Telefonia fixa perde 1,25 milhão de usuários

Jornal GGN – De acordo com a Anatel, voltou a diminuir o número de telefones fixos no país. A agência divulgou ontem os dados de novembro do ano passado, que mostram o desligamento de mais de 211 mil linhas apenas na comparação com o mês de outubro.  

Nos primeiros 11 meses de 2015 foram mais de 1,25 milhão de desligamentos realizados por concessionárias e autorizadas.

Do Tele Síntese

Telefonia fixa continua a perder usuários em novembro

Por Rafael Bucco

Mês terminou com 43,83 milhões de assinantes, dos quais 58,43% pertencentes às concessionárias

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou hoje, 21, dados de novembro sobre a telefonia fixa no país. A agência constatou que existiam, naquele mês, 43.834.055 de assinantes. Essa base se divide entre clientes de concessionárias (25.612.264) e de empresas autorizadas a prestar os serviços de telefonia fixa comutados – STFC (18.221.791).

Os números mostram encolhimento da base em relação ao mês anterior, mantendo a tendência vista ao longo de 2015. Ao todo, foram  211.389 desligamentos em novembro em relação a outubro. A maior parte entre as concessionárias, que desativaram 158 mil linhas. As autorizadas desligaram 53.380.

Os primeiros 11 meses de 2015 mostram que houve um total de 1,25 milhão de desligamentos. As autorizadas ganharam, no período, 204 mil assinaturas, enquanto as concessões perderam  1,45 milhão. A Oi foi a concessionária que mais desligou linhas fixas em 2015, de janeiro a novembro: foram 1,12 desconexões. A Telefônica ficou com saldo negativo de 340 mil. Entre as autorizadas, apenas a Claro (Claro/Embratel/Net) teve perdas, com 119 mil desligamentos. Quem mais ganhou foi a Telefônica, que se juntou à GVT, ficando com saldo positivo de 242 mil assinantes no período.

Os números de novembro da Anatel mostraram ainda queda nos acessos em banda larga fixatelefonia móvele na TV por assinatura.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cesário

- 2016-01-23 04:00:16

Participação
Sendo qie a maior parte é o ICMS.

Frederico69

- 2016-01-22 20:57:21

depende do ponto de vista,

era caro para conseguir, mas barato de usar. agora qualquer um pede um telefone, mas quem consegue pagar a conta?

no celular o pré pago representa mais de 80% do mercado!!

robson_lopes

- 2016-01-22 20:49:01

Da forma que foram feitas foi

Da forma que foram feitas foi terrível, até bem pouco tempo atrás o minuto de ligação em celular era R$ 1,40, ao invés de se pagar para ter a linha transferiram esses valores para a conta, e não foi seis por meia dúzia, acabamos pagando muito mais caro por isso, até hoje temos um sistema telefônico com as tarifas mais caras do mundo.

drigoeira

- 2016-01-22 18:26:39

Telefonia fixa está obsoleta...

Com a Internet ninguém terá telefones fixos num futuro próximo.

Tenho o meu telefone fixo porque existem parentes com dificuldades de usar a internet.

Pedro Mundim

- 2016-01-22 17:11:34

Lembro os tempos da TELERDA

Lembro os tempos da TELERJ, aliás TELERDA, quando a gente declarava linha telefônica em imposto de renda, isso depois de esperar anos por uma. A TELERJ, como muitas estatais inchadas durante o governo militar, era um cabide de empregos para coronéis aposentados. O qe motivou a piada sobre a falta de capacidade da empresa em atender a demanda: a TELERJ estava assim porque tinha muito coronel e pouco cabo.

E ainda há quem ache que as privatizações foram ruins para o país...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador