As mentiras de campanha

Em relação a Alckmin

É falsa a informação de que, se eleito, Alckmin acabará com a Bolsa Família. Em seu programa o candidato enfatiza que procurará aperfeiçoar o programa.

É falso pretender compará-lo a Fernando Henrique Cardoso e sustentar que irá atacar de pronto os benefícios da Previdência Social. Ele tem personalidade própria e grupo próprio. Dificilmente tomaria qualquer medida contra a Previdência Social.

É falso dizer que ele vai privatizar a Petrobrás. Tiraram isso de uma entrevista do Luiz Carlos Mendonça, que sequer está próximo ao candidato.

É falso dizer que ele vai demitir funcionários públicos. Em São Paulo houve racionalização de despesas, especialmente no periodo Mário Covas. Nem antes, nem depois, houve demissões de funcionários. O máximo que ocorreu foi a não substituição dos que morriam ou se aposentavam.

Em relação a Lula

É falso dizer que, em caso de vitória, ele se transformará em um novo Chaves, implantando a ditadura no país. Toda a sua história demonstra que Lula não é incendiário nem propenso a golpes de força.

É falso dizer que esfrangalhará as contas públicas. Nesses quatro anos manteve o superávit fiscal, ainda que à custa de um esfrangalhamento da infraestrutura do país, assim como seu antecessor.

É falso dizer que sua reeleição significaria salvo-conduto para repetir a esbórnia do primeiro governo. Os centros de poder em Brasília, hoje em dia, estão trabalhando vigorosamente para limpar a área e montar políticas menos perigosas de aliança para o próxmo governo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome