O fator Lula

Por Fábio de Oliveira Ribeiro

A oposição fez de tudo para impedir a posse de Dilma Rousseff, para derrubá-la ou para obrigá-la a renunciar. Como não conseguiu o que desejava, a eleição de 2018 foi antecipada. O candidato do PSDB ainda não foi escolhido, mas uma das candidatas da direita já lançou seu luxuoso seu iate eleitoral ao mar. Refiro-me a Marina Silva.

Os petistas parecem ter comprado a briga e já colocaram o bloco “Lula 2018” na rua. A campanha deles no Facebook e no Twitter é tão intensa quanto irritante. Ao invés de reforçar o governo Dilma Rousseff eles estão minando a liderança da presidenta. É impossível saber se isto está sendo feito de maneira ingênua ou programática.

Lula é amado pelos banqueiros. Sob o governo dele, os papa-juros se refestelaram enquanto o presidente petista apertou o cinto das despesas. Dilma Rousseff fez o que Lula não ousar fazer: forçar a redução dos juros aos consumidores utilizando os Bancos Públicos. Foi mais corajosa que seu antecessor e vem daí o ódio irracional que ela despertou nos banqueiros a ponto de alguns deles comparecerem às passeatas da elite na Av. Paulista.

Marina Silva vai ter dificuldades ao disputar uma eleição contra Lula. Ela é candidata de um só banqueiro. Os outros provavelmente apoiarão o petista caso o PSDB não apresente um candidato capaz de derrotar o “sapo barbudo”. Pessoalmente, creio que o PSDB morreu em 2014 e virou um zumbi. Tanto que se limita a assombrar o governo Dilma Rousseff por falta de vitalidade e de projeto nacional.

Em 2018 o fator Lula, portanto, será uma vez mais decisivo. Mas não creio que isto seja necessariamente bom para o PT.  Um partido que não se renova apodrece e não morre. O PSDB e o PMDB são exemplos do fenômeno que pode ocorrer ao PT caso aquele partido insista em lançar Lula novamente à presidência. Fernando Haddad, prefeito que tem encantado os paulistas e despertado admiração nos estrangeiros, não seria uma opção melhor neste momento?

Lula conduz legiões de fãs dentro e fora do PT. Ele se movimenta com a segurança de um condottieri italiano do século XV, por isto, não posso deixar de reproduzir aqui uma anedota contada por Jacob Burckardt em sua obra “O Estado como obra de arte”:

“Uma determinada cidade – provavelmente Siena – tivera, certa vez, a seu serviço um comandante que libertara seus habitantes da pressão inimiga; estes confabulavam diariamente de que maneira poderiam recompensar seu libertador pelo feito, julgando, afinal, não haver a seu alcance recompensa grande o suficiente, nem mesmo transformá-lo no senhor da cidade; por fim, levantou-se alguém e sugeriu: ‘Vamos matá-lo e, então, adorá-lo como o padroeiro da cidade.’ Dispensaram pois, a seu comandante mais ou menos o mesmo tratamento que o Senado romano dispensou a Rômulo. De fato, os condottieri não tinham de se proteger de mais ninguém, a não ser de seus empregadores.” (O Estado como obra de arte, Jacob Burckardt, editora Penguin-Companhia das Letras, São Paulo, 2012, p. 23)

Há várias maneiras à disposição dos generais das finanças e dos coronéis da indústria para se livrar definitivamente de um condottieri como Lula. A melhor dela seria enterrar o projeto político do PT levando-o novamente ao poder. Envelhecido, Lula lutaria com unhas e dentes por um quarto mandato esfarelando definitivamente as esperanças dos novos líderes que tem surgido dentro do seu partido. A recente debandada de políticos petistas não pode ser atribuída apenas ao moralismo. Todo mundo quer ter mais espaço, se o espaço todo for ocupado por um homem só o PT se transformará em mais uma legenda igual às outras.

O PSDB virou um zumbi antes da morte de FHC. O mesmo ocorrerá ao PT antes da morte de Lula? Esta meus caros é a única pergunta que devemos fazer neste momento. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Lula é um líder ainda com

    Lula é um líder ainda com vitalidade na política, isso é inegável. Os ataques contínuos estão aí para provar. Algumas questões  sérias são pertinentes para toda liderança da América Latina. Se é necessário dar continuidade a projetos que atendam às demandas das camadas mais baixas da sociedade, não é certamente, fazer de nossas lideranças as únicas soluções para os conflitos sociais. Ninguém é imortal. Nenhum substituto conseguiu repetir seu líder antecessor  com amplo sucesso, naturalmente as comparações na boca de inimigos acabam por minar os projetos antes tão consagrados com o condutor original. Mas também não tenho idéia do que seria um novo papel de Lula no cenário atual. Talvez caiba ao próprio Lula construir com segurança o novo caminho. Não creio que funções públicas como senador, governador ou prefeito sejam alternativas. Creio que ele deve ser mais ambicioso quanto a sua liderança. Por outro lado não conheço as novas formações políticas que se instalaram no partido dos trabalhadores. Temos poucas informações sobre isso. Tudo o que temos ouvido do PT nos últimos doze anos são acusações, críticas profundas (algumas muito pertinentes), e as muito debandadas de ressentidos ex-petistas. E, do fundo do meu coração, espero que Lula não seja o último dos moicanos. Prefiro ainda o Lula elegendo novas lideranças que possam atuar dinamicamente no presente do que a nostalgia de uma festa que ainda não terminou.

  2. Olha o nível dos Posts a

    Olha o nível dos Posts a serem comentados aqui:  

    “vem daí o ódio irracional que ela despertou nos banqueiros a ponto de alguns deles comparecerem às passeatas da elite na Av. Paulista.”

    Ministro Levi que o diga…..

    • Noffa… como seu nível é

      Noffa… como seu nível é elevado. Você certamente estava ao lado da banqueira na Av. Paulista. Usou salto-alto ou foi de chinelinho mesmo? Ha, ha, ha…

  3. Em janeiro de 2019, a

    Em janeiro de 2019, a Presidenta Dilma estará devolvendo a faixa presidencial ao Presidente Lula. Lula juntamente com Haddad, Pimentel, entre outros grandes nomes do PT e aliados, iniciará um novo ciclo do PT na presidência do Brasil, para mais 5/6 mandatos até o início da década de 40. Sensacional.

  4. Discordo. O texto tem uma

    Discordo. O texto tem uma incoerência de base ao afirmar que todo mundo tá em baixa ao mesmo tempo em que Lula, que seria uma mistura de “padroeiro” com “condottieri”, não teria condições de fazer um bom governo. 

    Quem é a vanguarda nacional? A oposição que votou a favor do projeto de terceirização que nos remete à era pré-Vargas? Aecioporto e seu xokidijestaun mineiro? Eduardo Cunha? O melhorzinho é Ciro Gomes mas será que tem chances? E vai governar com quem?

    Essa crise não dura até 2018 e Dilma não cai. (Eumesmo cap.1, vers. único) Além disso, muita coisa tá pra ser inaugurada e Lula, o padroeiro, já entrou na “eleição”. E essa LavaJato vai se desmoralizar cada dia mais ao se recusar a investigar a oposição!  O interessante é que quanto mais procuram coisas contra Lula, e não acham, mais “novidades” surgem contra a oposição. A última foi a das mais de 120 viagens aéreas irregulares de Aécio! rsrs

    Penso também que a renovação do PT depende de se manter no governo, pois o contrário disso, vai desencadear uma feroz perseguição ao legado desses quatro mandatos. A coisa vai ser feia! Os militantes serão perseguidos nas ruas (já são), Lula será tratado como bandido nos livros de história e a extinção do PT será defendida na Justiça!!!

    O resto é discussão sobre cosméticos!

  5. Procede

    Análise muito pertinente. Penso no exemplo da Venezuela onde a figura muito carismática de Hugo Chavez (ou então a midia que lhe fazia oposição) impediu (impediram) que surgissem novas lideranças que compartilhassem as idéias de cidadania e participação popular na política iniciadas em 1999.  Patrus Ananias, Tereza Campello, Aldo Rebelo, Fernando Haddad, Marcio Pochmann (certamente um futuro senador da República) são nomes que precisam “aparecer”  mais, serem ouvidos com mais frequencia no interior do campo progressista. Aproveitando: é impressão minha ou a TV Gazeta de São Paulo (Fundação Casper Líbero) está fazendo um jornalismo equilibrado em seus telejornais ?

  6.  
    URGE A RETOMADA DA

     

    URGE A RETOMADA DA RECUPERAÇÃO DA INDUSTRIA NAVAL. O PAÍS TERÁ QUE NAVEGAR EM BARCO BRASILEIRO

    Creio, ser o prefeito Haddad o quadro mais promissor para comandar o Brasil nos próximos anos. Naturalmente, este é um ponto de vista daqueles que entendem ser o dever de ofício do governante de plantão, cuidar dos interesses daqueles que mais dependem do olhar, do apoio, e, quando necessário, serem resgatados da miséria  e transformados, de peso morto, em indivíduos saudáveis, em tripulantes úteis  a conduzir a embarcação Brasil, na longa travessia que precisamos vencer.

    Não que sob o comando da comandanta Dilma o barco tenha sofrido dano de monta. sem embargo de, ter sido vítima do mais feroz, mais intensos, e covardes ataques de saqueadores, flibusteiros, corsários, e piratas tucanos de todos os tipos. Evidentemente que resistir as agruras próprias da natureza oceânica, é o que se espera numa viagem norma. No entanto, suportar tamanho assédio, e ataques constantes, e sem tréguas por parte de uma súcia tarimbada em golpes. Por certo, sempre restará  produzir algum dano na tripulação e na embarcação.  Ainda assim, os salafrários prtendem querem atribuir à vítima de tal covardia. Atirando tais danos como passivo, na contabilidade da navegadora.

    Não obstante considerar que o mestre de navegação e comandante Lula, deva retornar à Ponte de Comando, assumindo o timão. Isto só se dará, após a comandanta Dilma cumprir a circunavegação acordada, ancorar o Galeão em porto seguro, como previsto, no ano da graça de 2018. Oportunidade em que, os brasileiros entregarão a bússola, novamente, ao capitão Lula. Considerado pelos homens do mar, seu melhor comandante. Momento em que, cuidará de restabelecer  a navegação oceânica de longo curso, sua expertise.  

    Enquanto isso, O Haddad o auxiliará na intensa navegação de cabotagem necessária , ao tempo em que, observará, aprimorando seus conhecimentos com o Mestre, para assumir o comando na quadra seguinte.

    Orlando

  7.  
    URGE FAZER O PAÍS RETOMAR

     

    URGE FAZER O PAÍS RETOMAR SUA INDÚSTRIA NAVAL. O BRASIL DEVE NAVEGAR EM BARCO PRÓPRIO

    Creio, ser o prefeito Haddad o quadro mais promissor para comandar o Brasil nos próximos anos. Naturalmente, este é um ponto de vista caro àqueles que entendem ser dever de ofício, do governante de plantão, cuidar dos interesses daqueles que mais dependem do olhar, do apoio, e, quando necessário, serem resgatados da miséria, digo, do mar,  e transformados, de peso morto, ou náufrago, em indivíduos saudáveis, em tripulantes úteis  a conduzir a embarcação Brasil, na longa travessia que precisamos vencer.

    Não que sob o comando da comandanta Dilma o barco tenha sofrido dano de monta. Sem embargo de ter sofrido os mais intensos  e covardes ataques de saqueadores, flibusteiros, corsários, e piratas tucanos de todos os tipos. Evidentemente que resistir as  agruras próprias da natureza oceânica é o que se espera como normal. No entanto, ser agredida diuturnamente por tamanho assédio, sofrendo ataques constantes e sem tréguas. Isto não é oposição. Trata-se de uma súcia golpista inconformada. Por certo, ações de pirataria são passíveis de produzir danos à tripulação e prejuizos em qualquer embarcação.  Os safados piratas, ainda querem atribuir à navegadora, a culpa por tais danos.

    Não obstante, considerar que o mestre de navegação  e comandante Lula, deva retornar à Ponte de Comando assumindo o timão. Isto só se dará, após a comandanta Dilma cumprir a circunavegação, ancorar o Galeão em porto seguro, conforme o previsto, no ano da graça de 2018. Oportunidade em que, os brasileiros entregarão a bússola, novamente, ao capitão Lula, considerado pela marujada seu melhor comandante. Momento em que, cuidará de restabelecer  a navegação oceânica de longo curso, sua expertise.  

    Enquanto isso, O Haddad o auxiliará na intensificação da navegação de cabotagem necessária . Ao tempo em que, observará, aprimorando seus conhecimentos náuticos com o Mestre, para assumir o comando na quadra seguinte.

    Orlando

  8. Defendo, inclusive, uma

    Proponho, inclusive, uma campanha publicitária em oposição ao que já se faz secularmente em carros por todas as grandes cidades do país com a mão de quatro dedos enlameada. Para terror dos coxinhas a campanha estamparia: Ele vai voltar! 2018.

    Alguma instituição ligada aos movimentos sociais poderia arrecadar fundos de pessoas físicas para confecção dos adesivos. Estou a fim de um desses. Se pudesse sozinho já teria confeccionado umas cem unidades.

    aproveitando essa onda messiânica, isso teria um impacto político muito positivo.

    O risco seria ver nossos carros depredados pela furia fascista.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome