graves e Bolsonaro estava a salvo. O impacto político dessa tentativa de facada provavelmente seria muito próximo do que ocorreu de fato. Porém, alguma coisa saiu errado nessa tentativa (talvez o colete não absorveu o impacto) e Bolsonaro realmente foi ferido e precisou passar por todas cirurgias que vimos.

    2
    1
    • Garantir silêncio de equipe médica não é tão difícil assim…..e o ET de Varginha???? E o caso PC Farias???? Até hoje não se sabe o que aconteceu……….e Tancredo? Já estava morto? Tomou um tiro na porta da igreja???? Nosso país está cheio de estória mal contadas, estranhamente, quase todas com os mesmos envolvidos e acumpliciamento midiático….

      • Esse aspecto da participação médica no caso, se bem investigado, tem uma possibilidade de revelações deveras suculentas. O que foi informado na época é que o Bozo, provavelmente em contato com a família, tinha chamado uma equipe do Sírio-Libanês. Depois, misteriosamente, tudo indica que esta equipe não quiz se envolver e daí chamaram a turma do Einstein. Porquê o pessoal do Sírio não quiz se envolver? Quanto à questão dos médicos, é importante esclarecer que a maioria esmagadora deles são totalmente contra o PT e o Lula. Não seria estranho portanto que participassem de um engodo envolvendo o atentado com o objetivo de proteger o Mito. Valia, e ainda vale tudo, para destruir o PT e a esquerda.

  14. Luis Nassif,
    A década da facada já acabou, assim a facada é algo que não mais interessa.
    De todo modo se cada um vai emitir uma opinião, eu diria que em minha avaliação, a facada foi preparada pelo PT que não queria perder a hegemonia na esquerda, mas não queria bancar a eleição de um presidente com um Congresso Nacional tão da direita e ao mesmo tempo não queria que o país caísse na mão de uma direita racional.
    Então o PT criou um fato novo que auxiliaria o Bolsonaro a tomar conta do país. Como venho dizendo há muito tempo a esquerda e o PT ainda estão convencidos de que o Congresso Nacional é composto por 300 picaretas. O PT tentou antepor-se a este Congresso Nacional com a ex-presidenta às custas do golpe, Dilma Rousseff, na expectativa que a guerrilheira e técnica sem vivência política fosse uma pedra no sapato do Congresso Nacional. No final o Congresso tinha colocado a guerrilheira no sapato.
    Ai o PT resolveu tentar a sorte com Bolsonaro, sabendo que o Exército precisa de Bolsonaro e, portanto não vai deixar ele cair e ao mesmo tempo o Exército conhece Bolsonaro e, portanto, não vai deixar Bolsonaro ficar independente.
    Quem quiser entender esta dobradinha PT x Bolsonaro é só ler a curta entrevista que Bolsonaro deu ao Estado de S. Paulo em 1999, quando o jornal cobria a vinda de Hugo Chávez ao Brasil. Nela Bolsonaro diz o seguinte diante de uma das quatros perguntas que lhe foram feitas: “Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar”.
    O link para a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo é fácil de ser encontrado no Google, mas só permite a leitura para assinantes. A curta entrevista pode, entretanto, ser vista na íntegra no site do DCM, em post com o título “Bolsonaro defendeu Hugo Chávez em entrevista”, de terça-feira, 30/04/2019 às 04:00 pm no seguinte endereço:
    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/bolsonaro-defendeu-hugo-chavez-em-entrevista/
    Como se trata de fato de década que já acabou não há mais interesse. Trata-se de um passado que foi enterrado. Agora se se quer saber se se trata de uma fakeada ou se de uma facada real sem ficar na imprecisão do percentual, é preciso perguntar ao PT. Só o PT sabe realmente o que aconteceu.
    ​Clever Mendes de Oliveira
    BH, 01/12/2019

    2
    22
  15. A ida do Adélio ao clube de tiro destrói qualquer outra probabilidade!
    Mais fácil me encontrar no Country de Ipanema tomando chopp e jogando tênis!
    Não bebo e tenho uma luxação escapulo-umeral.
    E o Country tá meio muito distante, hoje.
    Falta o $$$$!
    E a bola-branca.

  16. Foi o maior evento ilusionista da história política mundial em todos os tempos! Tem ação de mestre em ilusionismo por detrás bancada por financiadores com interesses claros e precisos!

    • Beatriz de Fátima Drumond e Silva (quinta-feira, 02/01/2020 às 05:39),
      Em meu comentário que, diga-se de passagem, eu fiz sem estar bêbedo, eu não levei em conta esta história de 19/10/2018, envolvendo policiais de Minas que trocaram tiros com policiais de São Paulo em Juiz de Fora um mês e meio depois da facada que aconteceu em 06/09/2018.
      É uma história muito estranha. Eu tentei acompanhar no noticiário, mas não há nenhuma atualização e a gente acaba esquecendo.
      Clever Mendes de Oliveira
      BH, 02/01/2020

  17. Nassif, você assistiu este documentario com suspeitas sobre a facada.

    Por Rede Brasil Atual  

    30 DE DEZEMBRO DE 2018, 09H56

    Documentário no YouTube levanta dúvidas e suspeitas sobre a facada em Bolsonaro

    O vídeo, que em uma semana já atingiu quase 50 mil visualizações, contém uma análise minuciosa das circunstâncias e imagens do “atentado” contra o presidente eleito ocorrido em setembro e traz à tona perguntas e suspeitas que nenhuma autoridade se empenhou em resolver; assista.

    O documentário A Facada no Mito, postado há uma semana no canal True Or Not, no YouTube, está se espalhando por meio das redes sociais. O trabalho, que não identifica seus autores, praticamente não traz imagens inéditas do episódio que vem sendo tratado como “atentado” contra o então candidato Jair Bolsonaro, em 6 de setembro. Mas traz apontamentos minuciosamente elaborados em torno das cenas que antecederam à facada desferida por Adélio Bispo de Oliveira.

  18. -> Mas a sucessão de fatos sem respostas sugere que há mais segredos entre o céu e a terra do que supõe a vã teoria dos idiotas da objetividade.

    déjà-vu. tudo isto já aconteceu muitas vezes:

    – Castelo Branco e Costa e Silva; JK, Jango e Lacerda; Eduardo Campos e Teori Zavascki; Sérgio Fleury e Baumgartem; o suicídio do Gal. Urano e o “infarto fulminante” do Gal. Jaborandy; quem mandou matar Marielle?

    seja como for, o maior de todos os segredos óbvios vem a ser justamente a passividade e cumplicidade da quase totalidade da Esquerda, em especial Lula e o Lulismo, com o Golpe de 2016.

    mas queremos mesmo a resposta para tantas perguntas? ou resignadamente nos confortamos com enigmas fakes, enquanto fugimos da grande questão:

    – onde estava cada um de nós na entrada de 2020?

    após mais de dois meses nas ruas, mais de 350 olhos vazados, milhares de presos, mais de uma centena de mortos e desaparecidos, para o povo chileno en lucha não há qualquer dúvida:

    viva el Ano Nuevo en la Plaza de la Dignidad!
    .

    2
    1
  19. Em março de 2018, portanto, 6 meses antes da fakada é notícia que ele passaria por a uma cirurgia delicada, que fez cancelar sua ida à Goiânia. Em 29/03 ele faz uma life no YouTube usando uma sonda nasogástrica. Em que situação se usa uma sonda nasogástrica? Ainda em março ele vai a Baneário Camburiu-SC onde Pastores oram por ele que se apresenta com uma doença no abdômen.

    Pergunta: que cirurgia ele fez em março de 2018?

    Qual era o diagnóstico?

    Quem esteve no Clube de Tiro no mesmo dia que Adelio, Carlos ou Jair?

  20. Obviamente no campo das HIPÓTESES, mas vamos dar uma olhada da seguinte forma, afinal somos seres com capacidade de questionar: Quantas pessoas entram em determinados partidos para explorar a ideologia, mas não conseguem se encaixar na filosofia dos partidos e mudam radicalmente seu pensamento como: Marta Suplicy, Telmario Mota e etc?; Então o Adélio Bispo, não poderia ter se filiado ao PSOL e depois ter virado SIMPATIZANTE de DIREITA como FEZ O CESAR MAIA, pai do Dep. Rodrigo Maia; ao ponto de aceitar participar de farsas como ESTES MILAGRES QUE PASTORES MOSTRAM TODO DIA NA TV? – Portanto é possível sim que pudesse haver uma farsa no EPISÓDIO da facada, AINDA mais se observado que: SERIA POSSIVEL O BOLSONARO, “RODEADO DE SEGURANÇA”, ESTAR USANDO UM COLETE A PROVA DE BALA E FACA; da mesma forma que seria POSSÍVEL DENTRO DE UM HOSPITAL POR MAIS PRECÁRIO QUE FOSSE, “”””ANESTESIAR O BOLSONARO”””” E FAZER UM CORTE DE FACA, “””COM PERFURAÇÃO MÍNIMA, SUPERFICIAL, QUE PUDESSE PASSAR ‘A IMPRESSÃO’ DE UMA FACADA NUM SUPOSTO ATENTADO; SEM QUE A SAUDE DO PACIENTE, O BOLSONARO, PUDESSE SER COMPROMETIDA OU POSTA EM RISCO”””. – Eu sei sim, que isso pode parecer delírio, mas SE FOR OBSERVADO TAMBÉM do que as entidades e pessoas que apoiam o Bolsonaro: Pastores, militares remanecentes da ditadura, Direita Política e banda podre do judiciario; JA FIZERAM, dá pra ver que esse questionamento não é absurdo.

  21. Os advogados pode , PODE , , ter sido um caso de tentar se promover.
    Estranha é a “visita” que se diz marcada de forma acidental.
    Que foi facada creio que sim pois os médicos nã o se prestariam à farsa.
    Mas também tem muita teoria na direita.

    1
    2
  22. Nesta excelente descrição narrativa proposta pelo grande Nassif, eu apenas faria uma correção fundamental que explicaria muita coisa. Trata-se, portanto, de uma hipótese que me veio em mente depois de ler o texto do Nassif e da qual não possuo nenhuma prova para embasá-la. Sempre fiquei intimamente inseguro de apostar todas as minhas fichas na teoria da fake facada, por não acreditar que a equipe médica do Alberto Einstein seria cúmplice de tamanha fraude eleitoral. Hoje eu acredito que, o médico que operou o Bozo no Alberto Einstein sabia sobre o câncer já previamente diagnosticado, mas não sabia da armação da fake facada. Seu comprometimento com o plano se reduziu, apenas a se manter em silêncio sobre a doença do paciente, o que não é necessariamente um crime. Acho que a faca do Adélio era cinematográfica e não causou nenhum ferimento no Bozo, por isso não houve sangramento durante o transporte para o hospital em Juíz de Fora. Acho que coube a primeira equipe médica que atendeu ao Bolsonaro, fazer uma incisão no abdome do Bozo para enganar o restante dos médicos. Por tanto, ele não correu risco nenhum, pois o corte foi feito em ambiente controlado. Quando as equipes dos outros hospitais chegaram, encontraram uma ferida aberta e já parcialmente fechada. Isso serviu de álibi para que os médicos pudessem aproveita a deixa para transferi-lo para o Alberto Einstein para iniciar o tratamento do tal suposto câncer. Se alguém quiser investigar isso, que procure os primeiros médicos que fizeram o atendimento ao Boslonaro. Esses podem ser os cúmplices da maior fraude eleitoral da história do país.

    • “Sempre fiquei intimamente inseguro de apostar todas as minhas fichas na teoria da fake facada, por não acreditar que a equipe médica do Alberto Einstein seria cúmplice de tamanha fraude eleitoral.”
      Estás de brincadeira, não?

  23. Nessa excelente descrição narrativa proposta pelo grande Nassif, eu apenas faria uma correção fundamental que explicaria muita coisa. Trata-se, portanto, de uma hipótese que me veio em mente depois de ler o texto do Nassif e da qual não possuo nenhuma prova para embasá-la. Sempre fiquei intimamente inseguro de apostar todas as minhas fichas na teoria da fake facada, por não acreditar que a equipe médica do Alberto Einstein seria cúmplice de tamanha fraude eleitoral. Hoje eu acredito que, o médico que operou o Bozo no Alberto Einstein sabia sobre o câncer já previamente diagnosticado, mas não sabia da armação da fake facada. Seu comprometimento com o plano se reduziu, apenas a se manter em silêncio sobre a doença do paciente, o que não é necessariamente um crime. Acho que a faca do Adélio era cinematográfica e não causou nenhum ferimento no Bozo, por isso não houve sangramento durante o transporte para o hospital em Juíz de Fora. Acho que coube a primeira equipe médica que atendeu ao Bolsonaro, fazer uma incisão no abdome do Bozo para enganar o restante dos médicos. Por tanto, ele não correu risco nenhum, pois o corte foi feito em ambiente controlado. Quando as equipes dos outros hospitais chegaram, encontraram uma ferida aberta e já parcialmente fechada. Isso serviu de álibi para que os médicos pudessem aproveita a deixa para transferi-lo para o Alberto Einstein para iniciar o tratamento do tal suposto câncer. Se alguém quiser investigar isso, que procure os primeiros médicos que fizeram o atendimento ao Boslonaro. Esses podem ser os cúmplices da maior fraude eleitoral da história do país.

  24. Me lembro tb que um dos filhos, imediatamente q Eduardo, imediatamente após o evento, falou e postou informação meio “tranquilizadora”, no sentido de que o pai sofrera um ferimento leve, um arranhão, no “atentado”. Me parece provável q ele externou de modo açodado o que seria o resultado “combinado” (ou, no máximo, o “esperado”), e não o inesperado e que efetivamente aconteceu. Certamente, se fosse algo superficial e banal, iriam “fakenewsar” e atribuir a adversários, sob a névoa do oba-oba. Com q gravidade advinda do episódio, foi necessário ajuste de planos.

    • Tenho convicção que não houve ajustes nos planos. O JB precisava urgentemente deste procedimento cirurgico, mas não podia deixar, em plena campanha eleitoral, abrir este flanco de fraqueza. Se AB quisesse mesmo matar, atirava; a facada foi providencial, segura, com faca de cozinha (comenta-se, ninguém viu a faca), o hospital já estava de prontidão, e, ademais, livrou ele, por “recomendação média” dos debates, onde grande parte dos seus pretensos eleitores ficariam sabendo da sua total incapacidade de governar um país.

  25. É simples. A facada poderia ter sido dada no colete e o ferimento ter sido feito por um especialista dentro da condução que o levou até o hospital. Porque o filho dele jogou a camisa no lixo????

  26. A pantomima de facada no câncer com câncer foi muito mal montada, rocambolesca, até; mas, a julgar o nível de exigência do telespectador global brasileiro, foi o Atentado da Rua Toneleros que pecou por excesso de dramaticidade. Não o inverso. E “elegeu” um Mas On para chamar de deles, talquei?

  27. Lembrando que quase metade dos médicos alemães aderiram ao nazismo e muitos participaram ativamente de várias ações cruéis, como contra deficientes, na escolha dos judeus que deviam morrer, etc não vejo nenhum obstáculo na sua participação num falso atentado. Como? Talvez seja mais simples do que se imagina. O que se tem visto dessa categoria mostra exatamente um grupo ligado à (extrema) direita. Todos se lembram de sua reação aos médicos cubanos

  28. Nassif foi taxativo na informação que Bolsonaro “tinha uma cirurgia marcada, para remover um câncer”.
    Porque ninguém comenta isso?
    Porque o silêncio da grande imprensa?
    Estaria esse fato relacionado com o abdome inchado que Bolsonaro tem apresentado recentemente?
    E a tal queda no banheiro? Desmaiou porque caiu ou caiu porque desmaiou?

  29. Nassif foi taxativo na informação que Bolsonaro “tinha uma cirurgia marcada, para remover um câncer”.
    Porque ninguém comenta isso?
    Porque o silêncio da grande imprensa?
    Estaria esse fato relacionado com o abdome inchado que Bolsonaro tem apresentado recentemente?
    E a tal queda no banheiro? Desmaiou porque caiu ou caiu porque desmaiou?

  30. Parece que estamos voltando a 1964. Os crimes cometidos pelas forças da época jamais foram esclarecidos. A bomba no Rio Centro , a bomba na OAB que vitimou d. Lídia- a Secretária e tantos outros.
    Agora essa facada que para nós está mal explicada. Cadê o Moro ??

  31. Analisando a foto acima, há um homem de barba ao lado de Adélio com a mão em seu ombro. Ao contrário de todos os presentes que estavam olhando para o Bolsonaro, este homem de barba estava com seus olhos direcionados ao Adélio, num gesto típico de dar o sinal, que a hora seria aquela para desfechar o ataque. O homem de barba, ou é amigo de Adélio, ou ligada às pessoas que planejaram o atentado.

  32. Ainda teve o caso do confronto de policiais num estacionamento de Juiz de Fora, alguns dias depois do”atentado”, sendo que um grupo de policiais estava com muito dinheiro vivo, dizem que seria para pagar o pessoal do hospital de Juiz de Fora, pela contribuição por toda a farsa.
    Foi noticiado e tudo.

  33. Boa tarde Nassif.Gostaria de chamar atenção para um fato pouco explorado,o depoimento de uma das principais testemunhas no inquérito:o cabo Cleines Oliveira.Ele é natural de Juiz de Fora e aparece no documentário a” Facada no Mito” sempre próximo aos seguranças e usando um mochila preta na frente.Cleines disse que ajudou a “imobilizar e a conduzir o Adélio para um prédio,mas tem um porém as imagens desses dia vão contra essa versão dele.Verifiquei todas as fotos do jornal Tribuna de Minas e imagens divulgadas pela TV,nenhuma delas confirma a versão desse PM.Esse Cabo foi para frente do hospital onde Bolsonaro foi levado após o “atentado”e deu várias entrevistas.Ele disse que seguia Bolsonaro nas redes sociais,que compactuava com as mesmas ideias,descreveu o momento que “imobilizou”o Adélio e disse que no momento da prisão, o Adélio pediu para olharem o facebook dele que iriam entender a motivação do crime”.Os jornais chegaram a noticiar sem grande alarme que esse Cleines foi candidato a deputado Estadual pelo PSL(MG).No Instagram pessoal demonstra que esse PM esteve no gabinete do Bolsonaro no início de agosto de 2018.Outras postagens demonstram que ele fez parte da segurança do Bolsonaro.Tem uma postagem com Bolsonaro com data de junho, período que o candidato a presidência esteve em caravana pelo Nordeste.O canal True Or Not denunciou que o Adélio só passou a fazer ameaças contra o Bolsonaro depois frequentou o clube 38(julho 2018).Foram essas postagens do facebook que entraram no inquérito e se encaixa na fala do Cleines Oliveira.Cerca de 20 dias após o “atentado” o Cabo Cleines esteve na casa do general Heleno e postou nas redes sociais Link:https://www.facebook.com/cleines.oliveira/videos/vb.100002409457069/1872458572844440/?type=2&video_source=user_video_tab.Por que esconderam que esse PM fez parte da equipe de segurança?.Pesquisem sobre esse cabo e vejam as contradições desse depoimento dele.O Instagram dele continua ativo:https://www.instagram.com/cleines/

    • É a primeira vez que postei um comentário no GGN. Quero pedir desculpas pelos erros de português.Não consegui editar o texto.Abraços

  34. Boa tarde Nassif.Gostaria de chamar atenção para um fato pouco explorado,o depoimento de uma das principais testemunhas no inquérito:o cabo Cleines Oliveira.Ele é natural de Juiz de Fora e aparece no documentário a” Facada no Mito” sempre próximo aos seguranças e usando uma mochila preta na frente.Cleines disse que ajudou a “imobilizar e a conduzir o Adélio para um prédio,mas tem um porém as imagens desses dia vão contra essa versão dele.Verifiquei todas as fotos do jornal Tribuna de Minas e imagens divulgadas pela TV,nenhuma delas confirma a versão desse PM.Esse Cabo foi para frente do hospital onde Bolsonaro foi levado após o “atentado”e deu várias entrevistas.Ele disse que seguia Bolsonaro nas redes sociais,que compactuava com as mesmas ideias,descreveu o momento que “imobilizou”o Adélio e disse que no momento da prisão, o Adélio pediu para olharem o facebook dele que iriam entender a motivação do crime”.Os jornais chegaram a noticiar sem grande alarme que esse Cleines foi candidato a deputado Estadual pelo PSL(MG).No Instagram pessoal demonstra que esse PM esteve no gabinete do Bolsonaro no início de agosto de 2018.Outras postagens demonstram que ele fez parte da equipe de segurança do Bolsonaro.Tem uma postagem com Bolsonaro com data de junho, período que o candidato a presidência esteve em caravana pelo Nordeste.O canal True Or Not denunciou que o Adélio só passou a fazer ameaças contra o Bolsonaro depois frequentou o clube 38(julho 2018).Foram essas postagens do facebook que entraram no inquérito e se encaixa na fala do Cleines Oliveira.Cerca de 20 dias após o “atentado” o Cabo Cleines esteve na casa do general Heleno e postou nas redes sociais Link:https://www.facebook.com/cleines.oliveira/videos/vb.100002409457069/1872458572844440/?type=2&video_source=user_video_tab. Por que esconderam que esse PM fez parte da equipe de segurança?.Pesquisem sobre esse cabo e vejam as contradições desse depoimento dele.O Instagram dele continua ativo:https://www.instagram.com/cleines/

  35. Adélio um mero coadjuvante numa cena Hollywoodiana. No meio da multidão um homem QQ mal seria notado. Com uma faca retrátil gravaria numa bolsa de líquido vermelho como sangue. Na correria dos falsos seguranças para socorrer a vítima, ninguém se daria por conta de correr atrás do falso assassino. E o público de boca aberta sem saber o que houve como só saberá se o Adélio contar. Por enquanto ele botou uma grana legal pelas filmagens, vai trocar de nome com documentos e tudo e vai curtir a vida.

  36. Nos membros de nossas corporações/Instituições há um RADICALISMO/EXTREMISMO pois agem e as tratam da forma q querem,no Brasil já está implantado e estão aprofundando mais o TERRORISMO DE ESTADO(ou do Estado,sei lá)um terrorismo(radical) econômico,um terrorismo social,um terrorismo “informacional”(das mídias),um terrorismo parlamentar,um terrorismo empresarial de lucros estratosféricos gerador de grande concentração de poder, renda e pobreza ao qual o mundo quer copiar e por fim(acho)um TERRORISMO JUDICIÁRIO o chamado lindamente de Lawfare !
    Obs:Resolvi pôr a palavra TERRORISMO várias vezes neste comentário pq percebo um esforço de alguns em colocá-la em nosso meio, pois bem,já tá aí o terrorismo em nossa nação,vamos falar de terrorismo(RADICALISMO/EXTREMISMO)então ?

  37. Realmente tudo mto estranho, uma história sinistra q merecia um destaque maior da imprensa investigativa. Tenho 2 pitacos: o primeiro q a Globo tem a história na mão e só aguarda o pacote de maldades do PGuedes p colocar a pauta….o segundo pitaco fica na investigação do Dr Macedo… será q ele arriscaria sua carreira p preservar o Bozo? E os enfermeiros, médicos auxiliares, todos teriam q ser coniventes com a farsa??

    • Amigo, o corte foi feito por especialistas dentro do carro q o conduziu ao hospital. Quando chegou no hospital já havia o corte

  38. Nassif pergunta “qual a razão, até agora, para jamais ter se chegado aos financiadores dos advogados de Adélio?”
    A resposta: O presidente da OAB – militante esquerdista e adversário de Bolsonaro – entrou com um mandado de segurança para garantir que Zanone de Oliveira, advogado do autor da facada, não fosse obrigado a informar quem pagou os honorários da causa.

  39. Um homicida decidido não iria correr o risco de atacar um candidato e falhar. No Brasil não é impossivel obter uma arma de fogo clandestina. Se Adélio Bispo realmente quisesse eliminar o candidato do PSL, com certeza teria se aproximado e descarregado o revólver de perto. Os tiros teriam gerado pânico e caos na multidão, facilitando a fuga. Outra dúvida: quem são os homens que retiraram o Adélio da cena do crime? Alguem sabe?

  40. Tive certeza que era combinado essa facada em duas ocasiões, bom dia do culto que ele recebeu oração na barriga, minha mãe estava na igreja nesse dia, e achou estranho (ela é bolsonatista ) orar por ele, achamos que realmente ele estava muito doente. Ponto dois, qdo no final do inquerito Bolsonaro era o unico que poderia recorrer da decisão que Adélio era um doido , mesmo assim nem ele nem seus advogados recorreram . Pra mim ele já estava muito doente e fez esse teatro de facada sem sangue, pra ganhar eleição. Até entendo não ter saido sangue no início, mas ele logo ficou em posição vertical, era pra pelo menos uma gotinha ter aparecido, faca , pano branco , camiseta tudo sem sangue, aí é demais

  41. Penso feito Henrique Coutinho, sobre participação do corpo médico do hospital. Nenhum plano teria sucesso Sena participação de ambos, em uma trama encenada. O suposto autor e, talvez, diretor do espetáculo deve ser da área cênica e teria que ter sido bem orientado tecnicamente pelos doutores, para que a encenação da facada ganhasse corpo com o evento real do corte cirúrgico, na operação de remoção do câncer. Assim, eu imagino que o show desenvolvido em Juiz de Fora, ainda que em palco amador e desodernado, só está em cartaz por conta mesmo dos altos escalões de autoridades e celebridades do mundo financeiro e empresarial, onde suspeito que até militares foram seduzidos a se lambuzarem.

  42. Assistam o 6° episódio da 7ª temporada da série “American Horror Story”, chamado “Culto”.

    Um candidato medíocre ganha projeção nacional e as eleições locais após matar a sua rival (fazendo parecer suicídio), espalhar terror e encenar, junto com seus seguidores, um atentado contra a sua vida, que obviamente não termina em morte, mas sim em vitória nas eleições.

    Detalhe: a série foi lançada dia 05/09/2017, a facada de Bolsonaro foi 06/09/2018. Bannon não é bobo, é o Goebbels do século 21, e está por trás de Trump e Bolsonaros.

    A semelhança é de assustar.

    Não deve estar disponível no Brasil, para as pessoas não terem se dado conta…

    http://www.netflix.com/title/70210884?s=i&trkid=13747225

  43. Nassif, o aparente conflito entre os 2 renomados hospitais – Sírio Libanês e Albert Einatein – pode ser parte do show de despiste

  44. Nassif,

    O artigo devia deixar claro que estava falando das manifestações de 2013.

    Há questões fatuais equivocadas.

    MBL nem existia em 2013. MBL e Vem pra Rua nasceram em outubro e novembro de 2014 (reeleição da DILMA).

    A direita se renovou a partir de movimentos de esquerda, isso sim. MBL e Vem pra Rua tentam emular o que foi o MPL (copiam nome e um dos slogans de manifestações).

    Descrevi melhor esse processo aqui: https://passapalavra.info/2018/07/121756/

  45. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome