A carta de Kamel

Por um desses problemas de caixa postal, só agora acessei uma conta onde havia um e-mail de Ali Kamel na terça feira, dia 31 de outubro, enviando a nota oficial sobre o caso dossiê.

Kamel é um jornalista que está permanentemente preocupado em explicar-se o que, para mim, é motivo de respeito. Sempre tivemos relação civilizada, inclusive nas divergências, e não tinha entendido nada quando li outra nota dele, publicada no dia primeiro, e que respondi abaixo.

Espero agora que, passado o calor das eleições, possamos voltar a concordar e a divergir como antes. Aliás, sempre é um prazer divergir ou concordar com quem não tem receio de discutir com argumentos.

Caro Nassif,

Uma semana depois do último Observatório, envio-lhe esses esclarecimentos. Acreditei que eu teria mais espaço do que de fato vou ter no programa de hoje para dar a posição da Globo a respeito. Assim, mando o que diria por escrito. Não para a publicação, mas para o seu conhecimento. Vc pode imaginar o quanto nos sentimos ofendidos. Como não pode ter sido má-fé, suponho que tenha sido desinformação. Acreditar que a Globo deixaria de pôr no ar um acidente aéreo daquelas proporções para realçar a matéria das fotos do dinheiro é desacreditar demais nos profissionais que aqui trabalham. Mesmo diante da hipótese absurda de que algum chefe amalucado pudesse obrigar os profissionais daqui a se calar, tenho certeza de que eles se revoltariam e chamariam o Dr. Eiras para internar o maluco. Aliás, os profissionais diretamente envolvidos com o caso, em diversas praças, divulgaram um abaixo-assinado de protesto contra as acusações levianas.

Enfim, escrevo-lhe por que tenho respeito por você. E porque não posso deixar em branco uma ofensa tão grave.

Cordialmente,

Ali Kamel

Nota do Blog: pessoal, por uma questão de cortesia, solicito não colocar comentários no post.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora