A “venda” da TIM

Em reunião em 13 de setembro passado, a Telecom Itália decidiu dividir sua operação em três frentes: fixa, móvel e conjunto rede. Na AGE, na Itália, falou-se da possibilidade de vender o conjunto móvel e o de rede. Não se falou especificamente na venda da TIM Brasil.

Teve início uma série de especulações e que a TIM Brasil estaria à venda. Semanas atrás houve uma proposta, não solicitada, de um candidato a comprador da TIM Brasil. A Telecom Itália ficou de avaliar.

Na semana passada, “O Globo” solta uma manchete garantindo que a TIM Brasil já teria sido vendida para a Claro – do mexicano Carlos Slim, sócio da Globo na Net. A notícia garantia que na semana seguinte a venda seria formalizada.

Nada disso ocorreu. A TIM Brasil não recebeu nenhuma informação da matriz, a não ser a recomendação de tocar o trabalho normalmente. No momento, técnicos italianos e brasileiros terminam o planejamento para o período 2007 a 2009.

Na semana passada, o balancete trimestral indicava que a TIM Brasil poderia ter, finalmente, ultrapassado a Vivo e se tornado a maior empresa de celular brasileiro em faturamento.

A manchete rendeu dores-de-cabeça. Assustou representantes, executivos e fornecedores. Beneficiou os concorrentes, entre os quais Carlos Slim.

Até agora não se confirmou; até agora, não foi desmentida. Como é que fica?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora