Os navios privatizados

Relato de Aldo Rebelo, presidente da Câmara, no Seminário “Política Industrial Militar: fundamentos para uma nova estratégia”.

Lendo um livro sobre a Primeira Guerra, mencionava-se que parte da frota inglesa incumbida de patrulhar o Oriente Médio incluía navios brasileiros, provavelmente parte da armada brasleira vendida pelo Ministro Joaquim Murtinho, para equilibrar as contas orçamentárias.

Em certo momento, a frota brasileira tinha sido a segunda do mundo. Foi arrebentada pelo ajuste fiscal de Campos Salles.

Nas eleições de 2002, não apenas Lula, mas José Serra e Ciro Gomes entenderam a importância da indústria da defesa.

Exige investimento em tecnologia, apoio da União. É complicado porque necessita de recursos do Orçamento e contatação de setores privados.

No início dos anos 90, com a desintegração da União Soviética, alguns acreditaram ingenuamente em um longo período de paz.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora