Especialistas alertam para doenças trazidas por turistas durante a Copa

Sugerido por Lair Amaro

Do Extra

Turistas estrangeiros podem trazer vírus e torcedores devem se vacinar antes da Copa, alertam especialistas
 
A expectativa da organização da Copa do Mundo é de que o Brasil receba, durante a competição, cerca de 600 mil turistas, que podem trazer consigo uma infinidade de doenças. Num evento como esse, de grande concentração de pessoas, crescem muito os riscos de proliferação e infecção por todo o tipo de vírus, bactérias e fungos. Doenças inclusive já erradicadas no país, como o sarampo, podem voltar a atacar. Diante deste cenário, especialistas em saúde têm chamado a atenção para a importância da imunização.

O médico Renato Kfouri, presidente da Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm), alerta para o combate ao que é chamado de “vírus importados”, que ocorre devido à quantidade de pessoas suscetíveis a contaminação dentro de uma determinada localidade. E a Copa, lembra ele, nada mais é do que um evento reunindo organismos e quadros imunológicos em situações distintas.

— Qualquer pessoa de qualquer lugar pode trazer um vírus e fazer com que ele se espalhe, mesmo o país estando livre há muito tempo. Hoje, nossos calendários indicam vacinação para todas as faixas de idade — disse.

E para que o sistema imunológico tenha tempo de proteger o corpo, é preciso que a vacinação seja tomada com, no mínimo, 15 dias de antecedência. Como falta praticamente esse período para o início do Mundial, Kfouri reconhece que não haveria tempo para hábil para uma imunização considerada ideal, mas ressalta que nunca é tarde para começar.

— A pessoa não vai conseguir se imunizar totalmente para a Copa, mas já pode ir fazendo para a vida dela. Para a competição, pode tomar as vacinas que necessitam de apenas uma dose. Vale a pena. Até mesmo para outros grande eventos, como carnaval e Ano Novo — frisou.

Os grupos mais vulneráveis, segundo Kfouri, são bebês de menos de um ano, cardiopatas, fumantes e aqueles que vão trabalhar diretamente com os turistas.

*O repórter viajou a convite da Pfizer

12 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

gerson CT

- 2014-05-30 02:34:17

Dr Coxinha

Perigoso é ficar perto de coxinhas...

Flavio Martinho

- 2014-05-29 23:06:06

E quem está espalhando que

E quem está espalhando que turista estrangeiro tem doença? Esse negocio de doença não é somente coisa de pobre, coisa de brasileiro? Achei que quem tivesse dolares não tinha doença pois são todos limpinhos, educados e saudáveis. São todos do primeiro mundo.

junior50

- 2014-05-29 21:14:37

Despreendido

 Ótima, pode-se ver o "despreendimento" em: www.pfizer.com/helth/vaccines/index

Luiz Eduardo Brandão

- 2014-05-29 20:54:47

Atuando em causa própria

Sabem o que é o tal especialista convocado pelo Extra para mais uma declaração terrorista anticopa? Dono de uma clínica de vacinação em Osasco. Como o distinto é pediatra, com certeza sabe de um dado interessante, que nós simples leigos ignorávamos: "bebês de menos de um ano" formam um grupo tremendamente exposto ao contato com turistas, principalmente dentro dos estádios, imagino. Quem diria né?

O Extra pelo menos teve a decência de informar que "O repórter viajou a convite da Pfizer", desprendido laboratório que, obviamente, não tem nenhum envolvimento com vacinas.

O site da mundialmente renomada clínica do doutor:

http://www.clinicaprovaccina.com.br/html/quem_somos.htm

 

junior50

- 2014-05-29 20:00:31

Ação de marketing

  Jornal precisa apavorar com qualquer abobrinha referente a COPA 2014, escala um "de"formado em Comunicação Social para a tarefa, que vai entrevistar um médico interessado em vender cada vez mais vacinas - nem informando quais seriam as possiveis doenças a serem imunizadas -, portanto a explicação para um artigo deste, está obvia na ultima linha: " o reporter viajou a convite da Pfizer " ( uma das maiores produtoras de vacinas do mundo).

    Produto encomendado e entregue, é só passar no caixa.

   

André B

- 2014-05-29 17:02:44

Vem cá: agora que esse país

Vem cá: agora que esse país deixou de ser a Albânia pregressa e vai receber turistas pela primeira vez, que tal começar a fazer outras grandes festas que os atraiam, tipo Reveillon e Carnaval?

Hélio Jorge Cordeiro

- 2014-05-29 16:38:04

"Imaginem só, se a copa fosse

"Imaginem só, se a copa fosse nos Estados Unidos da América?!" - Doutor Epatite B. Terceiro

Motta Araujo

- 2014-05-29 16:24:18

Que besteira, como se só na

Que besteira, como se só na Copa estrangeiros chegam ao Brasil, noruegueses e suecos podem trazer virus mortais  contaminar os moradores da Rocinha e a torcida dos Gaviões da Fiel. E os haitianos que estão chegando ao Brasil todo mês aos milhares, não trazem nenhum resfriado?

Alan Souza

- 2014-05-29 15:22:47

Mas é assim mesmo

A mídia perdeu a noção do ridículo e o medo do ridículo há muito tempo...

Alan Souza

- 2014-05-29 15:21:52

Mais um problema causado pela Copa...

Além de levar o caos às cidades, elevar em 459.673% a prostituição, deixar montanhas de cadáveres de estrangeiros mortos pelos nossos bandidos, agora a Copa ainda vai transformar o Brasil no lugar mais insalubre do Cosmo e provocar o Apocalipse Zumbi aqui na Bananalândia...

ruyacquaviva

- 2014-05-29 14:53:04

Isso é uma palhaçada. Se

Isso é uma palhaçada.

Se fosse assim Paris seria a cidade mais doente do planeta, já que é o maior destino turístico do mundo.

E em Veneza estariam todos empesteados, pois a concentração de turistas por metro quadrado é enorme.

Não há nenhuma estatística de aumento no número de doenças em São Paulo e Rio, os maiores destinos turísticos do País, pelo fato de receberem mais estrangeiros que as outras cidades.

É ridículo.

 

IV AVATAR

- 2014-05-29 14:40:10

Mais um rogando pragas contra a Copa

Me lembrei da época em que a imprensa  fez terrorismo com a febre amarela para derrotar Dilma, amedontraram também com a febre suina, pronto, a Globo decretou: Por causa de fungos, vírus e bactérias não saia de casa, fuja de turistas..kkkk

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador